quinta-feira, 13 de junho de 2024

DEZ ORAÇÕES NO PAI NOSSO

 

- A Oração da Invocação – “Pai-nosso

- A Oração da Glorificação – “Santificado

- A Oração da Submissão – “Venha o Teu Reino

- A Oração da Rendição – “A Tua Vontade

- A Oração da Provisão – “O Pão Nosso”

- A Oração do Perdão – “Perdoa as Nossas Dívidas

- A Oração da Protecção – “Tentação

- A Oração da Preservação – “Livra-nos

- A Oração da Aceitação – “Porque Teu é o Reino

- A Oração da Conservação” – Para Sempre

DEUS, O PAI

O Senhor Jesus contou a história de um filho que saiu da casa de seu pai (Lucas 15:20). Depois da ascensão e da queda, este fugitivo acordou numa pocilga, perguntando-se: “Como cheguei até aqui? Preciso de voltar para trás, mas o que irá o meu pai dizer?”

Já alguma vez pensámos nisto: “Se eu voltar atrás, como irá Deus receber-me?” Alguns dizem que Ele não quer saber mais de nós. Mas não é assim que Jesus descreveu o Seu Pai.

Lucas escreveu isto na Bíblia para que todos os querem correr saibam o que podem esperar quando quiserem reverter o seu caminho. Estás a fugir de Deus? Pára, volta e regressa a casa. Ele está à espera para te dar as boas vindas.

Não há pecado que ele não possa perdoar e não há nenhum vício que o sangue de Jesus não possa remover!

sexta-feira, 17 de maio de 2024

MEDITAR NAS ESCRITURAS

 

 Amados, escrevo-vos agora esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero; Para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como Apóstolos do Senhor e Salvador.” 2Pedro 3:1,2

Esta disciplina espiritual de memorizar versículos bíblicos para lembrá-los em tempos de dificuldade parece estar estranhamente fora de moda.

Hoje em dia, as pessoas confiam mais nos seus smartphones para se lembrarem.

Nos dias de Pedro, a capacidade de memorizar grandes porções das Escrituras era assumida e praticada. A tradição oral transmitida de uma geração para outra era uma parte necessária da identidade e da sobrevivência de uma cultura.

No entanto, hoje a nossa dependência de dispositivos eletrónicos parece ter diminuído a nossa capacidade de recordação.

Talvez seja hora de restaurar uma disciplina que perdemos.

Tu ainda memorizas versículos da Bíblia?

Ainda te consegues lembrar onde uma história específica pode ser encontrada na Bíblia?

Quando Josué estava se preparando para entrar na terra prometida, Deus instruiu-o: “Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.” (Josué 1:8).

Às vezes, a nossa vida está tão cheia de outras coisas que não damos tempo suficiente para pensar sobre as nossas circunstâncias atuais ou planos futuros, e o que Deus está dizendo sobre eles.

Reservas tempo, intencionalmente, para meditares na Palavra de Deus? “Quando me lembrar de ti na minha cama, e meditar em Ti nas vigílias da noite.” Salmo 63:6; “Os meus olhos anteciparam as vigílias da noite, para meditar na Tua Palavra.” Salmo 119:48

Tens um lugar onde podes pensar nas coisas de Deus sem distração?

Refletes com gratidão sobre a bondade de Deus e como Ele te trouxe “seguro até agora”?

Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.” Salmo 23:6

Não te lembres dos pecados da minha mocidade, nem das minhas transgressões; mas segundo a tua misericórdia, lembra-te de mim, por tua bondade, Senhor.” Salmo 25:7

As benignidades do Senhor mencionarei, e os muitos louvores do Senhor, conforme tudo quanto o Senhor nos concedeu; e grande bondade para com a casa de Israel, que usou com eles segundo as suas misericórdias, e segundo a multidão das suas benignidades.Isaías 63:7

Quando o Senhor Jesus foi tentado por Satanás no deserto, Ele citou intencionalmente as Escrituras.

 Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus…” (Mateus 4:4).

Claramente, “está escrito” tem consideravelmente mais seriedade do que “na minha opinião pessoal”. 

Conhecemos a Bíblia o suficiente bem para podermos citar passagens dela com precisão?

Somos capazes de aplicá-las corretamente às nossas situações?

Seguimos o exemplo de Cristo e confessamos as Escrituras com fé e autoridade?