sábado, 15 de julho de 2017

MANTER UM ESPÍRITO CERTO


Consideremos as seguintes questões em relação à nossa própria vida:

- Quais as áreas que precisamos de proteger no nosso coração (alma)? Ou seja, onde estamos mais vulneráveis? “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida.” (Provérbios 4:23).
- O que que significa ter um espírito firme e disponível (voluntário)? “ Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito recto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.” (Salmo 51: 10-12).
- De que forma temos a comparar-nos com os outros? Há momentos em que achamos que merecemos mais respeito ou honra do que aquela que estamos recebendo? “Porque não ousamos classificar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos; mas estes que se medem a si mesmos, e se comparam consigo mesmos, estão sem entendimento. Porém não nos gloriaremos fora de medida mas conforme a recta medida que Deus nos deu, para chegarmos até vós.” (2Coríntios 10:12,13).
 - Quem são os nossos relacionamentos? Esses relacionamentos movem-nos para a frente na nossa vida cristã ou impedem-nos? Que efeito têm eles na nossa vida? “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” (2Coríntios 6:14).
- Quão bom somos a assumir a responsabilidade pelo fracasso? Como podemos melhorar nesta área? “O que repreende o escarnecedor, afronta toma para si; e o que censura o ímpio, recebe a sua mancha. Se fores sábio, para ti sábio serás; e, se fores escarnecedor, tu só o suportarás.” (Provérbios 9:7,12).
- Quem culpamos quando experimentamos oposição? Estamos lutando contra os inimigos certos? “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” (Efésios 6:12).

- Quem ganha a glória quando experimentamos sucesso? “Esforça-te e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria.” (Josué 1:8) “Porque o Senhor é o nosso Deus; Ele é que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egipto, da casa da servidão, e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho que andamos, e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos.” (Josué 24:17).

POSICIONADOS PARA ABENÇOAR

A parábola dos trabalhadores na vinha (Mateus 20:1-16) não é apenas sobre os trabalhadores à espera de serem contratados, mas é também sobre o proprietário que está em posição para contratá-los. Os trabalhadores só podem esperar oportunidade, mas o proprietário está em posição para trazer oportunidades e ser uma bênção para outros.
A parábola termina com a afirmação de Jesus que "os últimos serão os primeiros". Isso é uma realidade para os trabalhadores da parábola porque o proprietário está em posição e tem o poder de que seja assim. Esse tipo de posição tem sido sempre no plano de Deus para o Seu povo. Em Deuteronómio 28:13: (“E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima e não debaixo, quando obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus…”), Deus não só prometeu estabelecer, abençoar e prosperar os que O seguem, mas também que eles estarão em posição para abençoar outros.  
A promessa de Deus a Abraão não era apenas uma bênção para ele sozinho, mas era para ser uma bênção para outros.

Bênção nunca é apenas sobre nós, mas trata-se de outras pessoas - incluindo as gerações futuras. Estamos a construir para as gerações que nos sucederão (“Em lugar de teus pais será a teus filhos que farás príncipes da Terra.” Salmo 45:16). Isso significa que que nós precisamos de ser determinados e fiéis no nosso propósito, enfrentando desafios com fé, confiando que, como povo de Deus, podemos crer que Ele nos trará através de vales do choro, e nós podemos determinar-nos a transformar esses vales em piscinas de bênçãos à medida que avançamos “de força em força” (“O qual passado pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; vão indo de força em força; cada um deles em Sião aparece perante o Senhor.” Salmo 84: 6,7).

sexta-feira, 7 de julho de 2017

EMANUEL - DEUS CONNOSCO

Existem mais de 200 nomes na Bíblia, dados a Deus que são usados para se relacionar com a Sua natureza e como Ele funciona. Jesus foi chamado Emanuel porque o nome caracteriza a Sua missão: Ele desceu à Terra para estar connosco e mostrar a Sua graça salvadora. Ele não só caminhou sobre a Terra, mas também, depois de ascender ao Céu, enviou o Espírito Santo, para que nunca mais tenhamos de ficar sozinhos. Deus é Omnipresente - Ele está perto e está em todo lugar que Ele quiser (“Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós.” Actos 17:27).
A Criação grita a Sua glória (Salmo 148:3,4,7,8,9,10). Para todo o lugar que olhamos, vemos a mão de Deus. No entanto, neste mundo caído, a vida pode se desdobrar de maneira inesperada, deixando-nos a questionar Deus, "Onde é que estás, Deus?” "
Precisamos conhecer e ser encorajados que, mesmo em situações em que não podemos ver o avanço, o milagre ou o sonho realizado, sabemos que Deus está trabalhando em nosso favor e que Ele está connosco!
Jesus diz claramente em João 14:18, que não iria deixar-nos como órfãos, mas estaria connosco sempre. Pode haver áreas da nossa vida em que nos sentimos completamente abandonados e sozinhos, sem ninguém em quem nos apoiar Mas saber que Emanuel, o Deus acima de tudo, é connosco, tudo pode ser diferente.
As palavras "Alfa e Omega" são, respectivamente, a primeira e a última letra do grego alfabeto. Tanto no Antigo e Novo Testamento, Deus se refere a Si mesmo como "O Primeiro E o Último.
Este nome de Deus destaca a Sua divindade, supremacia e soberania. O que Ele começou, será concluído. Deus é eterno e fora do tempo; Ele simplesmente…É! Nunca houve um momento que Ele nunca existiu. Neste momento sabemos que vamos viver uma relação com Ele para sempre.
Deus é o Senhor das nossas vidas, do mundo em geral e de toda a Criação. Podemos descansar em saber que, mesmo não O vendo ou senti-Lo o tempo todo, Ele está trabalhando todas as coisas para a Sua glória.  

Deus não muda. Ele é a única pessoa que podemos confiar plenamente sabendo que Ele é constante e será o mesmo amanhã como é hoje! Prometeu estar connosco todos os dias, e isso Ele não falhará! (Mateus 28:20)

sábado, 1 de julho de 2017

O QUE VAMOS DEIXAR PARA AS GERAÇÕES SEGUINTES?

- Pequenas decisões que enfrentamos podem ser grandes decisões, se concretizadas. As nossas decisões podem ter impacto geracional. Se nós somos sábios, como Jesus, tomaremos decisões que deixam uma herança e herança para as gerações futuras. Como pioneiros do Evangelho de Jesus, estamos escolhendo criar um caminho para os nossos filhos e filhos dos nossos filhos.
- Deus falou com Abraão, o pai da nossa fé, sobre as gerações futuras e as bênçãos que envolveriam os seus descendentes. Abraão escolheu viver a sua vida em obediência fiel a Deus, obedecendo às decisões de Deus.
            - Ele poderia ter feito escolhas pensando apenas em si mesmo, no seu conforto e o que era mais fácil para ele, mas ele não fez. Abraão permaneceu fiel a Deus e o que se seguiu foram promessas cumpridas (“Mas nós, irmãos, somos filhos da promessa como Isaque.”; “De maneira que, irmãos, somos filhos, não da escrava, mas da livre.” Gálatas 4:28,31), que trouxeram bênçãos e impacto geracional que levou todo o caminho até Jesus.
- Nas nossas vidas, nós também tomamos decisões que irão ter impacto nas gerações seguintes a nós.
- As nossas decisões devem ser tomadas com o futuro em mente. As decisões diárias não só têm consequências para as nossas vidas, mas também para as nossas famílias e futuras gerações.
- Podemos permitir que as circunstâncias guiem as nossas decisões, mas só porque algo parece ser a coisa mais fácil de fazer agora, não significa que seja a melhor coisa para o nosso futuro.
- As escolhas não podem ser governadas por indecisão, conforto, estabilidade ou impulsividade, mas serão encontradas no propósito de Deus (“Antes tem o seu prazer na Lei do Senhor, e na Sua Lei medita de dia e de noite.” Salmo 1:2).

Conclusão: Nunca subestimemos o impacto das nossas vidas sobre as gerações futuras, e sempre acreditemos no que Deus pode fazer dentro e através das nossas vidas.  

WEBTV ClubeMais+