sábado, 5 de agosto de 2017

TU ESTÁS NO LUGAR CERTO

Lucas 13:6-9
Às vezes ficamos tempos demais embaraçados por causa das coisas que não somos capazes de fazer e esquecemo-nos das muitas coisas que somos capazes de fazer, e de investir nisso.
O Senhor Jesus foi à procura de figos na figueira e não noutra árvore qualquer. Se és uma figueira vais dar figos e não outra coisa qualquer, não é suposto.
E às vezes somos figueiras no meio de vinhas, mas não é pelos outros estarem a dar frutos diferentes dos nossos que estamos mal;
Foca-te no teu propósito. Não uses o ambiente que te rodeia como desculpa para não cresceres.
Vivemos numa cultura centrada em direitos e desculpas; mas a cultura do reino de Deus deve ser focada em responsabilidade. Não deixes que os outros sejam responsáveis pela tua vida, tu és livre para escolher.
Mantém-te fiel àquilo que Deus te criou para fazeres, não sejas governado pelas más atitudes dos outros.
Não desperdices a tua vida com amarguras e desconfianças que só te amarram e te prendem do teu propósito.
"Não desistas dos teus sonhos", mas faz alguma coisa para avançar.
            Não peças a Deus pra te dar mais um ano, mas depois ficas na mesma; faz alguma coisa! (vs.8)
            Ao lermos Génesis 1:10,12,18,21,25, podemos reparar que quando Deus criou tudo Ele disse que era "Bom"; mas quando Deus criou o homem e lhe deu autoridade sobre todas as coisas (Génesis 1:29,30), Ele disse que era "Muito Bom".
Tu vales muito mais do que a Natureza; então não deixes que os outros definam quem tu és, Deus deu-te a melhor nota!
            E depois Deus viu que não era bom para o homem estar só (“E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja sóGénesis 2:18).
O homem é "muito bom" mas é "mau" se estiver sozinho; é por isso que devemos viver em união, estar na Igreja (“OH! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.” Salmo 133:1).
            Cada um de nós tem de ter a capacidade de avaliar, e perceber que não é bom estar sozinho.
Onde o problema se manifesta não é necessariamente onde ele começa. Às vezes é preciso irmos às raízes.
            Se nós soubermos lidar com os nossos problemas, com as coisas que correm menos bem, vamos resolver as nossas frustrações.
Olhamos para o fruto dos outros e queremos ter também, mas esquecemo-nos de olhar para o que não se vê, para a raiz.

            Em vez de usares a "porcaria" (Lucas 13:8) que vem à tua vida como desculpa para desistires, usa-a como fertilizante para cresceres.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

A GLÓRIA DA CASA de DEUS

Fomos criados à imagem de Jesus Cristo, o Mestre Construtor. No Novo Testamento, Jesus diz: "Eu edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela." (Mateus 16:18). Esse é o coração de Deus para construir a Sua Casa. Em Ageu, ele pediu ao Seu povo que tinham visto a antiga glória do templo, como eles viam a casa de Deus agora. A mesma pergunta está sendo feita de nós nesta geração. Como podemos ver este edifício? Como vemos a casa de Deus?
O edifício que eu vejo, em primeiro lugar é a fidelidade manifestada na nossa fidelidade financeira. É a evidência física de previsão de sacrifício, generosidade altruísta e com visão de futuro. Eu vejo um edifício cheio de pessoas com potencial, inspiradas por Deus; um edifício que é uma resposta milagrosa para a oração e um motivo de grande alegria e celebração.
Eu vejo, nesta casa, futuros casamentos; um lar amoroso onde as crianças serão dedicadas e os jovens serão fortalecidos e amizades duradouras serão feitas. Eu vejo um prédio onde poderosas mensagens serão recebidas que ainda não foram pregados e canções que serão cantadas ainda não estão escritas. Vejo o Espírito Santo a inspirar pessoas com hinos de louvor que realmente tocam o céu e a terra.

Eu vejo um edifício onde a salvação flui, milagres serão experimentados, e o Espírito de Deus será inegavelmente evidenciado. Eu vejo um edifício em que Cristo será exaltado, Deus será glorificado e vidas serão mudadas para sempre!

sábado, 29 de julho de 2017

A EXCELÊNCIA DO AMOR

“…nada disso me aproveitaria.” (1Coríntios 13:3).
         O que Paulo está dizendo é que se fosse possível, tudo isto, não passaria de exibicionismo egoísta. Temos aqui o espírito máximo do ego introduzido nos actos humanos. As quatro coisas que Paulo reprova como não tendo valor nenhum sem o amor, são todas coisas que engrandecem a pessoa, alimentando o amor-próprio, mas não podem substituir o amor ao próximo.
E Paulo a seguir dá uma descrição da natureza do amor, de Deus, com as suas nobres propriedades, que ele viu (e aprendeu) em Jesus. Cada qualidade destas era revelada em Cristo durante a Sua vida terrestre, e se o nosso amor a Deus e ao próximo se manifestar por meio da observância destas verdades resolveremos todos os nossos problemas.  
·        O amor (caridade) é sofredor - O amor é sofredor, porque tem paciência com pessoas imperfeitas.
·        O amor (caridade) é benigno - O amor é activo em fazer o bem.
·        O amor (caridade) não é invejoso - Não é invejoso, visto que não é competitivo, na verdade, ele quer que as outras pessoas avancem.
·        O amor (caridade) não trata com leviandade – Trata o próximo com consideração. Não é hipócrita, maldoso e irresponsável.
·        O amor (caridade) não se ensoberbece - Não trata os outros com arrogância.
·        O amor (caridade) não se porta com indecência - Mas demonstra boas maneiras e cortesia.
·        O amor (caridade) não busca os seus interesses - Não busca os seus interesses, insistindo em seus próprios direitos pelo contrário, é altruísta.  
·        O amor (caridade) não se irrita – Não é rude ou hostil, mas é amável quando está sob pressão.
·        O amor (caridade) não suspeita mal - Não mantém uma soma de maldades cometidas contra ele, ao invés disso, apaga ressentimentos.
·        O amor (caridade) não folga com a injustiça, mas folga com a verdade - Não encontra satisfação nos defeitos dos outros, disseminando um relatório ruim, pelo contrário, ele folga com a verdade, proclamando o bem.
·        O amor (caridade) tudo sofre - Defendendo e suportando as outras pessoas. Perante as ofensas mostra a presença do ágape que resolve criativamente os conflitos.
·        O amor (caridade) tudo crê - O amor não é crédulo mas sempre confia nas pessoas.
·        O amor tudo espera - Nunca abandonando as pessoas, mas afirmando seu futuro.

·        O amor tudo suporta - Perseverando e mantendo-se leal até o fim.

sábado, 22 de julho de 2017

A MULHER COM O FLUXO DE SANGUE

Não sabemos nada sobre essa mulher além do relato da sua cura. A doença que sofria a tornou ritualmente impura e isolou-a da sociedade (Marcos 5:24-34)

O que podemos aprender com esta mulher?

 - Ela era resistente, constante, teimosa
O que teria levado esta mulher a desconsiderar os tabus religiosos e a ser apertada pela multidão para chegar a Jesus? Quão rápido desistes quando as coisas não andam como queres?
 - Ela era persistente
Esta mulher procurava uma cura dos médicos há muitos anos (12) mas não desistiu da esperança. Existe uma situação em que estás buscando uma resposta no momento? Onde estás procurando?
 - Ela estava cheia de fé
Ouvindo falar de Jesus…” “Porque dizia: Se tão-somente tocar nos seus vestidos, sararei.” (Marcos 5:27,28). O que aprendemos sobre a fé da mulher? Que passo de fé precisamos de tomar?
 - Ela foi clara naquilo que Jesus lhe fez
 “Então, vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se, tremendo, e, prostrando-se ante Ele, declarou-Lhe diante de todo o povo a causa por que lhe havia tocado, e como logo sarara.” (Lucas 8:47). Ela testemunhou o que experimentou. Às vezes nós nem percebemos o que Deus está fazendo na nossa vida!    
 - Ela adorou

 “Então a mulher, que sabia o que lhe tinha acontecido, temendo e tremendo, aproximou-se, e prostrou-se diante d’Ele, e disse-Lhe toda a verdade.” (Marcos 5:33). Qual é a nossa resposta à oração respondida? É fácil estar tão animado aproveitando o milagre que nos esquecemos de agradecer a Deus. Como respondemos quando a resposta não é o que esperamos?  

WEBTV ClubeMais+