quarta-feira, 8 de julho de 2020

ALIMENTAR DA PALAVRA de DEUS


Um bebé não descansa enquanto a sua fome não é saciada. É irrelevante para ele que a mãe tenha estado o dia inteiro de pé e esteja cansada. Três da manhã, ou outra hora qualquer, para ele não quer dizer nada. Quando um bebé tem fome, o mundo pára! O Apóstolo Pedro referiu-se à Palavra de Deus como “leite puro”, (1Pedro 2:2) o que significa não diluído, real. Antigamente havia anúncios de alguns produtos que diziam: “Sem aditivos químicos
Leite puro” é o oposto da chucha, que se dá ao bebé para que, enquanto ele a chupa, possa distraí-lo. Mas não oferece nenhuma nutrição!
Muitos são subnutridos espiritualmente porque se alimentam de substitutos. Passam o tempo a sugar chuchas em vez de beberem o leite puro da Palavra de Deus. Nunca ninguém cresceu alimentando-se só com uma chucha.
Não nos deixemos enganar aceitando outra coisa que não seja a verdade autêntica das Escrituras.
E mais, a única verdade que nos fará crescer é a verdade que é ouvida e colocada em prática. E mais: Os bebés não bebem o leite todo de uma vez. Mas isso é o que alguns fazem, e depois perguntam porque não estão a crescer. Os bebés alimentam-se regularmente por uma simples razão: Eles têm fome!
Porque não nos alimentamos mais da Palavra de Deus? Porque, ou não temos fome dela, ou porque temos tentado satisfazer a nossa fome com chuchas ou substitutos.
Sem uma dieta diária da Palavra acabaremos fracos e vulneráveis a ponto de sermos derrotados! Somente quando houver um desejo forte de ouvir de Deus através da Sua Palavra mais do que desejamos comer, estaremos a caminho de desenvolver uma fome saudável pelas Escrituras.

terça-feira, 30 de junho de 2020

PREOCUPADO?

A preocupação é uma grande preocupação nos dias atuais! A competitividade em que as nossas sociedades assentam, a crueldade das pessoas, o individualismo egocêntrico verificado, aliado ao fatalismo e dramatismo das notícias diárias, têm deixado as pessoas sobressaltadas e ansiosas. A preocupação é um estado de inquietação, desassossego, apreensão e receio. A preocupação está intimamente ligada à ansiedade. A palavra vem do latim "praeoccupatióne" e significa literalmente "ocupação prévia", ou seja, estar ocupado antes do tempo. É isso que acontece com as pessoas preocupadas e/ou ansiosas. Elas ocupam-se com as coisas antes de tempo. Elas sofrem por antecipação. O problema ainda "está a quilómetros" e já estão a angustiar-se com o mesmo.
O Senhor Jesus foi a pessoas mais despreocupada que viveu na Terra. Nunca se deixava pressionar com urgências ou problemas. E nunca ninguém conseguiu realizações tão grandes e tantos seguidores! O Seu ensino acerca da preocupação e ansiedade persiste até aos dias de hoje como as palavras mais relevantes sobre o assunto. Estão registadas em Mateus 6. Os princípios apresentados pelo Senhor Jesus Cristo são fundamentais e eficazes para vencer este "carrasco"!

SERVO DO PAI

Davi servia o seu pai. Como o mais novo dos seus irmãos, fazia o trabalho mais servil. Mas não reclamava por causa disso. Davi recebia instruções do seu pai e cumpria-as. Antes de ter oportunidade de lutar contra Golias, Davi servia o seu pai. Na realidade, foi o facto de servir o seu pai que lhe permitiu chegar ao campo de batalha e poder enfrentar Golias.
Tudo começa na casa do Pai. As grandes vitórias não começam no campo de batalha, terminam lá! Primeiro submetes-te a Deus como Pai, depois estás pronto para enfrentar as batalhas (Tiago 4:7). Primeiro serves o Pai, depois és "servido" pelo Pai. Primeiro serves, depois vences. Primeiro negas-te, depois o Pai afirma-te.
A vitória não depende tanto de como empunhas as armas, mas de como te rendes ao Pai. Não tem a ver com o "adversário" que está diante de ti, mas como estás diante do Pai. Não está relacionada com as tuas qualidades de "soldado", mas com a tua atitude de adorador.
A tua ligação ao Pai é o factor determinante da vitória. Só Ele pode todas as coisas. Só Ele consegue vencer gigantes.
Concentra-te em servir o Pai, e Ele derrubará os gigantes da tua vida!

quarta-feira, 24 de junho de 2020

PORTADORES DE MUDANÇA


Hoje muitos têm medo de que aqueles que saem em público sejam portadores deste vírus que é contagioso e está afetando milhares de pessoas. E esta mensagem chama-se “Portadores de Mudança” porque também carregamos algo nos nossos corações. Somos portadores do Reino de Deus. Somos portadores do Evangelho. Somos portadores de vida. Somos portadores de propósito. Somos portadores de promessas divinas.
E como ser um portador de mudança? Nestes tempos do Profeta Miquéias, Israel estava dividido em dois reinos. O Reino de Israel e o Reino de Judá.
Miquéias foi usado por Deus para desafiar os profetas e os líderes de Israel. Porquê? Porque eles tinham-se tornados corruptos, oprimiam os pobres, e porque Israel experimentava injustiça como nunca antes se tinha visto. Havia despertado uma desigualdade na sociedade, uma desigualdade no povo de Israel. Por isso era importante que Miquéias lembrasse Israel aquilo que haviam esquecido.
Ele começa por dizer “Ele te declarou, ó homem o que é bom, e que é que o Senhor pede de ti…”. Por outras palavras, ele está dizendo: “Vocês já sabem o que devem fazer. Já sabem como devem viver. Vocês já receberam as instruções:”
Mas qual era então o problema? O sistema do mundo tinha nublado a vida dos israelitas.
Como seria hoje em dia a nossa sociedade se os cristãos vivessem simplesmente de acordo com aquilo que Deus já lhes disse ou mandou fazer? Vivendo de acordo como Deus nos mandou viver? Muitas vezes queremos uma nova palavra da parte de Deus; queremos que Deus nos diga algo de novo. Queremos uma palavra que fale à nossa situação atual, que nos diga o que devemos fazer e como devemos caminhar. Mas creio que enquanto esperamos uma nova palavra da parte de Deus, Ele está esperando que caminhemos conforme a última palavra que Ele nos deu, conforme o que já nos falou e o que já disse que devemos fazer.
É extremamente importante lembrar que temos que viver conforme as instruções que Deus nos deixou na Sua Palavra. Por isso, que neste versículo há três coisas que Miquéias diz que eram necessárias que Israel fizesse, e que é necessário que nós façamos, como filhos de Deus como portadores de mudança.
Em primeiro lugar, depois de Miquéias lhes dizer que já sabem o que devem fazer e o que Deus espera deles, ele diz-lhes que pratiquem a justiça.
No Evangelho justiça significa um relacionamento reto, tanto com Deus como o próximo. Como seguidores de Jesus devemos entender que estamos neste mundo para estabelecer justiça. Estamos neste mundo para que a vontade de Deus seja feita ao nosso redor. Por isso temos de entender que a mudança começa em nós. Nós somos chamados a romper barreiras. Como praticar a justiça? Ver as pessoas como Deus as vê, amar as pessoas como Deus as ama, aceitar as pessoas como Deus as aceita, tratar as pessoas como Deus as trata.
Não nos devemos focar no passado das pessoas, nas suas imperfeições. Jesus deu a Sua vida por todo o mundo, um mundo pecaminoso. Ele abriu os Seus braços para que aquele que quiser se possa aproximar d’Ele. Ele ama as pessoas tal como elas são, mas as ama demasiado para as não deixar como estão quando elas se aproximam. E temos que praticar justiça, amando como Deus ama, ver como vê, acreditar nas pessoas como Deu acredita nelas. E apontá-las à cruz do Calvário, porque o único que pode transformar as suas vidas é Jesus. Praticar justiça é eliminar a desigualdade. É eliminar as etiquetas que pomos nas pessoas.
Em segundo lugar, amar a misericórdia. E isto significa um amor prático por aquele que sofre. Um amor que praticamos, não um amor de teoria, não um amor de teologia. Romanos 12:8, diz que aquele que “…exercita misericórdia, faça-o com alegria.” Um amor prático leva-nos a viver e a demonstrar o Evangelho de tal maneira que somos os pés e as mãos de Cristo, para fazer a diferença. Não mostremos apenas misericórdia, mas também amemos mostrá-la!
Em terceiro lugar, Miquéias diz “…que andes humildemente com o teu Deus.” Somos tolerantes quando vemos as falhas nos outros, os erros nos outros, as fraquezas dos outros? A humildade precisa de ter um foco generoso e não um foco egoísta. Filipenses 2:3: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.” Ser humilde nos leva a viver de tal maneira, que sempre vamos ter uma perspetiva externa. Sempre colocaremos as necessidades dos outros acima das nossas. Vamos entender que não somos superiores a ninguém. Não importa o título que temos, as experiências que temos, os sucessos que alcançámos. Deus vê todos da mesma maneira.
Quando nós descobrirmos realmente quem somos nos humilharemos, pois não teremos nada para nos exaltarmos. A humildade em nossa vida produz um coração ensinável. A humildade nos posiciona para coisas maiores (“Aquele que se humilhar Eu o exaltarei.”). A humildade liga-nos a outras pessoas. A humildade leva-nos a depender de Deus.
Devemos entender que somos portadores de mudança. Devemos praticar a justiça. Que não se encontre uma gota de descriminação nos nossos corações. Que vejamos as pessoas como Deus as vê. Amemos a misericórdia, entendendo que devemos atuar com amor prático. E vamos caminhar humildemente diante de Deus, dependendo totalmente d’Ele para que as nossas vidas possam brilhar, e para que as nossas vidas possam apontar para um Deus que as pessoas desejem também!

FÉ INABALÁVEL


Jó foi um homem que enfrentou situações difíceis, a sua fé foi testada e a sua vida abalada, mas no meio de tudo o que passou tomou a decisão de permanecer na fé. Lemos nos primeiros capítulos do livro, que ele perdeu todas as suas posses materiais. Perdeu os seus filhos. Ele suportou muito sofrimento. E no meio de tudo, viveu com uma fé inabalável. E é disso que eu hoje quero falar. Viver com uma fé inabalável. A palavra inabalável é definida como sendo algo que não pode ser movido ou demovido, algo que não oscila ou cai. As questões que se põem hoje é: O que é que te afasta da tua fé? O que é que te desvia da fé que tens? O que é que te desloca ou faz cair da tua fé? Nós temos de aprender com a atitude Jó e com a fé que teve face a tudo o que passou. A sua fé deveria inspirar-nos e desafiar-nos, no meio daquilo que estamos a passar nestes dias, enquanto Humanidade e enquanto Igreja.
Há algumas coisas no livro de Jó que devem encorajar a nossa fé, hoje. Algumas coisas que Jó fez para que pudéssemos ter uma fé inabalável em tempos desafiantes. Decisões que ele tomou.
Primeiro: Ele não permitiu que a situação limitasse a sua adoração. Depois de ter sido informado da morte dos seus filhos, a Bíblia diz que ele se levantou, rasgou o seu manto, rapou a sua cabeça, caiu por terra e adorou (1:20). A primeira reação de Jó perante esta profunda dor, perante estas más notícias, não foi reclamar. A sua primeira resposta não foi: “Porquê eu?” “Como pôde isto acontecer? Eu creio em Deus!” A sua primeira reação foi lançar-se em terra e adorar (“…bendito seja o nome do Senhor.”).
Nesta manhã quero encorajá-los, quero desafiá-los. Este não é o tempo de baixar o volume da nossa adoração. O que é que estás a permitir, neste tempo, que roube a tua adoração? Este não é o momento, enquanto povo de fé, baixarmos o volume da nossa adoração.
Uma fé inabalável, é uma fé que no meio de qualquer situação, não permite que a adoração seja limitada. Que nestes tempos difíceis que estamos enfrentando possamos encher a nossa vida de adoração. Porquê? Porque a adoração muda a nossa perspetiva. Adorar transfere a tua perspetiva do problema para as promessas de Deus. A adoração coloca a tua visão na Sua grandeza, na Sua majestade e no Seu poder. E nós temos de entender que fomos criados para O adorar em qualquer situação.
Salmo 96:1-4 diz: “Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todos os moradores da Terra. Cantai ao Senhor, bendizei o Seu nome; anunciai a Sua salvação de dia em dia. Anunciai entre as nações a Sua glória; entre todos os povos as Suas maravilhas. Porque grande é o Senhor, e digno de louvor, mais tremendo do que todos os deuses.”
Quando nós adoramos proclamamos as Suas boas novas. Quando nós adoramos proclamamos os Seus milagres entre todos os povos. Por isso, não podemos permitir que nenhuma situação limite a nossa adoração. Quando escolhemos adorar a Deus no meio das nossas situações mais complicadas, cultivamos uma fé inabalável nas nossas vidas. Possamos alterar a atenção dos nossos corações e das nossas para o Senhor Jesus Cristo. O Autor, o Consumador e o aperfeiçoador da nossa fé.
Em segundo lugar, o que vejo na vida de Jó, e naquilo que ele experimentou, é que ele não só impediu que a situação limitasse a sua adoração, como também não permitiu que a circunstância alterasse a sua confissão.
No capítulo 1 e versículo 22, diz que “Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma.” Ou seja, Jó não culpou Deus pela situação em que estava e a sua confissão não se tornou negativa. Capítulo 27, versículos 3 e 4, diz: “Enquanto em mim houver alento, e o sopro de Deus no meu nariz, não falarão os meus lábios iniquidade, nem a minha língua pronunciará engano.”
Como pessoas de fé temos de decidir, temos de determinar, temos de nos certificar que nenhuma situação que possamos estar a enfrentar altere a nossa confissão, as nossas palavras.
As nossas palavras precisam de ser cheias de vida, de propósito, de promessas, de visão, de destino, porque nestes tempos modernos precisamos de ser pessoas de fé. Não somente nas nossas palavras, como também nas nossas ações. Precisamos de nos certificar que o que comunicamos encoraja os outros, alimenta a fé, acrescenta a paz e que é de ajuda àqueles que nos rodeiam, que não têm a mesma fé.
É por isso que devemos aprender com Jó e não permitir que nenhuma situação mude a nossa confissão.
Provérbios 10 e versículo 11: “A boca do justo é manancial de vida, mas a violência cobre a boca dos ímpios.” Numa tradução “moderna” diria que não é apenas a boca do justo, mas também os atos do justo são uma fonte de vida. Em Provérbios 18:21 está escrito que “A morte e a vida estão no poder da língua, e aquele que a ama comerá do seu fruto.” E é por isso que neste tempo que estamos vivendo não podemos permitir que nada altere a nossa confissão. Temos de cultivar uma fé inabalável onde falamos mais sobre as Suas promessas do que sobre os nossos problemas. Falemos sobre vida àqueles que nos rodeiam. Que as nossas palavras levem paz aos corações aflitos. Vamos levar as pessoas a Jesus porque somos embaixadores da mensagem mais incrível que existe no planeta! As nossas palavras devem conter vida. São tantas coisas a ser ditas neste momento, são comunicadas tantas coisas que comunicam medo, incerteza e confusão nas pessoas.
Nós como pessoas de fé devemos certificar-nos de que as nossas palavras comunicam paz e aliviam as pessoas por causa d’Aquele em quem depositamos a nossa fé. Atualmente há tanta coisa a ser dita, tantas teorias da conspiração, tanta coisa a alimentar o medo das pessoas nas nossas comunidades. Não permitamos que estas coisas abalem a nossa confissão, porque nós sabemos em quem temos crido.
Uma fé inabalável  é uma fé colocada no Deus que é o mesmo ontem, hoje e eternamente. E é por isso que nenhuma situação pode mudar a nossa confissão, porque nós sabemos em quem acreditamos.
No capítulo 42 e versículo 2, Jó diz: “Bem eu sei que tudo podes, e nenhum dos Teus pensamentos pode ser impedido.” Por outras palavras: “Nenhum dos Teus propósitos pode ser parado. Nenhum dos Teus propósitos pode ser limitado.”
Em todo o livro, Jó mantém o foco na bondade e na fidelidade de Deus. Ciente de que Deus passará este tempo difícil com ele.
Jó tinha uma perspetiva eterna.
No meio de cada desafio que nos confronta devemos olhar as coisas de uma perspetiva eterna, cientes de que Deus é soberano e que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados segundo o Seu propósito. O Senhor Jesus disse que neste mundo teríamos aflições. Mas temos de ter coragem, porque a Bíblia diz que Ele venceu o mundo com uma fé inabalável (“…tende bom ânimo, Eu venci o mundo.” João 16:33). Uma fé que estava edificada sobre um reino eterno. Ele não permitiu que a situação que estava para vir turvasse a Sua perspetiva.
A fé inabalável não permite que nenhuma situação limite a nossa adoração ou que altere a nossa confissão. Os nossos melhores dias estão do outro lado desta situação. Os melhores dias da tua vida. Os melhores dias do teu casamento. Os melhores dias da nossa Igreja. E eu quero encorajar-te a não perder a fé, a perseverar, a permanecer firme na tua fé, para que a tua fé seja inabalável seja o que fores que estejas a enfrentar. Porquê? Porque Deus está no controle. E Ele vai levar-nos de fé em fé, de graça em graça e de glória em glória em nome de Jesus.

O QUE NÃO MUDOU


Quando observamos o mundo em que vivemos de maneiras tão distintas, muita coisa mudou. E há quem diga que o mundo mudou para sempre. Outros dizem que isto é o início de uma nova era, e a maneira como abordamos as coisas vai ser muito diferente devido às restrições de contato e todas essas regras.
E acho que é importante para nós percebermos o que não mudou.
 A visão da Igreja não mudou! É a mesma desde que o Senhor Jesus a inaugurou.
O sentido da Missão da Igreja não mudou.
O propósito pelo qual existimos não mudou.
Ganhar pessoas para Jesus não mudou. O que valorizamos não mudou.
O que acreditamos não mudou, em relação à mensagem de Jesus Cristo.
Há tantas coisas que não mudaram e vão permanecer na mesma.
O que mudou foi o nosso método. Desistimos de alguns métodos, talvez para sempre, e os novos que adotamos e adaptamos, talvez se mantenham por algum tempo. Então sejamos cuidadosos ao tentar perceber o que é o quê e lembremo-nos que há coisas que não mudaram. E ao avançarmos, essas coisas vão continuar.
O desafio para todos nós é aceitar o que mudou e sermos genuinamente criativos no que fazemos. Porque temos um grande desafio no que toca à Igreja.
Há um versículo na Bíblia, Tito 2:10, é no final de uma série de versículos em que Paulo está a falar da cultura, sobre a maneira como as pessoas viviam as suas vidas. Não nos vamos preocupar tanto com as referências culturais que ele utiliza, mas com a sua conclusão. Na última parte do versículo 10, ele diz: “Para que o ensino do nosso Senhor e Salvador seja visto como atrativo.”
Atrativo, algo que as pessoas veem e dizem: “Eu quero fazer parte daquilo.” As pessoas olham e pensam: “Eu quero pertencer àquilo” ou “Aquilo interessa-me.” “Quero saber mais sobre aquilo” “Como é que aquilo pode fazer parte da minha vida?
Quando algo é atrativo, é assim que começas a pensar. Gera uma nova forma de pensar. É como se a atração atraísse as pessoas ao que é atrativo. Penso que um dos nossos maiores desafios e a missão que carregamos em tudo, é representarmos quem nós representamos. Em última análise, representamos Jesus e a Sua Igreja.
O nosso desafio ao avançarmos, é construir uma Igreja que de repente todos possam ver caso queiram. E quando nos veem, o que dizem? Que é atrativa? Que está a levar as pessoas à essência da mensagem? Creio que este é um dos desafios a enfrentar. Temos esta enorme oportunidade de nos apresentarmos de forma a não competir com o mundo secular em que vivemos e tudo o que lhe diz respeito. Mas poder mostrar às pessoas: “Isto é viver!” E esta é a essência da vida quando Jesus Cristo é o centro de tudo o que defendemos, de tudo o que acreditamos e quando Ele é o teu principal relacionamento. É um desafio, mas penso que é uma grande oportunidade para nós. E isso não mudou!

sábado, 6 de junho de 2020

UM VASO CHEIO

Desde o princípio que Deus tem uma obsessão santa; Encher! Deus não pôde ver a Terra sem forma e vazia, e começou a criar e a encher, e além disso, dotou a Sua criação de poder reprodutor para encher a Terra (Génesis 1:28). Deus os abençoou e deu-lhes a comissão de encher a Terra. Hoje Deus continua a querer fazer o mesmo: Encher-nos para encher os outros. O Senhor Jesus disse aos Seus discípulos que eles iriam receber poder quando o Espírito Santo descesse sobre eles (Atos 1:18). À medida que os discípulos eram cheios do Espírito Santo, deveriam ir por todos os lugares e levar a presença de Deus (Espírito Santo). 
O primeiro movimento para ser cheio é esvaziar. Há pessoas que não entendem porque é que não são cheias do Espírito Santo. Simplesmente porque não se esvaziam de tantas outras coisas. Logicamente que, se um vazo está cheio não pode ser cheio. É necessário criar espaço. Eliseu disse à viúva para ela pedir aos vizinhos vasos vazios. O milagre só parou quando eles ficaram cheios (2Reis 4:3-6). Para seres cheio do Espírito Santo, esvazia-te. Para teres mais de Deus, tem de haver menos de ti. Deus quer encher-te. É uma promessa e uma ordem (Efésios 5:18). Sê um vaso cheio do Espírito Santo. Da Sua presença, do Seu amor, do Seu poder, da Sua graça. E vive para encher a vida dos outros!

sexta-feira, 5 de junho de 2020

NÃO DESISTAS!

O milagre que precisamos requer um tempo para acontecer, e esse tempo não sabemos qual é. É a fé na fidelidade de Deus que nos faz crer que no tempo certo acontecerá. É necessário a fé para plantar e a persistência para esperar o momento da colheita. O milagre ainda não aconteceu? Tenta uma, duas, três, quantas vezes forem necessárias. A persistência abre-nos portas. Bartimeu persistiu em clamar por Jesus, o filho de Davi, e recebeu o seu milagre! Não permitiu que ninguém calasse a sua voz e impedisse o seu clamor. A mulher que tinha o fluxo de sangue persistiu por anos e ao tocar nas vestes de Jesus foi curada! Ela não deixou que os doze anos de espera a impedissem de romper com os obstáculos e tocasse no Messias. Ana persistiu na sua oração por um filho durante anos e o Senhor lhe deu a graça de ter em seus braços Samuel! Ela não permitiu que a afronta de Penina, sua adversária, tirasse do seu coração o seu maior sonho, nem o clamor dos seus lábios. Quem ou o que está a tentar a tua voz e te impedir de clamar? Quais os obstáculos que precisas de romper para tocar na ponta do manto de Jesus e experimentar a Sua virtude? Qual a "Penina" que te afronta e tenta arrancar os sonhos do teu coração? O milagre que precisas na tua vida, na tua casa e na tua família, precisa da tua persistência em orar e da tua sabedoria para agir. Então não desistas! Insiste! Não pares de crer e de lutar! Bate nessa porta até que ela se abra e possas receber o teu milagre!

quinta-feira, 28 de maio de 2020

NÃO ANDAR ATRÁS DAS COISAS, MAS DE DEUS

A procura consumista e consumidora das coisas deixa as pessoas preocupadas. E, mesmo depois de as terem, não acalma essa ansiedade, só a agrava mais. Quando alguém é reduzida à matéria, limitado ao desejo de procurar, ter e usar coisas, acaba infeliz. O ser humano é muito mais do que um amontoado de matéria e circuitos para manipular e manusear a verdadeira matéria.
A verdadeira satisfação da vida está nos relacionamentos, na prática do amor. E essa felicidade atinge o seu nível máximo quando a pessoas estabelece um relacionamento pessoal com o seu Criador. Procurar Deus, fazer d'Ele o centro da vida, é eliminar do centro da vida os fatores de tensão e ansiedade e substitui-los  pela fonte de paz, harmonia, confiança e amor. Deus não é um fator de pressão, nem de limitação do prazer e sabor da vida. A religião é! Mas ter Deus como um Amigo e desenvolver um relacionamento pessoal com, é experimentar o melhor da vida. O melhor antídoto para acabar com a preocupação e ansiedade é saber que o dono do Universo É nosso amigo!
Não persigas as coisas - serás perseguido pela preocupação. Persegue Deus e encontra-O e serás "perseguido" por todas as coisas boas!

sábado, 23 de maio de 2020

O INSTRUMENTO DO VASO

A Bíblia não nos compara a qualquer peça de barro. É específica, quanto a isso. Fala do vaso. Porque Deus não trabalha em nós para sermos artigos de decoração. Ainda que o vaso possa ter uma utilização decorativa, ele é um objecto de utilidade. Ele tem o potencial da utilidade. Ele não é fechado, é aberto. E tem uma cavidade para receber algo, para ser depositado nele alguma coisa. Não sejas fechado. Nem no sorriso, nem na amabilidade, nem na generosidade. Alguém que está fechado para dar, não está aberto também para receber. Não sejas maciço, cheio de ti mesmo, que não possas receber e transportar o que Deus tem para ti.
Não és um objecto de decoração para seres visto e apreciado. Ou para ficar numa prateleira numa vida passiva e infrutífera.
És um potencial cheio de utilidade. Aberto para o que Deus quer depositar; vazio de ti mesmo para seres cheio do que Deus quer derramar. Aberto para retirares o que Deus quer para os outros. Não és um monumento, és um instrumento! Não és para exposição, és para ação! Não és uma futilidade, és de grande utilização! (Jeremias 18:4)
As mãos do Oleiro que te formou e preparou são as mesmas mãos que te querem usar de forma poderosa!

segunda-feira, 11 de maio de 2020

A RODA DO OLEIRO

No fabrico de um vaso, o oleiro faz a modelagem do barro através do que se chama a roda do oleiro. Ele coloca o barro num prato, que está num aparelho (o torno) que o faz girar a uma velocidade que o oleiro controla. Esse movimento giratório é o que possibilita que o oleiro dê a forma que ele quer ao barro. 
Por vezes, a nossa vida gira a uma velocidade alucinante. E sentimo-nos "zonzos", e às voltas, sem sair do mesmo lugar. E ficamos com a sensação de não estarmos a experimentar nada de bom; que está a ser negativo.
Mas a roda é fundamental para a grande transformação do barro de disforme para uniforme. A sua modelagem é a combinação entre duas coisas: As mãos e a roda do oleiro. Algumas pessoas querem a as mãos do oleiro, mas não querem a velocidade do prato. Outros querem as experiências da vida, mas não querem as mãos do oleiro. Mas a verdade é que tem de ser uma combinação das duas. Precisamos das mãos do oleiro e da experiência da roda giratória...
Às vezes não entendemos porque é que Deus permite que a nossa vida atinga velocidades frenéticas. Mas isso deve-se ao facto de que Deus quer trabalhar em nós, na nossa "forma", e com isso dar-nos "forma" e pôr-nos em "forma"!

domingo, 10 de maio de 2020

NUNCA SERÁS ABANDONADO

Por vezes, sentimo-nos inseguros, ou frágeis. A ameaça de uma crise, a dificuldade de uma situação, a pressão de um constrangimento, a preocupação de uma impossibilidade...
Por vezes sentimo-nos sós...Pessoas que nos traíram, que magoaram, que se afastaram, ou "simplesmente" nos desprezaram ou ignoraram...Pessoas que se recusaram a ajudar, ou a ficar perto...Ou apesar de tantas pessoas à volta, o sentimento de solidão é forte na mesma...é algo interior, é um vazio, um sentimento de abandono...
Mas o Deus que criou todas as coisas, que é dono de todas elas, que te criou, comprou e resgatou, diz: "...Não te deixarei, nem te desampararei." (Hebreus 13:5) Podem todos te abandonar, mas Ele nunca te deixará.
Quando os pregos perfuraram as mãos de Jesus Cristo, foi por ti! Ele ressuscitou e venceu a morte, foi por ti!
As mãos foram perfuradas para resgatar-te. Para que não vivas nem te sintas sozinho. Para que saibas que és amado. Para que tenhas a plena certeza que nunca serás abandonado. Para que tenhas a âncora firme de saber que Ele está contigo!

quinta-feira, 7 de maio de 2020

VIVE A VIDA SEM RECLAMAR

O filho que muitas vezes não arruma o quarto e fica a ver televisão, significa que...está em casa!
A desordem que tenho de limpar depois de uma festa, significa que... estive rodeado de familiares e amigos!
As roupas que estão apertadas significam que...tenho mais que suficiente para comer!
O trabalho que tenho em limpar a casa, significa que...tenho uma casa!
As queixas que escuto acerca do governo, significam que...há liberdade expressão!
O facto de não encontrar estacionamento, significa que...tenho carro!
Os gritos das crianças, significam que...não sou surdo!
O cansaço no final do dia, significa que...posso trabalhar!
O despertador que me acorda todas as manhãs, significa que...estou vivo!
O que é que é de facto significativo para nós?
Não reclames. Agradece! Esse é o segredo do bem-estar e da felicidade!
"E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações, e sede agradecidos." Colossenses 3:15

segunda-feira, 4 de maio de 2020

HÁ ESPERANÇA!

No dia 6 de Agosto de 1945 foi lançada sobre a cidade de Hiroshima, no Japão, a primeira bomba atómica da História, que provocou uma explosão com uma temperatura 40 vezes à do sol! A população foi quase toda dizimada e a destruição dos edifícios e das estruturas da cidade foi quase total. Porém, apenas a um quilómetro do epicentro da explosão sobreviveu uma árvore chamada "ginkgo biloba", que um ano depois da explosão brotava novamente entre as ruínas!
Foi algo surpreendente que maravilhou e ainda hoje maravilha o mundo. A árvore ainda continua hoje no local como um exemplo e referência de sobrevivência e esperança.
A natureza está dotada dessa capacidade de regeneração e renovação, diante de cataclismos e catástrofes.
O ser humano não é excepção. A sua capacidade de sobrevivência e adaptação são deveras notáveis. Relatos de sobreviventes de guerras, catástrofes e crueldades enchem os anuais da História.
Podes ter sido alvo de ataque, de algum tipo de devastação, de tragédia, de crime, ou mesmo caos. Podem ter existido danos, perdas e dor. Mas isto é o que Jó, um homem que experimentou devastação a nível familiar, financeiro e de saúde, disse: "Porque há esperança para a árvore, que se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e morrer o seu tronco no pó, ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como a planta." (Jó 14:7-9).
As águas de Deus correrão na tua direção e irás brotar, florescer, revitalizar, recuperar e frutificar.
Há esperança para ti!

domingo, 3 de maio de 2020

ABRE O TEU CORAÇÃO PARA DEUS!

Não há razão para pôr paninhos quentes naquilo que conversamos com Deus. O melhor mesmo é abrir o jogo todo sem rodeios. Quando estamos à rasquinha é para Lhe dizer logo. Só nos faz mal fingir que não estão a fazer mossa os complôs de que somos alvo. Admitamos de uma vez por todas que precisamos para ontem da Sua protecção. É que sem a Sua cobertura fica difícil, para não dizer impossível, escapar ileso do fogo cruzado a que estamos sujeitos. Há por aí muito “boa” gente que gosta de disparar enxovalho a torto e a direito. Livre-nos Deus dessa maltinha. Desempoeire-nos Ele quando fizerem de nós tapete. Contemos-Lhe como estamos fartos de servir de saco de pancada. Mostremos-Lhe as feridas provocadas pelas “palavras venenosas” com que nos picam. Manifestemos a nossa estupefacção por tanta maldade e impunidade. Não engulamos o que urge ser desabafado. Expressemos incómodo ao mais leve cheiro a conspiração. Trate, pois, cada um de conferir a motivação com que abre a boca e sela alianças, já que “o coração humano é muito fundo.” Quando não é por terceiros, somos fintados pelo nosso ego, razão pela qual há que insistir nos exercícios introspectivos para que Deus opere as refregas que entender na nossa alma. Deus não dorme, pelo que a cama que estejamos a fazer a outros será aquela em que nos deitaremos. A despeito das adversidades, contentemo-nos sempre em fazer o bem: “O justo encontra no Senhor a sua alegria!”

ELE É O SALVADOR

O Senhor Jesus tem o maior prazer em estar com gente que assume as suas debilidades e imperfeições. Aliás, são os que se sentem esfarrapados por dentro que O procuram a todas as horas. Querem ouvir a Sua voz, pois é a única que os acalma. Deliciam-se com a companhia d’Ele, já que os acolhe como mais ninguém. A crítica venenosa da ala religiosa sobre o desplante de Jesus Se deixar rodear de malta tão estranha, é mel para os Seus ouvidos. Jesus está nas Suas sete quintas ao pé daqueles que se sentem perdidos, não dos que julgam ter saúde espiritual para dar e vender. Ele veio para os doentes da alma. Jesus carrega aos ombros “todo satisfeito” ovelhas feridas. Tão bom saber que o Seu amor abrange aqueles que os “santinhos” excluem: “Haverá mais alegria no Céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam de se arrepender.”

DEUS É JUIZ

É super duro quando sentimos que há gente disposta a, mais do que nos morder os calcanhares, destroçar-nos de alto a baixo. Aí, ao invés de sofrer pela calada, nada melhor do que gritar a Deus por socorro. Sem cerimónia ou acanhamento. Ele não só nos escuta como nos ergue. Mais ninguém se importa connosco como Aquele que nos criou. Bem podemos esperar sentados se ficamos à espera do auxílio humano, que muito promete e pouco ou nada cumpre. E é bom que essa consciência crítica comece exactamente por nós. O exercício da introspecção é essencial para ficar em paz com Deus. No fundo, é conveniente que nos coloquemos a(o) Seu jeito. Expressemos o desejo ardente de ver interrompida a espiral de injustiça, sabendo que assim até a nós Se oporá caso estejamos a contribuir para essa cultura de morte. Peçamos-Lhe que faça frente a todo o tipo de agentes maliciosos e fortaleça os que procuram viver na Sua dependência: “Desperta, meu Deus, e pronuncia a sentença.” Conhecedores da Sua soberania e do modo como examina imparcialmente os pensamentos de qualquer pessoa, há que confiar inteiramente na Sua protecção. Deixemos de nos preocupar com os que ousam afrontá-Lo, pois acabam por cair no fosso que cavam. Sim, “Deus é um juiz justo, que condena sempre a maldade.” Enalteçamo-Lo todos os dias!

DISCERNIMENTO

O Senhor Jesus esteve sempre ciente da Sua missão. A aproximação da hora de "deixar este mundo para ir para o Pai" não Lhe retirou ponta de discernimento. Não procurou galgar degraus, nem Se deixou atingir por nenhuma espécie de vaidade real que o impedisse de servir. A Sua máxima era amar e fê-lo até ao fim. Sem reservas mentais, mesmo quando os Seus seguidores, não querendo dar parte de fracos, se indispuseram para uma tarefa simples, rotineira e classificada de menor. Inclusive quando um deles escolheu atraiçoá-Lo não Lhe virou as costas. Mais, sabendo por antecipação que o "Pai Lhe tinha dado toda a autoridade, que tinha vindo de Deus e que voltaria em breve para Deus", não se coibiu de lavar os pés e enxugá-los a todos, sem excepção. E havendo alguma relutância da nossa parte em permitir que Ele no-lo faça, Jesus remete-nos para a necessidade imperiosa de colocarmos o orgulho de lado, dando lugar à humildade que O caracteriza. Deixemos que Ele nos limpe de dentro para fora para podermos desfrutar a Sua vida em nós. E a melhor forma de o demonstrar é imitar o Seu exemplo no quadro dos nossos relacionamento interpessoais. Sim, conforme Jesus nos disse: "Já sabem o que é preciso fazer. Felizes serão se o puserem em prática."

RELACIONAMENTOS COM JESUS

O Senhor Jesus privilegiou relacionamentos até ao fim. Nem a cruz O demoveu de desfrutar a companhia dos que Lhe eram próximos. Ele sente-Se em casa quando, os que por Si foram ou desejam ser renovados, O acolhem de braços abertos. Ele estava sempre pronto para Se sentar à mesa e partilhar vida. Do pão ao vinho tudo ao pé d’Ele sabe a céu. Agora a forma como cada pessoa aproveita o tempo com Ele é que varia consoante a (in)sensibilidade individual. Há quem não queira perder pitada do que Ele diz e sorva as Suas palavras. Outros, de tão gratos, só lhes apetece perfumar os Seus pés. De alma lavada, abrem a carteira, “soltam os cabelos” e o que mais estiver ao Seu alcance para expressar o amor que Lhe têm. Nada os pára, nem sequer os comentários preconceituosos, depreciativos ou gananciosos. Estes têm origem em corações impenetráveis que, por mais perto que tenham andado de Jesus, não O conhecem verdadeiramente. Não é chegado a Jesus quem prive com Ele, mas sim os que se Lhe submetem. Aqueles que percebem a mensagem da cruz, difundem-na por todo o lado e deixam um rasto de amor por onde passam.

ELE É O SENHOR!

Há imensas coisas que o Senhor Jesus fez das quais não temos conhecimento. Não estão registadas por escrito porque é humanamente inalcançável verter para palavras todos os sinais que operou. Quanto muito temos acesso a uma selecção dos Seus principais feitos, que são aliás mais do que suficientes para que cada pessoa possa concluir que Ele é inegavelmente O Salvador. Ninguém precisa de informação extra para reconhecer o Seu senhorio. Bem podemos escarafunchar e até especular que nada se acrescentará à Sua biografia. É impossível apresentar uma versão completa da Sua vida, até porque está para lá da nossa existência. Ele é eterno e nós finitos. Jamais poderemos encaixotá-Lo e ter a pretensão de O definir de alto a baixo. O Senhor Jesus está acima de tudo o que sobre Ele possa ser dito. O que não invalida o desejo de querer conhecê-Lo melhor. Assim, com os dados a que temos acesso sobre a Sua Pessoa aceitemos o convite para interagirmos com Ele dia após dia. A nossa vida só ganha o seu real significado quando finalmente interiorizamos que ela gira em torno d’Ele e Lhe pertence por inteiro.

O FILHO de DEUS

Bom seria que qualquer pessoa ao ver o Senhor Jesus caminhar na sua direcção reconhecesse de imediato que é Ele a sua Única tábua de salvação. Até porque não há outro que tire "o pecado do mundo." Aliás, sempre houve no decorrer da História quem se apresentasse como salvador da pátria, mas somente Jesus Cristo apareceu para pagar o preço cabal. Daí que Lhe tenha sido atribuído o título de "Cordeiro." Esta figura resume na perfeição o Seu sacrifício em nosso favor. Assim, discirna cada um por si a necessidade premente que tem de ser limpo por dentro. Só mesmo o Senhor Jesus para pôr em ordem o caos interior da alma humana. Sim, é Ele que nos dá o verdadeiro banho do Espírito e nos encharca no amor do Pai. Juntemos, pois, a nossa voz à daqueles que ao longo dos séculos têm declarado: "Eu vi e dou testemunho de que este é o Filho de Deus."

PEQUENOS!

Há quem faça de nós seres maiores do que realmente somos. A nossa única grandeza passa por ter a noção da nossa pequenez face ao Senhor Jesus. Por mais que insistam em elogiar as nossas qualidades e façanhas, importa travar os ímpetos ao ego. Quando as atenções estiverem todas centradas em nós, toca a desviá-las prontamente para Jesus. (E boa parte das vezes isto envolve ouvir e acarinhar os “pequeninos” e anónimos à nossa volta.) Resistamos à tentação de chamar a nós a admiração e o fascínio que os nossos procedimentos provoquem noutros, já que na verdade é o Espírito Santo a fazê-lo por e através de nós. Até porque lá no fundo ao colocarem-nos num pedestal e nós aceitando, estaremos ambos a cair na esparrela de remeter o Senhor para segundo plano. Quem dera que ao perguntarem-nos: “Que dizes de ti mesmo?”, haja discernimento para nos apresentarmos como simples amigos de Jesus, “de Quem não somos dignos de Lhe desatar as correias das sandálias”.

FAÇAMOS O QUE ELE DIZ!

Não há momento nas nossa vidas em que o Senhor Jesus não deseje estar presente. Ele faz questão de Se juntar a nós nos baixios, mas também nas alturas festivas. Não foi por acaso que o Seu primeiro milagre ocorreu num casamento. Lá estava Ele a festejar o entrelaçamento de duas vidas. Discreto, mas atento. Reservado, mas preparado. Chegada a notícia da carência, ei-Lo em acção para evitar o fiasco. A falta de vinho não era propriamente uma tragédia, contudo para os noivos seria uma vergonha. É claro que a Sua missão estende-se largamente além da imagem social que um casal possa ver afectada, mas não deixa de nas pequenas coisas revelar o Seu poder soberano. Haja, pois, da nossa parte total disponibilidade para agir conforme “tudo o que Ele nos disser”, mesmo que nos possa parecer um absurdo. Confiemos n’Ele por inteiro, e veremos que nos reserva o melhor para o final!

quarta-feira, 29 de abril de 2020

DEUS É POR NÓS!

Naquele que é conhecido como cântico da vitória (Romanos 8:31-39), o Apóstolo Paulo começa com uma premissa, que leva a uma conclusão em forma de questão (retórica).
O que ele quer deixar claro é que quando Deus é por nós, ninguém poderá ser contra nós. Pode se levantar; pode lutar; pode atacar; pode intentar. Mas não terá sucesso, não conseguirá vencer. Como diz Isaías: "Toda a ferramenta preparada contra ti, não prosperará; e toda a língua que se levantar contra ti em juízo, tu a condenarás. Esta é a herança dos servos do Senhor, e a sua justiça que vem de mim, diz o Senhor." (Isaías 54:17).
Muitas vezes, colocamos a ênfase no que vem contra nós - a força, a dimensão ou a complicação do que isso envolve. Ou em nós próprios, na nossa fragilidade ou limitações. Paulo ensina-nos a colocarmos o nosso foco em Deus e no facto de Ele ser por nós. Quando estamos n'Ele e Ele em nós, temos a plena garantia da vitória.
Certifica-te que estás com Ele e que Ele está contigo. E nada nem ninguém poderá desmoralizar-te, desanimar-te, derrubar-te ou derrotar-te. Paulo dá uma lista daquilo que pode vir contra nós: "...a tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?" (Romanos 8:35). E depois destas coisas ele declara: "Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores por Aquele que nos amou." (Romanos 8:37).

sábado, 25 de abril de 2020

RELACIONAMENTO COM JESUS

Enquanto nós andamos entretidos com as nossas rotinas, O Senhor Jesus não cessa de conversar com o Pai. O Seu desejo é dar-nos precisamente a conhecer a beleza desse relacionamento chegado com Deus. A cada dia, bem cedinho, lá está Ele pronto para nos amar, corrigir e encorajar. E não o faz só na teoria, nem sequer de forma mecânica. Até porque nos momentos em que outros nos chapam as nossas notórias misérias, Ele faz sobressair a Sua extravagante misericórdia. A esperança que nos é vedada pelos “imaculados religiosos”, é-nos escancarada pelo perdão de Jesus. A Sua graça suplanta a rigidez daqueles que se arvoram em arautos da perfeição. Os que procuram usar gente fragilizada para que Ele perca a fama de ser amigo dos pecadores ou seja acusado de fazer vista grossa ao pecado, podem garantidamente contar com uma coisa: O Senhor Jesus jamais entende que as pessoas sejam objectos ou armas de arremesso. Não há ninguém que esteja isento de espalhanços, pelo que, em vez de apontar o dedo ou arremessar pedras a terceiros, há que colocar a mão na consciência. No fim de contas ficamos a sós com Jesus e aí Ele, que é o Único que nos pode julgar, remete-nos amorosamente para o trilho da pureza diária.

TESTEMUNHAS

As pessoas com quem dividimos o lugar onde vivemos, seja cidades, vilas ou aldeias, acreditarão em Jesus quando lhes dermos testemunho do quanto Ele está por dentro das nossas vidas. Há que partilhar com a malta amiga, assim como com aqueles que nos são praticamente desconhecidos, a forma como Ele lida com os nossos podres. Falemos-lhes do espantoso conhecimento que tem sobre cada pedacinho da nossa história. E como os nossos trambolhões não O impedem de nos amar. Demos a conhecer o jeito especialíssimo com que nos sussurra ao ouvido e ao coração. Garantidamente muitos quererão encontrar-se com Ele. Aprenderão a entabular diálogo directamente com Jesus e tratarão de “Lhe pedir que fique com eles.” Cabe a cada vida desenvolver um relacionamento pessoal com Jesus, no entanto tal só será possível se alguém Lho apresentar. Façamo-lo sem cerimónias e quem dera que venhamos a escutar de alguns familiares ou vizinhos: “Agora cremos, não apenas por aquilo que tu nos contaste, mas porque nós mesmos O ouvimos. Temos a certeza que Ele é verdadeiramente o Salvador do mundo!”

quinta-feira, 23 de abril de 2020

OPORTUNIDADES PARA O PODER de DEUS

Quantas vezes ficas abatido diante de um desafio porque te sentes fraco?
O Apóstolo Paulo a determinada altura estava assim. Já tinha orado a Deus três vezes para Ele fazer alguma coisa sobre algo que o afligia, até que Deus lhe respondeu: "A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza..." (2Coríntios 12:9).
Então Paulo faz uma das suas melhores declarações: "...Porque quando estou fraco, então sou forte." (2Coríntios 12:10). Temos o costume de lamentar as nossas fraquezas. Mas o que é que Paulo fez? Orgulha-se das suas fraquezas! Porque entendeu o princípio: O mais importante é quem está com ele. Deus disse-lhe: "A minha graça te basta." E ele pensou: "Se Deus é comigo, com a Sua graça, a minha fraqueza não é um impedimento, mas um caminho para o poder de Deus."
E Paulo tornou-se um exemplo de superação, resiliência, persistência e de prosperar nos piores cenários. Foi não só o maior teórico da doutrina cristã, mas o maior ativista em prol da expansão do Evangelho.
Não lamentes as tuas fraquezas. Elas são um "íman" para o poder de Deus. Não lamentes as dificuldades. Elas são oportunidades para a força de Deus. Não é quem tu és, mas quem está contigo!

terça-feira, 21 de abril de 2020

SEMPRE CONNOSCO ATÉ AO FIM!

Antes de alguém partir, seja diante de uma viagem, ou da morte, deixa as indicações, ou orientações, aquelas que considera mais importantes.
Antes de subir ao Céu, o Senhor Jesus falou para os Seus discípulos indicações importantes; aquelas que pretendia que fossem constantemente consideradas e lembradas: "Estarei convosco todos os dias até à consumação dos séculos" (Mateus 28:20).
Queria que soubessem que, mesmo não O vendo, não estariam sozinhos; mesmo não O sentindo, não estariam desprotegidos; mesmo enfrentando as maiores dificuldades e adversários, não estariam desamparados. Deus seria com eles.
E essa seria a segurança da Igreja, a sua força, a sua paz, alegria, confiança e sucesso.
Aconteça o que acontecer, andes por onde andares, enfrentes o que enfrentares, precisas de saber que o Deus que tem "todo o poder no Céu e na Terra" (Mateus 28;18), será contigo todos os dias, em cada segundo de cada hora.
Porque o mais importante na tua caminhada e batalhas que surgirem, não é o que enfrentas, mas quem está contigo!

ALEGRIA NO CÉU

O SenhorJesus tem o maior prazer em estar com gente que assume as suas debilidades e imperfeições. Aliás, são os que se sentem esfarrapados por dentro que O procuram a todas as horas. Querem ouvir a Sua voz, pois é a única que os acalma. Deliciam-se com a companhia d’Ele, já que os acolhe como mais ninguém. A crítica venenosa da ala religiosa sobre o desplante de Jesus Se deixar rodear de malta tão estranha, é mel para os Seus ouvidos. Jesus está nas Suas sete quintas ao pé daqueles que se sentem perdidos, não dos que julgam ter saúde espiritual para dar e vender. Ele veio para os doentes da alma. Jesus carrega aos ombros “todo satisfeito” ovelhas feridas. Tão bom saber que o Seu amor abrange aqueles que os “santinhos” excluem: “Haverá mais alegria no Céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam de se arrepender.”

O BOM CHEIRO DE CRISTO

O Senhor Jesus privilegiou relacionamentos até ao fim. Nem a cruz O demoveu de desfrutar a companhia dos que Lhe eram próximos. Ele sente-Se em casa quando, os que por Si foram ou desejam ser renovados, O acolhem de braços abertos. Ele estava sempre pronto para Se sentar à mesa e partilhar vida. Do pão ao vinho tudo ao pé d’Ele sabe a céu. Agora a forma como cada pessoa aproveita o tempo com Ele é que varia consoante a (in)sensibilidade individual. Há quem não queira perder pitada do que Ele diz e sorva as Suas palavras. Outros, de tão gratos, só lhes apetece perfumar os Seus pés. De alma lavada, abrem a carteira, “soltam os cabelos” e o que mais estiver ao Seu alcance para expressar o amor que Lhe têm. Nada os pára, nem sequer os comentários preconceituosos, depreciativos ou gananciosos. Estes têm origem em corações impenetráveis que, por mais perto que tenham andado de Jesus, não O conhecem verdadeiramente. Não é chegado a Jesus quem prive com Ele, mas sim os que se Lhe submetem. Aqueles que percebem a mensagem da cruz, difundem-na por todo o lado e deixam um rasto de amor por onde passam.

TUDO É d'ELE

Há imensas coisas que o Senhor Jesus fez das quais não temos conhecimento. Não estão registadas por escrito porque é humanamente inalcançável verter para palavras todos os sinais que operou. Quanto muito temos acesso a uma selecção dos Seus principais feitos, que são aliás mais do que suficientes para que cada pessoa possa concluir que Ele é inegavelmente O Salvador. Ninguém precisa de informação extra para reconhecer o Seu senhorio. Bem podemos escarafunchar e até especular que nada se acrescentará à Sua biografia. É impossível apresentar uma versão completa da Sua vida, até porque está para lá da nossa existência. Ele é eterno e nós finitos. Jamais poderemos encaixotá-Lo e ter a pretensão de O definir de alto a baixo. O Senhor Jesus está acima de tudo o que sobre Ele possa ser dito. O que não invalida o desejo de querer conhecê-Lo melhor. Assim, com os dados a que temos acesso sobre a Sua Pessoa aceitemos o convite para interagirmos com Ele dia após dia. A nossa vida só ganha o seu real significado quando finalmente interiorizamos que ela gira em torno d’Ele e Lhe pertence por inteiro.

TESTEMUNHAS d'ELE

Bom seria que qualquer pessoa ao ver o Senhor Jesus caminhar na sua direcção reconhecesse de imediato que é Ele a sua Única tábua de salvação. Até porque não há outro que tire "o pecado do mundo." Aliás, sempre houve no decorrer da História quem se apresentasse como salvador da pátria, mas somente Jesus Cristo apareceu para pagar o preço cabal. Daí que Lhe tenha sido atribuído o título de "Cordeiro." Esta figura resume na perfeição o Seu sacrifício em nosso favor. Assim, discirna cada um por si a necessidade premente que tem de ser limpo por dentro. Só mesmo o Senhor Jesus para pôr em ordem o caos interior da alma humana. Sim, é Ele que nos dá o verdadeiro banho do Espírito e nos encharca no amor do Pai. Juntemos, pois, a nossa voz à daqueles que ao longo dos séculos têm declarado: "Eu vi e dou testemunho de que este é o Filho de Deus."

NÃO SOMOS DIGNOS

Há quem faça de nós seres maiores do que realmente somos. A nossa única grandeza passa por ter a noção da nossa pequenez face ao Senhor Jesus. Por mais que insistam em elogiar as nossas qualidades e façanhas, importa travar os ímpetos ao ego. Quando as atenções estiverem todas centradas em nós, toca a desviá-las prontamente para Jesus. (E boa parte das vezes isto envolve ouvir e acarinhar os “pequeninos” e anónimos à nossa volta.) Resistamos à tentação de chamar a nós a admiração e o fascínio que os nossos procedimentos provoquem noutros, já que na verdade é o Espírito Santo a fazê-lo por e através de nós. Até porque lá no fundo ao colocarem-nos num pedestal e nós aceitando, estaremos ambos a cair na esparrela de remeter o Senhor para segundo plano. Quem dera que ao perguntarem-nos: “Que dizes de ti mesmo?”, haja discernimento para nos apresentarmos como simples amigos de Jesus, “de Quem não somos dignos de Lhe desatar as correias das sandálias”.

RELACIONAMENTOS

O Senhor Jesus continua a a surpreender-nos todos os dias e em diferentes circunstâncias. Enquanto nós andamos entretidos a assegurar a subsistência diária, Ele tem na mira relacionamentos. E por mais que nos admiremos continua a insistir em não fazer acepção de pessoas. Sem qualquer tipo de excepções. Mesmo. Seja lá quem for a personagem que certa comunidade social ou religiosa rejeite, lá está Ele a cativar aquela vida. Mais, esse Seu jeito de agir deixa-nos siderados e sem palavras. Os preconceitos desmoronam-se perante a evidência e a força do Seu amor. Caem por terra as perguntas que se encavalitam na mente, mas que não nos atrevemos a colocar-Lhe por serem a prova da nossa tacanhez. Reparemos, sim, no impacto que a Sua graça tem no coração dos que por Ele são valorizados e acolhidos. Imitemos-Lhe o proceder. É assim que a fé se espalha e mais gente vai ter com Jesus.

FAÇAMOS O QUE ELE DIZ

Não há momento nas nossa vidas em que o Senhor Jesus não deseje estar presente. Ele faz questão de Se juntar a nós nos baixios, mas também nas alturas festivas. Não foi por acaso que o Seu primeiro milagre ocorreu num casamento. Lá estava Ele a festejar o entrelaçamento de duas vidas. Discreto, mas atento. Reservado, mas preparado. Chegada a notícia da carência, ei-Lo em acção para evitar o fiasco. A falta de vinho não era propriamente uma tragédia, contudo para os noivos seria uma vergonha. É claro que a Sua missão estende-se largamente além da imagem social que um casal possa ver afectada, mas não deixa de nas pequenas coisas revelar o Seu poder soberano. Haja, pois, da nossa parte total disponibilidade para agir conforme “tudo o que Ele nos disser”, mesmo que nos possa parecer um absurdo. Confiemos n’Ele por inteiro, e veremos que nos reserva o melhor para o final!

sábado, 14 de março de 2020

RELACIONAMENTOS

Jesus privilegiou relacionamentos até ao fim. Nem a cruz O demoveu de desfrutar a companhia dos que Lhe eram próximos. Ele sente-Se em casa quando, os que por Si foram ou desejam ser renovados, O acolhem de braços abertos. Jesus estava sempre pronto para Se sentar à mesa e partilhar vida. Do pão ao vinho tudo ao pé d’Ele sabe a céu. Agora a forma como cada pessoa aproveita o tempo com Ele é que varia consoante a (in)sensibilidade individual. Há quem não queira perder pitada do que Ele diz e absorve as Suas palavras. Outros, de tão gratos, só lhes apetece perfumar os Seus pés. De alma lavada, abrem a carteira, “soltam os cabelos” e o que mais estiver ao Seu alcance para expressar o amor que Lhe têm. Nada os pára, nem sequer os comentários preconceituosos, depreciativos ou gananciosos. Estes têm origem em corações impenetráveis que, por mais perto que tenham andado de Jesus, não O conhecem verdadeiramente. Não é chegado a Jesus quem prive com Ele, mas sim os que se Lhe submetem. Aqueles que percebem a mensagem da cruz, difundem-na por todo o lado e deixam um rasto de amor por onde passam.

MATURIDADE ESPIRITUAL

Todos os seres, incluindo os celestiais, têm de se apresentar um dia diante de Deus para Lhe prestar contas sobre as suas deambulações na terra e "arredores". E ao Seu olhar nada escapa. Nem as desgraças que nos atingem, muito menos o estofo com que as encaramos. Mesmo quando o mundo desaba debaixo dos nossos pés, ei-Lo pronto para honrar os que se mantêm humildes. Deus preza gente que cultiva a bondade e a honestidade a despeito das circunstâncias. Se há algo que Lhe enche as medidas é um coração ligado ao Seu e que procura por tudo resistir ao mal. Deus comove-Se quando apesar das perdas nos agarramos ainda com mais força a Ele. E contrariamente ao que mereceríamos, Deus espera sempre o melhor de nós. Sim, até quando somos varridos por adversidades que visam a nossa ruína, Deus alegra-se com a nossa resiliência e rectidão. Mais, quando o inimigo das nossas almas teima em beliscar o nosso relacionamento com Ele, colocando em causa os fundamentos do mesmo, Deus é o primeiro a deixar claro que nada nos arrebatará da Sua mão. Colocando n’Ele a nossa esperança, nem a mais agressiva doença nos levará a amaldiçoá-Lo. Lá por sofrermos horrores, “desde os pés à cabeça”, sentirmos uma necessidade desesperada de raspar o couro e o cabelo, ouvirmos os que nos são próximos a desafiar-nos à incredulidade, a solução não passa por “pronunciar palavras ofensivas contra Deus.” A maturidade espiritual passa por encaixar que a graça de Deus nos acompanha em qualquer situação, seja boa ou má!

LOUVEMOS A DEUS

“Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Teu nome dá glória”! Se há frase com que deveríamos arrancar muitos dos nossos diálogos com Deus é esta mesmo. Não nos faz mal nenhum sublinhar carradas de vezes que NÃO somos nós as figuras centrais da História. Deus é que deve ser destacado a todo o instante. Nunca será demais salientar o Seu amor e a Sua fidelidade. Contrariemos, pois, a tendência que temos de usurpar a atenção que só a Ele deve ser dada. Recusemo-nos desviar o foco d’Ele mesmo quando as circunstâncias da vida nos tiram o tapete. É que é precisamente quando estamos nas lonas que a malta sem fé nos interroga insistentemente onde pára o nosso Deus. Haja em nós o discernimento para perceber que, para lá do emaranhado de pontas soltas e nós sucessivos, Ele na Sua soberania está a cuidar de nós. Deus “faz tudo aquilo que Lhe apraz” e visando sempre o nosso bem. Já os ídolos deste mundo têm pés de barro, pois são de fabrico humano. Podem até reluzir muito, mas é sol de pouca dura. Aparentam ter tudo e nada têm. Prometem mundos e fundos, mas as mãos estão apenas cheias de nada. São ocos e os seus seguidores não lhes ficam atrás. Não incorramos neste erro de projectar em pessoas ou artefactos o relacionamento que deveríamos estabelecer directamente com Deus. Moldemo-nos a Ele ao invés de O procurarmos ajustar à imagem que fazemos d’Ele. Resolvamos simplesmente confiar n’Aquele que nos “ajuda e protege.” Todos sem excepção, pequenos e graúdos, reconheçamos o Seu favor e busquemos a Sua bênção. Mais, façamos da nossa passagem na Terra uma caminhada incessante de louvor ao Seu Nome!

SEJAMOS GRATOS

Todos os dias há novos motivos para agradecer a Deus. Ele renova a cada manhã a Sua fidelidade para connosco. Deus proporciona-nos o "nascer" do sol sem falhar. E mesmo quando não vemos os seus raios, sabemos perfeitamente que ele brilha para lá das nuvens ou do nevoeiro cerrado. Mas maior do que essa benção é a certeza no nosso coração de que somos profundamente amados por Ele. Aliás, não há nada que Ele queira mais do que nos ter perto de Si. Daí que cada habitante da Terra tenha motivos de sobra para cantar sem parar. Despertemo-nos uns aos outros para admirar e imitar o carácter do Criador. Coloquemo-Lo no topo das nossas conversas, anunciando por actos as Suas maravilhas. Comecemos, desde logo, por espelhar a beleza do Seu amor. Demos-Lhe prioridade face a tudo o resto, até porque não há ninguém, nem valor material, que se Lhe equipare. Realcemos e interiorizemos que não há ídolos terrenos, sejam da área científica, artística, desportiva, política, económica ou qualquer outra, que O ofusquem. Nada valem comparados a Ele. Basta dizer isto para todos tirarem o cavalinho da chuva: "Foi o Senhor que criou os céus!” Baixemos todos a crista e admitamos o Seu poder. Demos-Lhe a honra devida, oferecendo-Lhe o melhor. De casa à escola; do templo ao trabalho. Juntemo-nos com alegria à natureza que celebra o Seu domínio. "Proclamemos ao mundo inteiro: Deus é Rei!"

segunda-feira, 2 de março de 2020

A NOSSA DECLARAÇÃO DE FÉ PARA 2020


EU CREIO QUE SOU FILHO de DEUS COMPROMETIDO COM A SUA CAUSA (IGREJA). 1Coríntios 12:20-26

A MINHA FÉ E A MINHA ESPERANÇA ESTÁ UNICAMENTE NO SENHOR JESUS CRISTO. Efésios 2:12,13

EU CREIO QUE DEUS É O MEU LIBERTADOR, O MEU PROVEDOR E SUFICIENTE PARA MIM, QUE NUNCA FALHA, E QUE MESMO NAS MINHAS HORAS MAIS SOMBRIAS A MINHA CONFIANÇA ESTÁ n’ELE. Habacuque 3:17,18

DOU-LHE O PRIMEIRO LUGAR DA MINHA VIDA E ESCOLHO VIVER DE FORMA GENEROSA, E EM OBEDIÊNCIA À SUA PALAVRA. Filipenses 2:1-9

EU CREIO QUE O SEU FAVOR ESTÃO NA MINHA VIDA, NA MINHA CASA E NOS MEUS PROJECTOS, POIS ELE SIDO GENEROSO PARA COMIGO. 1Timóteo 1:13,14

EU CREIO QUE DEUS TRABALHA EM MIM ATRAVÉS DO SEU ESPÍRITO SANTO. Romanos 8:11

POR TUDO ISTO A NOSSA ORAÇÃO PARA ESTE ANO É: “USA-NOS SENHOR E FAZ ALGO ATRAVÉS DE NÓS, QUE POSSAMOS TOCAR NA VIDA DAQUELES QUE NOS RODEIAM!”
Mateus 5:13-16

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

ELE (DEUS) QUER IR AO TEU LADO

Tal como hoje, as pessoas no tempo de Jesus Cristo andavam cansadas e sobrecarregadas. Desgastadas pelos embates da vida; desanimadas pelas dificuldades das circunstâncias. Mas a dada altura, o Senhor Jesus fez um convite impressionante: "Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei." (Mateus 11:28). Mas o método para isto acontecer é que é verdadeiramente intrigante: "Tomais sobre vós o meu jugo..." (Mateus 11:29).
O jugo, ou canga, é a peça que faz com que dois bois fiquem juntos a puxar um carro, ou arado. O Senhor Jesus estava a dizer às pessoas que não era a ausência da carga que iria dar-lhes descanso, era a Sua presença!
O Senhor Jesus quer ensinar-nos que o descanso não é a ausência do trabalho, é termos a Sua companhia e ajuda no trabalho. Ele quer que nós possamos compreender que o mais importante na nossa caminhada, não é o que enfrentamos, mas quem está connosco. Por isso, põe o teu jugo! Não leves a carga sozinho. Ele quer estar contigo, ao teu lado, levar a carga quando já não consegues, quando te faltar a força e liderar o teu caminho quando já não sabes, e assim "...encontrareis descanso para as vossas almas." (Mateus 11:29).

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

DEUS É CONNOSCO!

Deus nunca pretendeu ficar distante do homem. Criou-o para amá-lo e para estar com ele. Por isso, quando o homem se afastou, Deus aproximou-se. Quando o homem se perdeu, Deus veio resgatá-lo. Quando o homem perdeu a presença, Deus fez-se presente. Quando o homem perdeu a semelhança de Deus, Deus adquiriu a semelhança de homem. Quando o homem perdeu o Espírito (de Deus), Deus fez-Se carne (de homem). Deus não ficou em cima no Céu, desceu até à Terra. Não ficou agarrado à Sua posição de Deus, tornou-Se homem! Nasceu como nós, viveu entre nós...
Por isso foi-Lhe dado o nome que já tinha sido profetizado pelo profeta Isaías: "Emanuel, que quer dizer: Deus connosco." Deus podia ter destruído o homem que disse: "Não há Deus!" Poderia ter abandonado o homem que disse: "Não quero Deus!" Mas fez o improvável: Veio até nós na Pessoa de Jesus Cristo. Em carne e osso, para nos garantir: DEUS ESTÁ CONNOSCO! Ele quis que não tivéssemos quaisquer dúvidas de que Ele está connosco! 

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

NÃO PREVALECERÃO

Podes enfrentar muitos embates, muitas adversidades e adversários. Podem pelejar contra ti, lutar, caluniar, provocar, complicar, intentar, etc. Podes estar debaixo de fogo ou ser atacado por "todos os lados". Podes sentir que já não aguentas mais, que não suportas mais; que estás fragilizado e vulnerável. Cabisbaixo e desanimado. Mas lembra-te: "Não prevalecerão". Pela razão insuperável, incontornável e irresistível: "Eu Sou contigo, diz o Senhor." (Jeremias 1:8). Porque o mais importante na tua caminhada e batalhas que surgirem, não é quem vem contra ti, mas quem está contigo! Não importa o que é. Não importa quem é. Não importa quantos são. Não importa o seu tamanho. Não importam as suas armas. Não importam as suas estratégias. Não importam os seus intentos. Não importam as suas astúcias. "Não prevalecerão, pois eu sou contigo, diz o Senhor, para te livrar," Esta é uma promessa de Deus para nós: "Arma alguma voltada contra ti terá sucesso; e ser-te-á feita justiça sempre que quiserem condenar-te na base da mentira. Esta é a herança, é o ganho dos servos do Senhor. Esta é a benção que vos dei, diz o Senhor." (Isaías 54:17).

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

ELE PASSA CONTIGO

A maioria das pessoas valoriza em demasia aquilo pelo qual passa. Lamenta quando algo é difícil; alegra-se quando quando algo é aprazível. Mas o mais importante da vida não é aquilo que passas. Passarás por coisas boas; passarás por coisas dolorosas. O segredo não é como evitar passar pelas coisas negativas. Isso não é possível. Deus não disse: "Se passares...", como se fosse algo condicional. Disse: "Quando passares..." (Isaías 43:2), como se fosse algo certo.
O que importa é como passas pelo que passas. Amargurado? A lamentar? A reclamar de tudo e de todos? Mais ainda: Com quem passas? Sozinho? Mal acompanhado? Ou com Deus? Só porque passas por situações difíceis não quer dizer que Deus te abandonou. Deus promete: "Estarei contigo todos os dias.". Porque o mais importante na tua caminhada e batalhas que surgirem, não é o que atravessas, mas com quem atravessas. O que te faz submergir não são as águas; o que te queima não é o fogo. É afastares-te de Deus! Mas Ele promete, porque é o Seu desejo, e quer que seja a tua experiência e segurança: "Estarei contigo!"

domingo, 2 de fevereiro de 2020

O SENHOR DOS EXÉRCITOS É CONTIGO!

O salmista enumera uma série de catástrofes num nível elevadíssimo: "a terra mude"; "os montes se transportem para o meio dos mares"; "as águas rujam e se perturbem"; "os montes se abalem" (Salmo 46;2,3). Referiu também que "As nações levantam-se em fúria, agitam-se de raiva" (Salmo 46:6). Por um lado, um ambiente completamente adverso. Por outro, adversários furiosos em larga escala. Seria caso para entrar em colapso; para desesperar e entrar em pânico. Mas a reacção do salmista é outra: "Pelo que não temeremos..." (Salmo 46:2). Como é possível não temer o temível? Como não ficar perturbado com a perturbação? Como não ficar em crise com a crise? A sua resposta: "O Senhor dos exércitos está connosco. O Deus de Jacó é o nosso refúgio." (Salmo 46:7). Qualquer tragédia da e na Terra não o perturbava porque estava com ele, Aquele que está por cima de tudo o que se passa na Terra. 
Não importa "o que"...arma-te da convicção de que o mais importante quando batalhas as tuas batalhas, que o Senhor dos exércitos é contigo!

quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

APRENDE COM DAVID

A história de David é uma história de batalhas. Como pastor de ovelhas, enfrentou um urso e um leão. Como adolescente, enfrentou o gigante Golias. E depois, como rei, enfrentou todos os povos ao seu redor. E foi vitorioso nas suas batalhas. Foi um grande conquistador, que alcançou prosperidade e paz para a sua nação. Deus lembrou-lhe o segredo de todo o seu sucesso. Não residiu na sua perícia e estratégia, mas no facto de Deus ser com ele. Deus sempre fez a diferença desde a grande vitória sobre Golias. Sem armadura e armas sofisticadas, até às inúmeras batalhas travadas com todos os seus inimigos. Aprendamos com David. Não precisamos de ser especialistas, precisamos sim d'Aquele que é, que sabe e que pode!
Os desafios podem ser muitos. Desce opositores selvagens como o leão e o urso. Ou de grande proporções como Golias. Ou em grandes quantidades, como os numerosos povos inimigos. Mas todos poderemos superar quando sabemos que o mais importante nas nossas batalhas, é quem está connosco!

sábado, 25 de janeiro de 2020

SERÁS VALENTE E VITORIOSO

No tempo de Gedeão, os midianitas tinham escravizado o seu povo, os israelitas. A única abundância era a escassez. A vergonha permeava a vida do seu povo. Até que Deus apareceu a Gedeão e disse-lhe algo que revolucionou a sua vida: "O Senhor é contigo, homem varão valoroso." (Juízes 6:12).
Gedeão estranhou muito aquela palavra porque não conseguia sentir que Deus era com ele e com o povo, uma vez que estavam a experimentar tempos muitos difíceis. Também não se conseguia ver como um valente, pois era o mais pequeno, na família mais pequena, na tribo mais pequena de Israel. Mas Deus reforçou: "Porquanto Eu hei-de ser contigo, tu ferirás aos midianitas como se fossem um só homem." (Juízes 6:16).
Deus queria que ele compreendesse que ele tornar-se-ia valente ao descobrir e viver a realidade de Deus ser com ele. E que teria uma grande vitória sobre um povo muito numeroso, como se fosse uma tarefa fácil. Porque tudo dependeria de Deus ser com ele. E foi o que realmente aconteceu. Deus despediu milhares de soldados do exército e com poucos deu uma grande vitória a Gedeão. Para que ele soubesse que não foi pela força do exército, mas porque Deus era com eles.
Talvez enfrentes uma situação esmagadora pelas suas proporções, e sentes-te pequeno tal como Gedeão se sentia. Mas Deus promete que será contigo, de tal forma que serás valente e vitorioso!