sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O AMOR de DEUS É IMPLACÁVEL

O amor de Deus é implacável, além da nossa compreensão. O poder do amor de Deus é incessante, inflexível (Romanos 8:35-39).
Quando amamos alguém, mas não somos amados de volta temos a suprimir os nossos sentimentos e lutamos para ser amados. Mas Deus não luta; O amor implacável é o Seu domínio. O Seu amor flui independentemente da nossa situação, da nossa circunstância, do nosso desempenho ou da nossa capacidade. É um amor incondicional, que vem a nós, não importa onde estejamos ou o que fizemos (“Por amor do meu nome retardarei a minha ira, e por amor do meu louvor me conterei para contigo para que te não venha a cortar.” Isaías 48:9).
O Seu amor pode invadir cada área da nossa vida e trazer novos começos; Mesmo quando o nosso mundo está caindo aos pedaços, quando a nossa saúde está a falhar, quando os nossos relacionamentos estão quebrados além do reparo. Ele nos convida continuamente a receber o implacável amor de Jesus Cristo (“Vinde a Mim todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei.” Mateus 11:28).
Através de Jesus Cristo, o amor de Deus tem o poder de nos libertar e renovar.
Que possamos aprender a trazer sempre as nossas circunstâncias e limitações diante do Seu trono, permitindo que Ele as transforme e nos infiltre vitória no nosso coração, espírito e mente.

Permitamos sempre que Ele inspire vida em nós e nas nossas circunstâncias; Vida que não passa, mas é sustentada pela torrente sempre fluindo do implacável amor de Deus! (“Enches de água os seus sulcos, regulando a sua altura; amolece-la com a muita chuva; abençoas as suas novidades.” Salmo 65:10; “Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará ao romper da manhãSalmo 46:4,5).

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

O FOGO DO ESPÍRITO

Vivemos numa época e num tempo em que o Espírito de Deus está sendo derramado. A Bíblia nos encoraja a ouvir o que o Espírito está dizendo à Igreja (“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.” Apocalipse 3:22) Quando estamos cheios do Espírito, apaixonamo-nos pela Palavra de Deus e pela Sua noiva, a Igreja. Imagine como as nossas vidas e os nossos ministérios podem florescer.
Andamos com, escutamos e somos fortalecidos pelo Seu Espírito.
Quando a Bíblia tenta nos explicar como é o Espírito Santo, muitas vezes usa a imagem de "fogo". O avivamento é Deus curvando-se para as brasas moribundas de um incêndio, a ponto de estarem quase a apagarem-se, e soprar até que ele exploda mais uma vez em chamas.
Em 2Timóteo 1:6, Paulo diz a Timóteo para ele despertar o dom que Deus lhe deu. Deus também nos tem dado um ou mais dons. E ao fazermos isso, na fé, temos de acreditar que Ele vai respirar vida em nós.
Este dom tem muitos lados: Cura, salvação, libertação, poder para testemunhar, etc.

Precisamos de ter uma expectativa de receber com gratidão a nova vida que Ele tem para nós. Precisamos estar activamente envolvidos neste processo se quisermos ver o renascimento e a vida não só nas nossas vidas pessoais, mas também dentro das nossas comunidades e nas pessoas que lidamos no dia-a-dia.

domingo, 18 de dezembro de 2016

MAIS PRÓXIMO

É evidente que vivemos num mundo desesperado e faminto. Não temos que olhar para muito longe para ver que as pessoas estão procurando por algo real, algo mais. Como crentes somos a certeza de uma esperança que nunca falha. Nós confiamos que só Jesus pode preencher o vazio do mundo, que continuamente tenta preencher, esse vazio, com outras coisas.
 Precisamos de ter um coração de adoração que deseja uma maior intimidade com o Criador do Universo. Mais do que isso, Ele deseja esta proximidade connosco. Tiago 4:8 diz: “Chegai-vos a Deus, e Ele se chegará a vós…”
Não há vida, não há esperança, não há futuro, não há visão, não há sonhos, sem Ele; Ele é o começo e o fim. Paulo exorta a igreja em Colossenses para estar firme em Cristo, porque a vida começa quando morremos para a carne e nascemos n’Ele (“E, quando vós, estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com Ele, perdoando-vos todas as ofensas.”) Colossenses 2:13
Ele é O “algo mais e algo real” que a Humanidade anseia.
 Que possamos sempre chegar até Ele e sempre habitar na Sua presença, porque lá nós realmente encontramos vida e ganhamos vida (Salmo 42:1).

Então, caminhemos corajosamente para a sala do trono da graça - porque nós podemos! Hebreus 10:19 Tende pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus.” Aprende a sentar-te a Seus pés e a estar sempre perto d’Ele, dando-lhe toda a atenção que merece pois ele é o Rei dos reis.

sábado, 17 de dezembro de 2016

SUPERAR O MEDO

 Quando Pedro tentou falar com Jesus sobre o que estava para vir (sofrimento e morte), Jesus repreendeu-o fortemente. Eu acredito que esses pensamentos de tomar o caminho mais fácil vêm do medo. Não podemos imaginar como vamos passar por uma provação dolorosa, por isso queremos ir pelo primeiro caminho que vemos. Nós não queremos sofrer.
 A resposta para superar o medo é a fé. A fé não é automática; é uma escolha que nós fazemos para acreditar no amor de Deus para nós e para a integridade da Sua Palavra.  
 Hebreus 13:5, diz: “Não te deixarei, nem te desampararei.” Então vamos com plena confiança dizer: “O Senhor é o meu auxílio; Eu não terei medo. O que o homem pode fazer para mim?”  
Ele prometeu nunca nos deixar ou nos abandonar e que Ele nos guiará através dos nossos dias mais escuros.
Quando andarmos pelo vale, quando virarmos uma esquina e vimos um caminho difícil cheio de dor e sofrimento à nossa frente, só podemos ir em frente!
Com Deus ao nosso lado nós podemos confiantemente proclamar diante do medo: "Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor para sempre " (Salmo 23:6)

Que medo tu precisas conquistar hoje pela fé?

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

BENÇÃOS POR OUVIR A VOZ de DEUS


Deuteronómio 28:1-14
Nós muitas vezes não entendemos a plenitude da revelação e do dom da salvação, mas na verdade a salvação não é nada sem um Salvador. Se colocarmos Jesus fora do centro da nossa salvação, ficamos com uma religião sem vida que é impulsionada por obras mortas.
Estamos a exaltar Jesus, quando O colocamos no centro das nossas vidas e no centro da nossa salvação. Quando fazemos isso, percebemos que Deus nos dá uma salvação que é abundante, cheia de bênçãos e oportunidades.
Então, muitas vezes nas nossas vidas nos concentramos nas circunstâncias, em vez da posição que a salvação nos concede (Hebreus 10:19: “Tendo pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus.”).
Quando fazemos isso tudo o que vemos são os factos, que podem ser desanimadores. Mas se optarmos por nos concentrarmos nas palavras e promessas de Deus começamos a ver a verdade, e como diz a Bíblia "A verdade vos libertará".
         Será que estamos deleitando-nos no Senhor, e viver de acordo com as Suas promessas? Se sim, então os nossos desejos vão alinhar-se com o Seu (Salmo 37:4: “Deleita-te no Senhor, e Ele concederá o desejo do teu coração.”)
Em Deus e com Deus, podemos ter desejos grandes que levam os milagres a acontecer. Quais são as orações em nossos lábios que precisam de ser poderosas? Orações por cura, por libertação, por saúde, por domínio sobre as coisas que nos governam e protecção contra a oposição sobrenatural (Actos 4:31: “E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos, e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a Palavra de Deus.”).

 Com Deus todas as coisas são possíveis. Precisamos de ter corações cheios de fé e de expectativa (Actos 3:5: “E olhou para eles, esperando receber deles alguma coisa.”).

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

UM CORAÇÃO IMUNE À SABOTAGEM

Tu consegues compreender que o teu coração pode ser danificado e minado? Se permitirmos que a negatividade ou ofensa de outra pessoa entre no nosso coração, estará sabotando a tua vida. O que Deus tem para nós é valioso demais para permitirmos que o nosso coração seja dominado e roubado pela derrota de alguém, pelo cinismo ou pessimismo.  
Nunca será demais reforçar isso: Se nós não guardarmos o nosso coração, 'coisas' ruins vão juntar-se a ele e vão apegar-se à nossa vida. Davi estava determinado de que não deixaria isso acontecer com ele: “Um coração perverso se apartará de mim…” (Salmo 101:3,4)
Perverso significa distorcido. Algo muda, algo se transforma. Não estivemos já todos numa conversa com pessoas que depois que vão embora e parece que deixam algo em nós, que simplesmente não nos sentimos bem?
Se eu me expor ao coração incorrecto, eu irei olhar através de uma lente diferente, e a minha perspectiva fica distorcida.  
Às vezes o amor toma decisões duras. Em 2Tessalonicenses 3:6, o Apóstolo Paulo foi bem claro: “Mandamos-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que andar desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu.”
 Evita-os, porque tu tens que cuidar do teu próprio coração! (“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida.” Provérbios 4:23).

Mantém um coração recto quando se trata de pessoas com problemas e negatividade. Queremos viver as nossas vidas sendo uma benção para as pessoas, ajudando e alcançando as pessoas - mas é diferente de permitir que o que vai no coração de outras pessoas se apodere do nosso.

PARCERIAS


Acredito que Deus liga pessoas com o propósito do Reino crescer (“Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.” Efésios 4:16). Sabias que existem pessoas com as quais és chamado a viver e cujos propósitos estão ligados ao teu?
Frequentas a tua igreja porque gostas do Pastor, do louvor ou por outra razão qualquer? A melhor razão para ir à Igreja é porque tu acreditas que Deus salvou-te para seres parceiro de alguém.
Ser membro não é preencher um formulário, mas sim ter um espírito que compreende o poder da parceria. (Eclesiastes 4:9; 1Coríntios 1:10; Efésios 4:16).
Parcerias fazem todos parecerem melhores do que são - "Somos melhores juntos".
Uma das parcerias mais importantes na tua vida é com o teu cônjuge, e é por isso que a decisão de com quem te vais casar é tão importante.
Nunca subestimes a importância e o poder das pessoas que Deus coloca na tua vida.
Em Atos 13:2 (“E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.”) está claro que Deus separou Barnabé e Paulo especificamente para trabalharem juntos.
Depois de um tempo, eles tiveram um desentendimento e acabaram indo em direcções diferentes, ainda que Deus os tivesse unido em parceria. Não temos ideia do que aconteceu com Barnabé depois disso porque a Bíblia não o mencionou mais. Talvez ele tenha subestimado o poder da parceria.
Atitudes negativas como orgulho ou falta de perdão afectam a maneira como vemos as parcerias na nossa vida. Eu já vi pessoas começarem a sentir como se todos estivessem vivendo dos seus talentos, pensando que tudo é sobre elas. Infelizmente, elas descobriram da maneira difícil que as coisas não eram tanto a respeito delas como pensavam. Tudo, ao que Igreja diz respeito, só tem a ver com Jesus.
No meu ministério seria um grande erro pensar que de alguma maneira eu poderia ter feito ou continuado a fazer o que eu faço sem uma equipa me ajudando, porque Deus nos ligou para um tempo específico, para um propósito do Reino de Deus.
2Coríntios 6:14 diz: "Não vos prendeis a um jugo desigual com os infiéis..." O que isso significa? É verdade que não devemos nos unir com descrentes, mas ainda pior é se unir com um crente descrente, que é aquele cristão que diz "Ah sim, eu creio" mas quando diz respeito a realmente confiar em Deus e colocá-Lo primeiro na sua vida, estão sempre arrastando a corrente.

Quem são o teu "eles"? No que diz respeito a parcerias na vida, estás em jugo igual? Um espírito correto no que diz respeito a parcerias significa que estamos nisso juntos. Se tu entenderes o poder de trabalhar junto em parcerias ordenadas por Deus, verás as Suas benção e o Seu propósito do Reino acontecerem na tua vida.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

A SEGURANÇA DA SALVAÇÃO

Como crentes em Cristo temos recebido da Sua parte uma segurança efectiva e real. A segurança em Cristo é uma realidade e está baseada unicamente da Obra Salvadora de Jesus Cristo.
- Segurança Completa (Mateus 28:20). A nossa segurança emana do facto de que nunca seremos abandonados pelo Senhor.
- Segurança de Vida Eterna (1João 5:13). O Senhor Jesus não deixou dúvidas quando Se referiu à vida eterna que os salvos gozarão ao Seu lado. Quando os Seus discípulos tinham dúvidas, Jesus dava-lhes segurança (João 14:1-3). Na cruz, Jesus dirigiu palavras de segurança ao ladrão que se arrependeu (Lucas 23:43).
- Promessas de Segurança feitas pelo próprio Jesus (João 10:28). Estas palavras têm o poder de gerar completa segurança na alma do salvo.
- Evidências da Segurança (Romanos 8:16). Esta certeza da segurança não parte de nós mas do Espírito Santo que habita em nós. E estamos, também seguros porque Jesus intercede por nós à dextra de Deus (Hebreus 4:14). Jesus assegura-nos paz no coração, resposta às nossas orações, poder e vida vitoriosa. A nossa segurança resulta ainda do conhecimento que temos de Cristo. Quem é, e o Que Ele é (Génesis 17:1; Salmo 46:1; Mateus 28:18).

Os salvos estarão sempre seguros durante o tempo em que permanecerem n’Ele.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

LUZ

O que é a luz? Os cientistas não podem defini-la. Mas o importante não é a definição; O que importa é que exista a luz.
- A importância da luz. Pessoas, animais e plantas buscam a luz. Há alegria ao ver o sol nascer e uma certa tristeza em vê-lo a pôr-se.
- Mas a que tipo de luz se referia o Senhor? Luz eléctrica ou de outra fonte? Jesus falava, sim, da luz espiritual que deve irradiar da vida de cada crente salvo (“A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz. Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se portanto a luz que há em ti são trevas, quando grandes serão tais trevas.” Mateus 6:22).
 Jesus disse de Si mesmo que Ele era a Luz (“Eu Sou a Luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em Mim não permaneça nas trevas.” João 12:46).
E a luz que irradiamos é a Sua Palavra, ou seja, os Seus ensinos (“Lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra, e luz para o meu caminho.” Salmo 119:105).
Mas será que isso sucede com cada um de nós? Será a nossa vida um nascer do sol, ou somos apenas portadores das sombras do sol-posto? (“E esta é a mensagem que d’Ele ouvimos, e vos anunciamos: Que Deus é luz, e n’Ele não há trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com Ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus cristo, Seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” 1João 1:5-7).
Que inspiramos nos outros? Alegria ou desgosto?
Buscam os outros a nossa companhia como as plantas buscam o sol?

A luz de uma vela num lugar descampado pode ser vista a cerca de 3kms! E a nossa? (2Coríntios 3:1-13).

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O SENHOR PROVERÁ

A vida de Abraão ensina-nos várias coisas:
Primeiro: Podemos caminhar com Deus, e no entanto não saber os detalhes do nosso destino (Hebreus 11:8).
Segundo: Quando Deus nos faz uma promessa, o cronograma é da responsabilidade d’Ele. Abraão esperou 20 anos pelo nascimento de Isaque e pelo cumprimento da promessa (Génesis 12:2).
Terceiro: Por vezes erramos antes de acertar. Cansado de esperar, Abraão gerou Ismael. Se ele tivesse esperado, Isaac teria nascido no tempo de Deus. Por vezes, os nossos maiores erros vêm da impaciência.
Quarto: A vida de Abraão ensina que podemos ter fé numa área e no entanto sentir medo noutra. Quando Abraão chegou a Gerar o rei Abimelech gostou da sua mulher Sara. Pensando apenas nele, Abraão disse: “É minha irmã” (Génesis 20:2). Todos nós temos os nossos "momentos Gerar" quando nos enterramos no medo, no interesse pessoal ou nas exigências dos outros, Se não fosse pela graça de Deus, todos seríamos desclassificados.

Depois lemos: "depois destas coisas” (Génesis 22:1,2). Repara nas palavras "depois destas coisas". Os testes pelos quais temos passado começam a fazer sentido quando enfrentamos o maior de todos os testes. Quando o passamos, como Abraão, podemos chamar Deus "Jeová Jireh", que significa “O Senhor proverá” (Génesis 22:14). E, nessa altura, o Senhor dirá: “Agora chegaste ao lugar onde te posso usar.”

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

CAIR

Está escrito em Daniel 8:18, que o profeta caiu, ninguém assoprou para derrubá-lo, e imediatamente o Senhor o levantou. O versículo anterior diz que Daniel, por espontânea vontade, caiu de joelhos, prostrado, em sinal de adoração, caindo para a frente. Da mesma forma, em Daniel 10.9, Daniel cai para a frente, com o rosto em terra, bem diferente dos “neovertiginosos” que caem para trás. Em Ezequiel 43:3, ele prostra-se com o rosto em terra, em sinal de reverência.
Quando à queda de Paulo, em Actos 9, é necessário entender que se tratava de um pecador, um perseguidor que, a partir dessa experiência, tornou-se um grande pregador e ensinador da Palavra de Deus. Contudo, a Bíblia não regista outras situações em que o Apóstolo tenha caído e tampouco ele próprio faz apologia de tal prática. Em Actos 20:20, Paulo enfatiza que jamais deixou de anunciar coisa alguma proveitosa, ensinando publicamente e de casa em casa. Se tal costume fosse útil, ou prática corrente, não haveria dúvidas que o Apóstolo teria recomendado aos seus obreiros para ministrarem o “cair no poder”, facto não ocorrido em nenhuma das suas epístolas. O que não é bíblico, não queremos no nosso meio.
Nas três vezes em que homens caem, no Novo Testamento, o termo no original grego é “pesotes prosekinsan”, que significa cair prostrado em sinal de devoção (Mateus 2:11; Apocalipse 1:17; 5:14).
Das 518 vezes que o verbo cair, aparece na Bíblia, 400 têm sentido pejorativo, como cair da presença de Deus, cair em pecado, cair em desgraça, cair em enfermidade, etc. 100 vezes refere-se a quedas de objectos, casas e fenómenos da natureza. Apenas 18 têm sentido positivo, como semente caindo em boa terra, etc. Destas, há 11 em que os homens de Deus caem para a frente em sinal de reverência, nunca para trás, em toda a Bíblia. Cair para trás, e não para a frente, está associado normalmente a pecado ou desobediência (1Samuel 4:18).
As pessoas que sopram, ou pregam sobre a queda, são apreciadas pela plateia como obreiros “super-heróis”, enquanto as pessoas que caem são consideradas mais espirituais que aquelas que não caem, pois estas são também vistas como insensíveis e, portanto, incrédulas. Isto gera dúvidas, sectarismo e constrangimentos.
Que uma pessoa possa cair cheia do Espírito Santo, até se pode admitir, mas fazer disso parte da liturgia, com cultos rotulados de “cair no poder”, torna estranho tudo que o Novo Testamento nos ensina.
Quanto à “nova unção”, João fala (1João 2:26,27), temos uma referência que se encaixa no assunto abordado: “Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam. E a unção, que vós recebestes d’Ele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a Sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim n’Ele permanecereis.”

Desse modo, não pode haver uma nova unção, e sim uma renovação. “Nova unção” pressupõe um novo evangelho; portanto, um evangelho estranho. Em Gálatas 1:8, Paulo escreveu: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” 

domingo, 30 de outubro de 2016

JESUS, A PEDRA DE ESQUINA

Desde os tempos antigos, a pedra angular é de vital importância na construção de um edifício. A pedra angular era a pedra fundamental utilizada nas antigas construções, caracterizada por ser a primeira a ser assente na esquina do edifício, formando um ângulo recto entre duas paredes. A partir da pedra angular, eram definidas as colocações das outras pedras, alinhando toda a construção.
A pedra angular é o elemento essencial que dá existência àquilo que se chama o fundamento da construção. Actualmente, a pedra angular seria semelhante ao fundamento dos prédios contemporâneos.
 O Salmo 118:22 diz que a pedra que foi rejeitada tornou-se a pedra angular. Em Isaías 28:16 diz que esta pedra preciosa de esquina, novamente falando sobre Jesus, é um alicerce seguro e não há necessidade de pânico para aqueles que dependem d’Ele.
Imagine viver num edifício alto. Se a pedra angular foi feita de um material que foi mais fraco do que o resto da estrutura, ou não foi colocada correctamente, todo o edifício está comprometido!
Como seria viver dentro daquele prédio e confiar a tua vida quando algo coloca pressão sobre essa base? Por vezes, podemos encontrar-nos apoiados em diferentes fundações ou em diferentes pontos na nossa vida. Algumas "pedras angulares" podem ser muito atraentes e estáveis, mas última análise, essas pedras vão-nos levar à desilusão.
Jesus é o único caminho para a salvação e comunhão com Deus. Estávamos totalmente incapazes de nos salvar a nós mesmos, pois o nosso pecado nos separava de Deus. Através do Seu trabalho na cruz, Jesus usou-Se como a pedra angular, o fundamento seguro sobre o qual a nossa relação e ligação de volta para o nosso Criador pode ser feita.

Só Jesus, O Filho de Deus, tinha o poder de fazer isso por nós. Ele é o alicerce sobre o qual podemos construir uma vida com uma garantia sólida e uma confiança para o futuro. Podemos viver uma vida livre do medo e preocupação e com um conforto que vem do amor insuperável de Deus. Cristo é a pedra angular para cada parte da nossa vida.

sábado, 29 de outubro de 2016

A BENÇÃO DA RECEPTIVIDADE

Como é fácil estar escutando, mas não realmente ouvir; ou ouvir, mas não estar ligado. Podemos perder em tanto porque nos falta receptividade.
Deus dá-nos oportunidades mas nós podemos estar vivendo alheios, porque não vivemos as nossas vidas de uma forma aberta, receptiva. Por outro lado, se somos capazes de receber, então estamos abertos a aprender e a crescer.
Quando vivemos as nossas vidas de uma maneira receptiva, podemos mudar a atmosfera - e definir o tom espiritual - das nossas vidas, das nossas casas, do lugar onde estamos, da nossa igreja, e, assim, tirar o melhor dos outros.
O Senhor Jesus nos diz que a medida que usamos é a mesma medida que será de volta para nós. Então, se nós ouvimos, mas não estamos receptivos, então estamos estabelecendo a medida que vai voltar para nós (“E não podia fazer ali obras maravilhosas; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos.” Marcos 6:5).
A atmosfera das nossas casas, lugares de trabalho, escola, relacionamentos, amizades, vida espiritual e Igreja, dependerá da nossa prontidão e desejo de sermos estimulados, para aprender e para crescer.

Nós precisamos de viver as nossas vidas num ambiente de antecipação, expectativa, fé e receptividade em que a medida que usamos é realmente trazer a medida que Deus quer para a nossa vida.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

CONFERÊNCIA XCEL MEN'S


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

CONFIANÇA SEM MEDO

Quando lemos a Bíblia, há inúmeras histórias que ilustram a confiança sem medo de que temos acesso pelo Espírito Santo que trabalha dentro de nós. Seja de Davi com Golias, ou Josué e os seus exércitos marchando em torno de muros de Jericó, foi confiança sem medo que os acompanhava.
Confiança: Sentimento de quem confia, de quem acredita na sinceridade de algo ou de alguém. Crença em si mesmo, nas suas próprias qualidades. Esperança; disposição ou tendência para ver tudo pelo lado bom.
Medo: Estado emocional provocado pela consciência que se tem diante do perigo. Sentimento de ansiedade sem razão fundamentada. Grande inquietação em relação a algo desagradável, a possibilidade de um insucesso etc..
Sem: Ausência, condição.
Outra dessas histórias inspiradoras encontramos em Actos 4, quando Pedro e João se encontravam presos por proclamar a ressurreição de Jesus Cristo para o povo em Jerusalém. A Bíblia diz que depois que eles foram libertos da prisão, tornaram a reunir-se com os seus amigos, e oraram assim “Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra. Enquanto estendes a tua mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome do teu santo Filho Jesus. E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos, e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a Palavra de Deus.” (Actos 4:29-31)
  Eles todos foram cheios do Espírito Santo e continuaram a falar a Palavra de Deus com confiança sem medo.
O que ressalta de importante nesta passagem é que a primeira coisa que Pedro e João fizeram, após a sua libertação, foi reunirem-se com os seus amigos e orarem a Deus para dar-lhes confiança sem medo, para puderem continuar a pregar a Sua mensagem.
Paulo diz em 1Coríntios 2:4,5: “A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e poder. Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.”

Descobri que às vezes nos preocupamos muito com o que devemos dizer, quando se trata de compartilhar a nossa fé e tomar uma posição, quando a verdade o que dá peso é o que dizemos debaixo do poder do Espírito Santo dentro nós. É essa atitude que vai fazer com que tenhamos confiança sem medo!

sábado, 22 de outubro de 2016

A CHAVE

Um dia Abraão enviou o seu servo Eliezer para que encontrasse uma esposa para o seu filho Isaac. Ao parar ao pé de um poço, Eliezer orou (Génesis 24:12-14). E antes que ele acabasse de orar aparece Rebeca, que diz que ela própria tiraria a água para os camelos de Eliezer.
Rebeca não fazia ideia nenhuma de que Eliezer podia mudar a sua vida. Ela não sabia que o seu gesto lhe abriria a porta para uma grande benção. No tempo do Velho testamento, era costume oferecer água a um estranho; chamava-se a isso a lei da hospitalidade. Os judeus acreditavam naquilo que está escrito aos Hebreus 13:2: “Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.”  
Mas quem é que se lembraria de se oferecer para dar de beber a dez (Génesis 24:10) camelos sedentos? Um camelo pode beber até 150 litros de água! Não era uma tarefa fácil! Rebeca foi generosa para um completo estranho, procurando apenas a alegria de servir. O que ela não sabia era que estes camelos a levariam até Isaac, e que ela se tornaria sua noiva, que seria coberta de riquezas e faria parte da família de Cristo.
Então, se nós queremos avançar na vida, apareçamos cedo, fiquemos até tarde, trabalhemos mais, sejamos honestos e estejamos prontos para resolver problemas e não criá-los ou alimentá-los.
Vivamos segundo os ensinamentos de Cristo: “E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.” Mateus 5:41.

A chave para o sucesso é fazer não apenas o que é esperado, mas um pouco mais!

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

NÃO PODEMOS DESCER

Neemias estava ocupado com a restauração dos muros de Jerusalém, destruído pelos babilónios. Tão bem foi sucedido o trabalho daquele homem de Deus, que os seus vizinhos lhe tramaram a morte. Sambalate, Tobias e Gesém, manhosamente convidaram-no para "um encontro amistoso" para matá-lo traiçoeiramente (Neemias 6:2). Ele escapou daquele laço porque estava ocupado com uma obra muito importante (Neemias 6:3).
Nos dias que vivemos há muitas oportunidades para "descer" com os "sambalates" e "tobias". Sim, o mundo e o pecado atraem cada vez mais, para descermos da elevada posição em que nos encontramos em Cristo Jesus ("E nos ressuscitou juntamente com Ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus." (Efésios 2:6).
José preferiu enfrentar a cadeia a descer o vale da imoralidade.
João Batista também foi convidado a descer. Se ele tivesse modificado um pouco a sua pregação, poderia ter evitado a prisão e o degolamento. Mas João Batista recusou-se a descer ao nível de imoralidade que vivia aquele monarca. O Apóstolo Paulo também recusou descer. Quando foi preso e levado à presença de governadores não se calou, mas falou o Evangelho de Cristo. Preferiu enfrentar o próprio imperador a comprometer o Evangelho.
Recusou descer ao nível moral e espiritual daqueles que o perseguiam
Cristo recusou-se a descer da cruz (Mateus 27:42). Naquela tarde histórica no Calvário, Ele estava ocupado com o grande trabalho de libertar as nossas almas da morte eterna. Ao redor dessa cruz apareceram também os "sambalates e os tobias", os escarnecedores judaicos. A resposta do Salvador, embora expressa pelo mais profundo silêncio, foi esta:
"Estou fazendo uma grande obra, de maneira que não poderei descer"!

Descer, jamais, porque o caminho do salvo é na direcção do céu de onde aguardamos a volta do Senhor! (1Tessalonicenses 1:10).

domingo, 16 de outubro de 2016

PROVAS DA RESSURREIÇÃO DE JESUS

No tempo do Senhor Jesus, quando um carpinteiro terminava um trabalho, era costume lavar as suas mãos, secá-las num pano de linho, dobrá-lo e deixá-lo em cima da sua obra. Aquele pano era a sua marca. Qualquer pessoa que visse a obra saberia que o trabalho estava pronto. No domingo da ressurreição, Pedro viu “…que o lenço, que tinha estado sobre a Sua cabeça, não estava com os lençóis, mas enrolado num lugar à parte…e creu.” (João 20:7,8). Os cientistas dizem que as provas infalíveis vêm depois de repetidas experiências e de múltiplas confirmações. Aqui ficam cinco provas infalíveis de que Jesus ressuscitou:
- Maria Madalena viu-O (João 20:16,18).
- Mais que uma mulher foi ao túmulo e viram-No (Mateus 28:9).
- Os discípulos falaram com Ele (João 20:20).
- Os Apóstolos reconheceram-No (Actos 1:11).
- 500 Pessoas testemunharam que O viram (1Coríntios 15:6).
A ressurreição de Cristo é a base da nossa salvação e a esperança sobre a qual a nossa eternidade se apoia.

Num culto de Páscoa no Bangladesh, uma congregação estava a ver um filme sobre Jesus, e quando foi a cena da crucificação todos desataram a chorar. Mas, subitamente um rapazinho levantou-se e disse bem alto: “Não se preocupem, Ele vai levantar-se outra vez! Eu já vi esse filme!”

domingo, 2 de outubro de 2016

VISTO E OUVIDO

A cada semana as pessoas de todas as idades e culturas são tocados pelo poder do Espírito Santo. A pessoa do Espírito Santo está trabalhando na nossa fé e Deus está mudando a vida das pessoas. Vidas de oração estão em chamas.
 Deus está-se movendo de muitas maneiras e está sempre incentivando o espírito das pessoas a desejarem mais d’Ele.  
Parte da visão para a nossa Igreja é que cada pessoa esteja ligada a Deus, através de Jesus, e onde a Pessoa do Espírito Santo está activamente trabalhando de tal maneira que onde é derramado não pode ser ignorado.
Alguma vez já tiveste de dizer a alguém que há algo diferente em ti, ou então, alguém perguntar por que tu mostras sempre que há esperança, que há solução, que há uma saída?
O nosso relacionamento com Deus muda-nos para melhor. Alegria substitui a tristeza. A esperança substitui o desespero. A expectativa substitui a dúvida.
Ansiamos por encontrar o Espírito Santo de tal maneira que Ele é visto e ouvido!
Conforme caminhamos, vamos estar sempre esperando que o Santo Espírito transforme todas as áreas das nossas vidas; os nossos relacionamentos, e em todas as áreas da vida da Igreja.
Este tipo de expectativa muda a atmosfera dos nossos cultos e opera resultados nas pessoas que estão sendo cheios do Espírito Santo. Não há como negar que o Espírito Santo se move.
Vamos decidir ser pessoas que continuamos a procurar apaixonadamente o Espírito Santo (“E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos, e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a Palavra de Deus.” Atos 4:31).
Vamos acreditar que as pessoas podem ouvir, encontrar e sentir Deus de uma maneira como nunca lhes aconteceu, e quando vão embora, acreditem! (“Se pois toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem línguas estranhas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estão loucos? Mas, se todos profetizarem, e algum indouto ou infiel entrar, de todos é convencido, de todos é julgado. Os segredos do seu coração ficarão manifestos, e assim, lançando-se sobre o seu rosto, adorará a Deus, publicando que Deus está verdadeiramente entre vós.” 1Coríntios 14:23-25).

Procuremos criar uma atmosfera onde algo pode acontecer e provavelmente vai acontecer.

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O MELHOR DOS DOIS MUNDOS

Diz-se que o Barão Fitzgerald, um homem muito rico, só teve uma criança, um filho. No início da sua adolescência, a mãe do menino morreu. Tragicamente, no final da sua adolescência, o menino também morreu. Entretanto, o património do Barão aumentou bastante, devido à aquisição de obras de arte dos maiores mestres da Europa.
Antes da sua morte, o Barão deixou instruções explícitas para que toda a sua colecção de arte fosse vendida num leilão. Juntou-se uma grande multidão de possíveis compradores e as obras de arte ficaram disponíveis, para que todos as vissem antes do leilão começar. Entre os quadros, havia um que recebeu muito pouca atenção. Tinha pouca qualidade e era de um artista local desconhecido - era o retrato do filho único do Barão. O leilão começou e o leiloeiro leu do testamento do Barão Fitzgerald, que deixava bem claro que, o primeiro a ser vendido seria o quadro do "meu querido filho".
Por causa da sua fraca qualidade, o quadro não recebeu nenhuma oferta - excepto uma. O licitante era um antigo empregado que tinha ajudado a criar o menino e que o amava profundamente. Por menos de um euro, ele comprou o quadro. O leiloeiro encerrou a licitação e pediu ao advogado para ler outra vez o testamento. A multidão estava silenciosa, enquanto ele lia: "Quem comprar este quadro do meu filho, fica com toda a minha colecção de arte.” E o leilão terminou ali, mesmo antes de começar!

Jesus: Sem Ele, não temos nada. Com Ele, temos o melhor dos dois mundos: Deste, e do que há-de vir!

sábado, 24 de setembro de 2016

CÁLICE TRANSBORDANTE

Nos tempos do Velho Testamento quando uma pessoa era convidado para ir a casa de alguém, o anfitrião da casa tinha um sinal especial para que a pessoa convidada percebesse se estava ou na hora de se ir embora: Se o anfitrião continuasse a encher o copo do convidado, significava que ele era bem-vindo. Mas se o copo continuasse vazio significava que estava na hora de sair.
Foi por isso que Davi escreveu: “…o meu cálice transborda…” (Salmo 23:5). Ele estava a dizer que Deus que tinha todo o tempo para ele! Ele era “convidado” de Deus, e Deus encheu-lhe o cálice de maneira que transbordava! Deus tinha prazer na companhia de Davi, e “enchia-lhe” o cálice! Significava que Davi podia estar sempre na presença de Deus. Deus não se fartava dele. Deus não se farta da nossa presença!
Quando estamos nos nossos piores dias, podemos achar que o nosso copo não tem nada, a não ser uns restos de vida colados a ele. Mas se pararmos para pensar bem sobre isso, vamos ver que o nosso copo está cheio de coisas boas, até a cima. Por exemplo, está cheio da graça de Deus: “Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça.” Romanos 5:20.
Deus não deixa que o pecado esvazie o nosso “copo”. Ele cobre-o com o sangue de Jesus. O nosso “copo” de misericórdia transborda.

Quer nos vejamos como um “copo meio cheio” ou “copo meio vazio”, hoje a realidade é esta: Deus quer encher o nosso “copo” até transbordar!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

LOBOS


A Bíblia usa a analogia do pastor, do lobo e das ovelhas para descrever a dinâmica da vida de uma igreja (Mateus 7:15; 10:16; João 10:12; Actos 20.29).
Mas afinal que analogia pretende a Bíblia fazer com a introdução deste predador na dinâmica da Igreja? Pretende alertar Pastores e ovelhas para a existência de um tipo de pessoas que procuram uma coisa apenas: A sua própria alimentação e sobrevivência.
Um lobo não tem preocupações com o rebanho, mas sim e apenas com ele, e a sua subsistência. Um lobo luta pela vitória da sua razão, e à custa do sacrifício do rebanho, pois o mais importante para ele é o seu bem-estar, a sua imagem, as suas razões, nunca o rebanho. Mas a Bíblia diz: “…cada um considere os outros superiores a si mesmo.” (Filipenses 2:3) ou “Então, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.” (Gálatas 6:10)
Um lobo não é quem discorda do pastor, quem argumenta com ele, quem a ele pede uma explicação. Um lobo é quem ataca os fracos, débeis, que andam inseguros e tremidos na sua fé, é a estes que se junta, de quem se aproxima furtivamente.
Um lobo ataca os isolados, os que andam desligados do rebanho, pois, como qualquer bom predador, sabe que quem anda desligado mais facilmente será sua presa. Mas a Bíblia diz: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em redor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.” (1Pedro 5:8)
 Um lobo não enfrenta os fortes, um lobo não enfrenta o pastor, um lobo não se anuncia a si próprio, age na sombra, na penumbra, isolando os fracos, que por motivos diversos andam desanimados, enfraquecidos ou até confusos e, no momento certo, disfere o seu ataque mortal, aproxima-se de quem anda desligado, seduz, engana e, desfere o seu ataque letal de novo.
Quem é claro, transparente, visível, audível e mesmo por vezes discordando, não é um lobo.
A Bíblia diz:Meus filhinhos não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade.” (1João 3:18)
Um lobo age na escuridão, camuflado (pele de ovelha), evita a presença dos mais fortes e saudáveis, pois sabe que aí, as suas hipóteses diminuem drasticamente.
Devemos focar-nos nas ovelhas, mas andar atento aos lobos. Ovelha trata-se com amor e tolerância, ovelha erra, desanima, cai, levanta-se, desorienta-se, etc.

Um lobo, para bem do rebanho, não deve ser tratado com tolerância, mas com firmeza, tenacidade, coragem, sem medo e de peito feito. Humilde para com as ovelhas, de joelhos por elas, mas de pé diante de um lobo…sempre! A Bíblia diz: “Sujeitai-vos pois a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” (1Pedro 4:7).

terça-feira, 13 de setembro de 2016

VIVENDO GRANDE

Em outras palavras, viver de forma compassiva, graciosamente e abrangente. Paulo disse aos Coríntios que a "pequenez" vem de dentro de nós, e não de Deus. A porta de entrada para o conhecimento de Deus é apertada e restrita quando tentamos fazê-lo sozinhos. Quando a nossa mente não pode compreender a obra milagrosa de Cristo, então em vez de permitir que a Sua graça nos ajude, nós criticamos ou rejeitamos o que não entendemos e evitamos o desconhecido.  
Através de Jesus, temos a liberdade e a vida, propósito e poder, alegria e paz. A porta estreita nunca vai fazer de nós pessoas menores. Nunca somos segundos, quando colocamos Deus em primeiro lugar. Pelo contrário, há muitas promessas na Bíblia que falam dos benefícios de colocar Deus em primeiro lugar. Provérbio 3:6 diz: “Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas.”
E quando isto acontece as pessoas vão ver algo diferente em ti, algo sobrenatural, um vislumbre de Cristo. Outras pessoas podem tentar silenciá-lo, ou porque afirmam conhecer Deus, ou porque não O conhecem e não podem entender as coisas de Deus.

Vivendo grande através do poder do Espírito Santo capacita-te a mover-te em tudo o que Deus tem, e te obriga a falar a verdade sobre quem Ele é e o que Ele fez.  

TODAS AS COISAS

Deus é Deus sobre todas as coisas. É bom, nós servirmos a um Deus que é bom e que tem o poder de tomar cada coisa e trabalhá-la para o nosso bem. Deus promete fazer que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que o amam e são chamados por Seu decreto. Quando vivemos as nossas vidas de acordo com a Sua finalidade, a nossa vocação e amor a Deus, faz com que todas as coisas contribuam juntamente para o bem e as nossas vidas podem testemunhar a Sua bondade (“Oh! Quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, e que Tu mostraste àqueles que em ti confiam na presença dos filhos dos homens!” Salmo 31:19).
Amar a Deus e vivendo para o propósito de Deus, traz a bondade de Deus às nossas vidas (“Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida…” Salmo 23.6). Nós amamos Deus na nossa vida devocional e por estarmos comprometidos com Ele somos fiéis na vida profissional. Quando vivemos as nossas vidas de acordo com a Palavra de Deus, acredito que Ele vai seguir-nos com as Suas promessas, e nós entendemos que não é a nossa força ou esforço que traz a Sua bondade nas nossas vidas, mas a confiança que Ele está sempre connosco trabalhando todas as coisas para o nosso bem (“Bem-aventurado aquele a quem Tu escolhes, e fazes chegar a ti, para que habite em teus átrios; nós seremos satisfeitos da bondade da tua casa e do teu santo templo.” Salmo 65:4).
 O que quer que esteja acontecendo nas nossas vidas, quando colocamos Deus em primeiro lugar podemos confiar que Ele nos dá força para fazer todas as coisas que Ele nos chamou para fazer. Jesus é o Senhor de todos e Deus colocou todas as coisas debaixo dos Seus pés (Hebreus 2:8). Porque Jesus é o Senhor, podemos viver as nossas vidas com um sentimento de vitória e expectativa de superar todas as coisas por meio d’Ele (“Posso todas as coisas n’Aquele que me fortalece.” Filipenses 4:13).
 Em todas as coisas nós damos glória a Deus e ficamos comprometidos em amá-Lo. Deus dirige todas as coisas de acordo com a Sua vontade. Quando acreditamos que Ele está trabalhando em todas as coisas para o bem, a nossa fé é fortalecida e a nossa vida é mantida no Seu propósito.
Deus tem o poder de fazer tudo de novo. Ele de corações partidos e desfeitos, pode torná-los inteiros. Jesus nos transforma no interior e n’Ele encontramos uma abundante vida abençoada, que traz fruto de uma vida saudável do lado de fora.
 Em vez de vermos as coisas que conspiram contra nós, encontramos todas as coisas trabalhando juntas para o nosso bem, se formos fiéis a Deus e fazer tudo o que Ele nos chamou para fazer.

Comprometemo-nos a manter uma perspectiva que busca conhecê-Lo, falando o nome de Deus em todas as situações e confiando que Deus vai trabalhar todas as coisas de acordo com a Sua vontade nas nossas vidas.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Vivendo no Seu Reino

Jesus venceu a morte e subiu aos céus. Estes são os pilares da nossa vida cristã e da nossa fé. Ele está vivo, o que significa que ele é o actual Rei que reina. Um Rei eterno, para nunca mais ser substituído!
A Sua majestade não é apenas dentro da esfera das nossas vidas pessoais, estende-se a toda a Terra, para cada pessoa e criatura, na verdade a todo o Universo. Toda a criação! (Salmo 147)
  Ele está na nossa vida do dia-a-dia, nos nossos locais de trabalho, nas nossas escolas, nas nossas amizades, nas nossas casas e nos nossos momentos privados. O senhorio de Jesus se estende a todos esses lugares.
Estamos ansiosos para o futuro e o cumprimento do reino de Cristo em todo o seu esplendor e todo o seu poder, o reino eterno onde não haverá choro, nem dor. Um reino que começou e está entre nós agora (“Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus.” Mateus 4:17). Um reino que se estende a todas as áreas da nossa vida e a cada parte da criação. Este reino espera de nós uma resposta de louvor e honra a Deus.

 Ele não é apenas Senhor de cada parte da nossa vida, Ele também é o Senhor sobre toda a criação. Ele é o Senhor de todos!

WEBTV ClubeMais+