segunda-feira, 28 de novembro de 2016

UM CORAÇÃO IMUNE À SABOTAGEM

Tu consegues compreender que o teu coração pode ser danificado e minado? Se permitirmos que a negatividade ou ofensa de outra pessoa entre no nosso coração, estará sabotando a tua vida. O que Deus tem para nós é valioso demais para permitirmos que o nosso coração seja dominado e roubado pela derrota de alguém, pelo cinismo ou pessimismo.  
Nunca será demais reforçar isso: Se nós não guardarmos o nosso coração, 'coisas' ruins vão juntar-se a ele e vão apegar-se à nossa vida. Davi estava determinado de que não deixaria isso acontecer com ele: “Um coração perverso se apartará de mim…” (Salmo 101:3,4)
Perverso significa distorcido. Algo muda, algo se transforma. Não estivemos já todos numa conversa com pessoas que depois que vão embora e parece que deixam algo em nós, que simplesmente não nos sentimos bem?
Se eu me expor ao coração incorrecto, eu irei olhar através de uma lente diferente, e a minha perspectiva fica distorcida.  
Às vezes o amor toma decisões duras. Em 2Tessalonicenses 3:6, o Apóstolo Paulo foi bem claro: “Mandamos-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que andar desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu.”
 Evita-os, porque tu tens que cuidar do teu próprio coração! (“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida.” Provérbios 4:23).

Mantém um coração recto quando se trata de pessoas com problemas e negatividade. Queremos viver as nossas vidas sendo uma benção para as pessoas, ajudando e alcançando as pessoas - mas é diferente de permitir que o que vai no coração de outras pessoas se apodere do nosso.

PARCERIAS


Acredito que Deus liga pessoas com o propósito do Reino crescer (“Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.” Efésios 4:16). Sabias que existem pessoas com as quais és chamado a viver e cujos propósitos estão ligados ao teu?
Frequentas a tua igreja porque gostas do Pastor, do louvor ou por outra razão qualquer? A melhor razão para ir à Igreja é porque tu acreditas que Deus salvou-te para seres parceiro de alguém.
Ser membro não é preencher um formulário, mas sim ter um espírito que compreende o poder da parceria. (Eclesiastes 4:9; 1Coríntios 1:10; Efésios 4:16).
Parcerias fazem todos parecerem melhores do que são - "Somos melhores juntos".
Uma das parcerias mais importantes na tua vida é com o teu cônjuge, e é por isso que a decisão de com quem te vais casar é tão importante.
Nunca subestimes a importância e o poder das pessoas que Deus coloca na tua vida.
Em Atos 13:2 (“E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.”) está claro que Deus separou Barnabé e Paulo especificamente para trabalharem juntos.
Depois de um tempo, eles tiveram um desentendimento e acabaram indo em direcções diferentes, ainda que Deus os tivesse unido em parceria. Não temos ideia do que aconteceu com Barnabé depois disso porque a Bíblia não o mencionou mais. Talvez ele tenha subestimado o poder da parceria.
Atitudes negativas como orgulho ou falta de perdão afectam a maneira como vemos as parcerias na nossa vida. Eu já vi pessoas começarem a sentir como se todos estivessem vivendo dos seus talentos, pensando que tudo é sobre elas. Infelizmente, elas descobriram da maneira difícil que as coisas não eram tanto a respeito delas como pensavam. Tudo, ao que Igreja diz respeito, só tem a ver com Jesus.
No meu ministério seria um grande erro pensar que de alguma maneira eu poderia ter feito ou continuado a fazer o que eu faço sem uma equipa me ajudando, porque Deus nos ligou para um tempo específico, para um propósito do Reino de Deus.
2Coríntios 6:14 diz: "Não vos prendeis a um jugo desigual com os infiéis..." O que isso significa? É verdade que não devemos nos unir com descrentes, mas ainda pior é se unir com um crente descrente, que é aquele cristão que diz "Ah sim, eu creio" mas quando diz respeito a realmente confiar em Deus e colocá-Lo primeiro na sua vida, estão sempre arrastando a corrente.

Quem são o teu "eles"? No que diz respeito a parcerias na vida, estás em jugo igual? Um espírito correto no que diz respeito a parcerias significa que estamos nisso juntos. Se tu entenderes o poder de trabalhar junto em parcerias ordenadas por Deus, verás as Suas benção e o Seu propósito do Reino acontecerem na tua vida.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

A SEGURANÇA DA SALVAÇÃO

Como crentes em Cristo temos recebido da Sua parte uma segurança efectiva e real. A segurança em Cristo é uma realidade e está baseada unicamente da Obra Salvadora de Jesus Cristo.
- Segurança Completa (Mateus 28:20). A nossa segurança emana do facto de que nunca seremos abandonados pelo Senhor.
- Segurança de Vida Eterna (1João 5:13). O Senhor Jesus não deixou dúvidas quando Se referiu à vida eterna que os salvos gozarão ao Seu lado. Quando os Seus discípulos tinham dúvidas, Jesus dava-lhes segurança (João 14:1-3). Na cruz, Jesus dirigiu palavras de segurança ao ladrão que se arrependeu (Lucas 23:43).
- Promessas de Segurança feitas pelo próprio Jesus (João 10:28). Estas palavras têm o poder de gerar completa segurança na alma do salvo.
- Evidências da Segurança (Romanos 8:16). Esta certeza da segurança não parte de nós mas do Espírito Santo que habita em nós. E estamos, também seguros porque Jesus intercede por nós à dextra de Deus (Hebreus 4:14). Jesus assegura-nos paz no coração, resposta às nossas orações, poder e vida vitoriosa. A nossa segurança resulta ainda do conhecimento que temos de Cristo. Quem é, e o Que Ele é (Génesis 17:1; Salmo 46:1; Mateus 28:18).

Os salvos estarão sempre seguros durante o tempo em que permanecerem n’Ele.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

LUZ

O que é a luz? Os cientistas não podem defini-la. Mas o importante não é a definição; O que importa é que exista a luz.
- A importância da luz. Pessoas, animais e plantas buscam a luz. Há alegria ao ver o sol nascer e uma certa tristeza em vê-lo a pôr-se.
- Mas a que tipo de luz se referia o Senhor? Luz eléctrica ou de outra fonte? Jesus falava, sim, da luz espiritual que deve irradiar da vida de cada crente salvo (“A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz. Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se portanto a luz que há em ti são trevas, quando grandes serão tais trevas.” Mateus 6:22).
 Jesus disse de Si mesmo que Ele era a Luz (“Eu Sou a Luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em Mim não permaneça nas trevas.” João 12:46).
E a luz que irradiamos é a Sua Palavra, ou seja, os Seus ensinos (“Lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra, e luz para o meu caminho.” Salmo 119:105).
Mas será que isso sucede com cada um de nós? Será a nossa vida um nascer do sol, ou somos apenas portadores das sombras do sol-posto? (“E esta é a mensagem que d’Ele ouvimos, e vos anunciamos: Que Deus é luz, e n’Ele não há trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com Ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus cristo, Seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” 1João 1:5-7).
Que inspiramos nos outros? Alegria ou desgosto?
Buscam os outros a nossa companhia como as plantas buscam o sol?

A luz de uma vela num lugar descampado pode ser vista a cerca de 3kms! E a nossa? (2Coríntios 3:1-13).

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O SENHOR PROVERÁ

A vida de Abraão ensina-nos várias coisas:
Primeiro: Podemos caminhar com Deus, e no entanto não saber os detalhes do nosso destino (Hebreus 11:8).
Segundo: Quando Deus nos faz uma promessa, o cronograma é da responsabilidade d’Ele. Abraão esperou 20 anos pelo nascimento de Isaque e pelo cumprimento da promessa (Génesis 12:2).
Terceiro: Por vezes erramos antes de acertar. Cansado de esperar, Abraão gerou Ismael. Se ele tivesse esperado, Isaac teria nascido no tempo de Deus. Por vezes, os nossos maiores erros vêm da impaciência.
Quarto: A vida de Abraão ensina que podemos ter fé numa área e no entanto sentir medo noutra. Quando Abraão chegou a Gerar o rei Abimelech gostou da sua mulher Sara. Pensando apenas nele, Abraão disse: “É minha irmã” (Génesis 20:2). Todos nós temos os nossos "momentos Gerar" quando nos enterramos no medo, no interesse pessoal ou nas exigências dos outros, Se não fosse pela graça de Deus, todos seríamos desclassificados.

Depois lemos: "depois destas coisas” (Génesis 22:1,2). Repara nas palavras "depois destas coisas". Os testes pelos quais temos passado começam a fazer sentido quando enfrentamos o maior de todos os testes. Quando o passamos, como Abraão, podemos chamar Deus "Jeová Jireh", que significa “O Senhor proverá” (Génesis 22:14). E, nessa altura, o Senhor dirá: “Agora chegaste ao lugar onde te posso usar.”

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

CAIR

Está escrito em Daniel 8:18, que o profeta caiu, ninguém assoprou para derrubá-lo, e imediatamente o Senhor o levantou. O versículo anterior diz que Daniel, por espontânea vontade, caiu de joelhos, prostrado, em sinal de adoração, caindo para a frente. Da mesma forma, em Daniel 10.9, Daniel cai para a frente, com o rosto em terra, bem diferente dos “neovertiginosos” que caem para trás. Em Ezequiel 43:3, ele prostra-se com o rosto em terra, em sinal de reverência.
Quando à queda de Paulo, em Actos 9, é necessário entender que se tratava de um pecador, um perseguidor que, a partir dessa experiência, tornou-se um grande pregador e ensinador da Palavra de Deus. Contudo, a Bíblia não regista outras situações em que o Apóstolo tenha caído e tampouco ele próprio faz apologia de tal prática. Em Actos 20:20, Paulo enfatiza que jamais deixou de anunciar coisa alguma proveitosa, ensinando publicamente e de casa em casa. Se tal costume fosse útil, ou prática corrente, não haveria dúvidas que o Apóstolo teria recomendado aos seus obreiros para ministrarem o “cair no poder”, facto não ocorrido em nenhuma das suas epístolas. O que não é bíblico, não queremos no nosso meio.
Nas três vezes em que homens caem, no Novo Testamento, o termo no original grego é “pesotes prosekinsan”, que significa cair prostrado em sinal de devoção (Mateus 2:11; Apocalipse 1:17; 5:14).
Das 518 vezes que o verbo cair, aparece na Bíblia, 400 têm sentido pejorativo, como cair da presença de Deus, cair em pecado, cair em desgraça, cair em enfermidade, etc. 100 vezes refere-se a quedas de objectos, casas e fenómenos da natureza. Apenas 18 têm sentido positivo, como semente caindo em boa terra, etc. Destas, há 11 em que os homens de Deus caem para a frente em sinal de reverência, nunca para trás, em toda a Bíblia. Cair para trás, e não para a frente, está associado normalmente a pecado ou desobediência (1Samuel 4:18).
As pessoas que sopram, ou pregam sobre a queda, são apreciadas pela plateia como obreiros “super-heróis”, enquanto as pessoas que caem são consideradas mais espirituais que aquelas que não caem, pois estas são também vistas como insensíveis e, portanto, incrédulas. Isto gera dúvidas, sectarismo e constrangimentos.
Que uma pessoa possa cair cheia do Espírito Santo, até se pode admitir, mas fazer disso parte da liturgia, com cultos rotulados de “cair no poder”, torna estranho tudo que o Novo Testamento nos ensina.
Quanto à “nova unção”, João fala (1João 2:26,27), temos uma referência que se encaixa no assunto abordado: “Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam. E a unção, que vós recebestes d’Ele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a Sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim n’Ele permanecereis.”

Desse modo, não pode haver uma nova unção, e sim uma renovação. “Nova unção” pressupõe um novo evangelho; portanto, um evangelho estranho. Em Gálatas 1:8, Paulo escreveu: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” 

WEBTV ClubeMais+