terça-feira, 25 de junho de 2024

O CAMINHO CRISTÃO

 

Ainda hoje O Senhor Jesus nos manda calar quando teimamos em apregoar aos outros uma vida cheia de facilidades. O caminho cristão não se pinta apenas com tons de rosa, pois tem igualmente cores escuras, pesadas até. Às vezes temos o coração ainda a pairar nas nuvens pelos momentos de inspiração vividos com Ele que perdemos a noção da realidade. E é exatamente por causa de darmos a entender erradamente que Jesus resolverá todos os nossos problemas e por aí fora, pois Ele nos remete de imediato para a cruz. Enquanto só virmos pódios, louros e diplomas, jamais perceberemos a dimensão e o alcance do Seu amor. Só depois de refletirmos na Sua morte e ressurreição estaremos aptos a falar pelos cotovelos acerca do Seu glorioso reino. Sim, a Sua retumbante vitória foi precedida de sofrimento. Não entenderemos nadinha do monte da transfiguração sem passar pelo monte do Calvário, já que sem o Seu sangue não há salvação!

NEGAR-SE A SI MESMO


Há frases que valem ouro. Marcam a vida de qualquer um se passadas da teoria à prática. O Senhor Jesus proferiu uma série delas, sendo que uma das mais marcantes foi: “Se alguém quiser vir após Mim, renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me!” Muitos a têm ouvido, mas nem todos optam por a aplicar. Não que se dê o caso de não O quererem por perto, acontece, porém, que estão longe de se dispor a pagar o preço. Abdicar dos interesses pessoais dói e de que maneira. A verdade é que o Senhor Jesus nunca pintou um quadro edílico sobre o trilho cristão. Deixou sempre claro que há que estar pronto para morrer, tal qual Ele mesmo exemplificou. Comece-se por abrir mão das vontadinhas terrenas, aprendendo a dizer não ao ego. Toca a dar negas contínuas aos instintos e desejos que conduzem à ruína do corpo e da alma. Sim, a verdadeira liberdade acontece quando se entrega a vida por inteiro a Cristo!

quinta-feira, 13 de junho de 2024

DEZ ORAÇÕES NO PAI NOSSO

 

- A Oração da Invocação – “Pai-nosso

- A Oração da Glorificação – “Santificado

- A Oração da Submissão – “Venha o Teu Reino

- A Oração da Rendição – “A Tua Vontade

- A Oração da Provisão – “O Pão Nosso”

- A Oração do Perdão – “Perdoa as Nossas Dívidas

- A Oração da Protecção – “Tentação

- A Oração da Preservação – “Livra-nos

- A Oração da Aceitação – “Porque Teu é o Reino

- A Oração da Conservação” – Para Sempre

DEUS, O PAI

O Senhor Jesus contou a história de um filho que saiu da casa de seu pai (Lucas 15:20). Depois da ascensão e da queda, este fugitivo acordou numa pocilga, perguntando-se: “Como cheguei até aqui? Preciso de voltar para trás, mas o que irá o meu pai dizer?”

Já alguma vez pensámos nisto: “Se eu voltar atrás, como irá Deus receber-me?” Alguns dizem que Ele não quer saber mais de nós. Mas não é assim que Jesus descreveu o Seu Pai.

Lucas escreveu isto na Bíblia para que todos os querem correr saibam o que podem esperar quando quiserem reverter o seu caminho. Estás a fugir de Deus? Pára, volta e regressa a casa. Ele está à espera para te dar as boas vindas.

Não há pecado que ele não possa perdoar e não há nenhum vício que o sangue de Jesus não possa remover!

sexta-feira, 17 de maio de 2024

MEDITAR NAS ESCRITURAS

 

 Amados, escrevo-vos agora esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero; Para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como Apóstolos do Senhor e Salvador.” 2Pedro 3:1,2

Esta disciplina espiritual de memorizar versículos bíblicos para lembrá-los em tempos de dificuldade parece estar estranhamente fora de moda.

Hoje em dia, as pessoas confiam mais nos seus smartphones para se lembrarem.

Nos dias de Pedro, a capacidade de memorizar grandes porções das Escrituras era assumida e praticada. A tradição oral transmitida de uma geração para outra era uma parte necessária da identidade e da sobrevivência de uma cultura.

No entanto, hoje a nossa dependência de dispositivos eletrónicos parece ter diminuído a nossa capacidade de recordação.

Talvez seja hora de restaurar uma disciplina que perdemos.

Tu ainda memorizas versículos da Bíblia?

Ainda te consegues lembrar onde uma história específica pode ser encontrada na Bíblia?

Quando Josué estava se preparando para entrar na terra prometida, Deus instruiu-o: “Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.” (Josué 1:8).

Às vezes, a nossa vida está tão cheia de outras coisas que não damos tempo suficiente para pensar sobre as nossas circunstâncias atuais ou planos futuros, e o que Deus está dizendo sobre eles.

Reservas tempo, intencionalmente, para meditares na Palavra de Deus? “Quando me lembrar de ti na minha cama, e meditar em Ti nas vigílias da noite.” Salmo 63:6; “Os meus olhos anteciparam as vigílias da noite, para meditar na Tua Palavra.” Salmo 119:48

Tens um lugar onde podes pensar nas coisas de Deus sem distração?

Refletes com gratidão sobre a bondade de Deus e como Ele te trouxe “seguro até agora”?

Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.” Salmo 23:6

Não te lembres dos pecados da minha mocidade, nem das minhas transgressões; mas segundo a tua misericórdia, lembra-te de mim, por tua bondade, Senhor.” Salmo 25:7

As benignidades do Senhor mencionarei, e os muitos louvores do Senhor, conforme tudo quanto o Senhor nos concedeu; e grande bondade para com a casa de Israel, que usou com eles segundo as suas misericórdias, e segundo a multidão das suas benignidades.Isaías 63:7

Quando o Senhor Jesus foi tentado por Satanás no deserto, Ele citou intencionalmente as Escrituras.

 Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus…” (Mateus 4:4).

Claramente, “está escrito” tem consideravelmente mais seriedade do que “na minha opinião pessoal”. 

Conhecemos a Bíblia o suficiente bem para podermos citar passagens dela com precisão?

Somos capazes de aplicá-las corretamente às nossas situações?

Seguimos o exemplo de Cristo e confessamos as Escrituras com fé e autoridade?

segunda-feira, 8 de abril de 2024

FIDELIDADE

 Os cristãos verdadeiros sempre serão alvo de perseguição. Nada que já não saibam, pois o Senhor Jesus alertou-os para essa inevitabilidade. Acontece que em situações de comodidade é negligenciado tão sério e pertinente aviso. No entanto, há que arregalar o olho, pois o mal espreita por todo o lado. Mesmo onde não se suporia que conseguisse fazer estragos com as suas insidiosas ações. Exatamente como no passado, também hoje se levantam “deuses humanos” que pretendem usurpar o senhorio que só a Jesus Cristo pertence. Atos tresloucados são cometidos ao minuto visando a extinção da fé. Nestas ocasiões, que estão a ser sentidas na pele por milhares dos Seus seguidores, resta tentar escapar sem olhar para trás. Fuja-se com o coração nas mãos...de Deus! Confie-se na Sua provisão, ao invés de procurar segurança nas construções terrenas ou nos bens materiais acumulados, até porque Ele é misericordioso e abreviará o sofrimento dos Seus!

sábado, 23 de março de 2024

DIÁLOGO

 Nas conversas terrenas de Jesus com o Pai sempre esteve sempre na lista a Sua ida até à cruz. Não é difícil deduzir que esses diálogos foram tão profundos quanto dolorosos, mas entre ambos jamais foi posta em causa a salvação do mundo. No entanto, para o Senhor Jesus é deveras importante medir o pulso àqueles que O seguem de perto. Ele gosta de espicaçá-los à reflexão a fim de os consciencializar da Sua missão. Mais do que aquilo que a maioria popular possa pensar sobre Ele, o que Lhe interessa mesmo é a opinião pessoal de cada um deles. Os equívocos que sobre Ele chovam por aí não O incomodam, já o mesmo não pode ser dito da compreensão deslocada que os Seus amigos tenham sobre o Seu reino. Alegra-O, sim, que afirmem peremptoriamente: “Tu és o Messias enviado por Deus.” Contudo desfaz de imediato qualquer ideia imperialista sobre o domínio que pretende implementar. O Seu triunfo envolve renúncia, sofrimento, rejeição, morte e, só então, ressurreição. Ele requer, pois, um posicionamento ajustado sobre a Sua Pessoa. Há que declará-Lo vivendo segundo o Seu exemplo de inteira submissão ao Pai.

terça-feira, 12 de março de 2024

A PAIXÃO DE CRISTO

Ao considerarmos a paixão de Cristo – Sua morte e ressurreição - meditemos nalgumas das Suas últimas palavras proferidas na cruz.

1.     E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes.” Lucas 23:34

Pensemos nesta afirmação extraordinária.

A Sua disposição de perdoar aqueles que O pregaram na cruz, inclusive nós.

A esperança de que um novo modo de vida seja possível.

2.   E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” Lucas 23:43

A Sua extraordinária identificação com criminosos – com pecadores como nós.

A certeza da Sua promessa, e da nossa esperança.

A descrição do nosso destino: Estar com Ele para sempre.

3.   “E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”  Marcos 15:34

O significado da declaração profética de Davi citada por Jesus (Salmo 22:1)

O amor que Ele demonstrou quando Jesus recusou a salvar-Se!

4.   E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena. Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.” João 19:25-27 

Em extrema agonia, enquanto morre por muitos, Ele tem olhos para um.

Que o nosso Deus, ao refletirmos sobre os gritos do Seu Filho na cruz, nos ajude a vislumbrar o Seu amor tanto pelo mundo como pelo indivíduo.

quinta-feira, 25 de janeiro de 2024

DEUS CUIDA DE NÓS!

 Diante da mais grosseira falsidade Deus é a nossa boia de salvação. No mar de relacionamentos em que navegamos ficamos imensas vezes com a sensação que nos afogamos perante tanta matreirice. As águas comunicacionais até parecem sossegadinhas, mas quando menos esperamos eis que surgem remoinhos que nos sugam as forças e a alegria. Escasseiam as pessoas com bom fundo e “que sejam sinceras.” A mentira prolifera, a hipocrisia é moeda corrente e as falsas intenções uma constante. Só mesmo Deus para pôr termo a esta cultura de cera, que mascara a sociedade e, por arrasto, a Igreja, de alto a baixo. Enquanto “os que falam com arrogância”, fiados nos seus poderes oratórios, continuam a insistir nessa prática, a nós cabe-nos lembrar o que Deus prometeu: “Por causa da aflição dos humildes e dos gemidos dos pobres vou levantar-me e dar-lhes a ajuda que tanto desejam.” O desânimo pelas falhas nas interações humanas jamais deve roubar-nos o discernimento para recorrer Àquele que cumpre sempre tudo o que diz. Sim, Deus “cuidará de nós e nos defenderá” de gente sem escrúpulos. Por mais que essa malta ronde e uive à nossa volta, preparando-nos armadilhas a torto e a direito, Deus é permanentemente a nossa cerca!