domingo, 21 de maio de 2017

TRÊS RAZÕES PORQUE PRECISO DE JESUS

- Porque TENHO um Passado. O ser humano não pode voltar ao passado, mas Jesus pode. Jesus pode entrar naquelas áreas da nossa vida em que houve escolhas erradas, feridas e fracasso, e enxugar todas as lágrimas, limpar todas as marcas de dor e dar-nos um novo começo.
- Porque PRECISO de um Amigo. Jesus conhece o que de pior há em nós, mas mesmo assim ama-nos, porque Ele acredita no nosso melhor. Porquê? Porque Ele não nos vê como nós nos vimos, mas como seremos quando O deixarmos agir (HOJE) na nossa vida.

- Porque Ele tem o MEU futuro nas Suas mãos. Em quem mais podemos confiar? Nas Suas mãos vamo-nos sentir tranquilos e seguros Hoje, Amanhã e por toda a Eternidade.
Hebreus 13:8

sábado, 20 de maio de 2017

SOMOS O QUE QUEREMOS SER

O desejo dos nossos corações é poderoso, e pode nos conduzir em direcções positivas ou negativas. “O coração do homem considera o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos.” Provérbios 16:9
Na nossa vida os nossos desejos vão enquadrar-se nas nossas decisões e, com o tempo, as nossas decisões determinarão a nossa posição. “Anda com o sábio e serás sábio, mas o companheiro do tolo será afligido.” Provérbios 13:20
O desejo de Deus é derramar a Sua bênção sobre nós. Quando seguimos Cristo, desejando as coisas de Deus, e tomamos decisões de acordo com a Sua vontade, veremos a oportunidade dada por Deus e o propósito dado por Deus preencher a nossa vida.
Quando Cristo é a busca do nosso coração e queremos a vontade de Deus e o caminho de Deus podemos estar certos que vamos alcançar vitória. “Ora, sem fé é impossível agradar-Lhe. Porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” Hebreus 11:6
Nós andamos para trás quando nos deixamos ir nos nossos próprios caminhos. “Mas o meu povo não quis ouvir a minha própria voz…pelo que eu os entreguei aos desejos dos seus corações, e andaram segundo os seus próprios conselhos. Ah! Se o meu povo me tivesse ouvido! Se tivesse andado nos meus caminhos! Salmo 81:11-13
 Se escolhermos estar cheios dos nossos desejos torna-se difícil para as nossas vidas receber a Sua bênção.
Sacrifício é assustador, porque nos custa algo. Embora possa ser assustador, é bom sacrificar nossos desejos e vontade e alinhar-nos com a vontade de Deus.
Deus quer nos encher com a Sua bondade. Nós nunca alcançamos o primeiro lugar colocando Deus em segundo lugar nas nossas vidas. “Mas buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mateus 6:33
Quando colocamos os nossos desejos e vemos Deus se tornar a plenitude nas nossas almas, Ele responde aos desejos dos nossos corações. “Deleita-te também no Senhor, e ele te concederá o que deseja o teu coração.” Salmo 37:4
Com a nossa identidade em Cristo, podemos ver-nos a nós mesmos como Deus nos vê. Entendemos que a vida não é sobre o que nós temos, mas sobre quem somos em Cristo e o que Cristo está querendo fazer em e através das nossas vidas.  
Deus quer-nos Comprometidos com a Sua Palavra e com a Sua Igreja.
Quando o nosso desejo é por Ele e decidimos ir atrás d’Ele, a Sua Presença nas nossas vidas tornam-se um belo testemunho do poder e das promessas de Deus.

“…E também nós testemunhamos; e vós bem sabeis que o nosso testemunho é verdadeiro.” 3João 1:12

quarta-feira, 17 de maio de 2017

A VERGONHA NÃO É O NOSSO FUTURO

Cada um de nós tem um passado. “Falo como homem, pela fraqueza da vossa carne: pois, que, assim como apresentastes os vossos membros para servirem à imundície e maldade para a maldade…” (Romanos 6:19): Cada um de nós tem experiências que queremos deixar para trás, porque podem se transformar em vergonha. “Porque quando estávamos na carne, as paixões dos pecados obravam em nossos membros para darem fruto para a morte.” (Romanos 7:5). Sentimos vergonha quando estamos conscientes da nossa maldade. “Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na Palavra de Deus.” (Romanos 7:21). Vergonha é tóxica e tem sido descrito como o pantanal da alma. Muitas pessoas vivem numa posição derrotada de vergonha, mas quando cremos em Jesus, a vergonha não é o nosso futuro. Vergonha nos define por aquilo que fizemos;  A justiça de Deus nos define por aquilo que Ele fez. Jesus pagou o salário do nosso pecado através da Sua morte e nos libertou da condenação, para que possamos caminhar em liberdade com Ele. “Portanto, agora nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito.” (Romanos 8:1).
A justiça de Deus molda a nossa vida. O pecado e a vergonha já não definem quem somos. “Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da Lei, mas debaixo da Graça.” (Romanos 6:15).
Através da graça e da vida em Jesus, nós governamos as nossas vidas pela Sua justiça. Nós escolhemos viver de acordo com a justiça de Deus e não mais pela nossa maldade. “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus…” (Gálatas 2:20).
Quando cremos plenamente em Jesus, nós nos recusamos a praticar o que fazíamos no passado e que nos envergonha. “Porque, se torno a edificar aquilo que destrui, constituo-me a mim mesmo transgressor.” (Gálatas 2:19). Ninguém pode colocar vergonha nós, quando o nome de Jesus é colocado em nós. Nós agora vivemos pelo que é certo com Ele, em vez do que está errado connosco. “Porque Aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão, esse operou em mim também com eficácia…” (Gálatas 2:8). “Porque eu sei em quem tenho crido…” (2Timóteo 1:12)
O Evangelho nos liberta e nos dá vida. Vergonha é a nossa resposta à condenação, enquanto a fé é a nossa resposta ao Evangelho. Não há condenação em Jesus. Quando aceitamos Jesus como nosso Salvador, todas as acusações e condenações saem e nós somos conhecidos apenas por aquilo que Deus fez por nós. “Mas em todos os lugares a vossa fé se espalhou, de tal maneira que já dela não temos necessidade de falar coisa alguma. Porque eles mesmos anunciam a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir o Deus vivo e verdadeiro.” (1Tessalonicenses 1:8,9).


Vivamos livre pela fé em Jesus. É na nossa alma, onde as nossas maiores batalhas são travadas e onde as nossas maiores vitórias são conquistadas. É a vontade de Deus sermos livre da vergonha, da culpa, dos erros, das falhas e da condenação. É pela fé em Jesus que recebemos Graça, Perdão e Justiça de Deus. Vamos caminhar livres, de pé, redimidos e entrar futuro de alegria com Ele, acreditando plenamente no que Ele fez por nós.

sábado, 13 de maio de 2017

VISÃO PARA A TUA VIDA

- Olha para dentro de ti. O que é que te move? O que é que te faz ficar empolgado?
- Olhe para trás de ti. O que é que a vida te ensinou? A experiência dá-nos a sabedoria de que precisamos para cumprir o nosso destino. O que é que o teu passado te diz sobre o teu futuro?
- Olha à tua volta. Deus nunca nos chama sozinhos. Moisés precisou de setenta anciãos. Jesus escolheu 12 discípulos. Paulo falou dos que trabalhavam com ele. Cumprir o que Deus tem para a tua vida requer teres as pessoas certas na tua vida.
- Olha em frente. A, única coisa pior do que ser cego, é ter vista mas não ter visão." O que vês através dos olhos da fé? Santo Agostinho disse: "Fé é acreditar naquilo que não vemos, e a recompensa da fé é ver aquilo em que acreditamos."
- Olha para o lado. Que recursos estão disponíveis para ti. Por exemplo livros, CD’s, conferências, etc. Se a tua visão não é maior do que você mesmo então não vem de Deus. E quanto maior for, de mais recursos precisarás.

- Olha para cima. Somos Chamados por Seu decreto, não de acordo com as necessidades, ou porque a porta está aberta, ou porque o nosso talento será apreciado e bem recompensado. A tua visão tem de cumprir o seu destino ordenado por Deus e nada mais. Então, precisas de reconhecer a tua visão, ressuscitar a tua visão ou voltar a focar a tua visão? 

quinta-feira, 4 de maio de 2017

EM MISSÃO COM DEUS

Deus nos convida a estar em Missão com Ele para ver o mundo ser conquistado por Jesus Cristo (Marcos 16:15). Nós trazemos a missão de Deus para o mundo em que estamos. Deus tem-nos ligado às pessoas para que possamos trazer o Evangelho em cada uma das nossas conversas e relacionamentos.
Temos uma chamada para a nossa vida, e quando estamos "em missão" com Deus, estamos empenhados em viver de acordo com essa chamada. No entanto, é possível viver as nossas vidas salvas e perder o poder de viver as nossas vidas. A maioria das pessoas tem duas vidas: a vida que eles estão vivendo e a vida não vivida dentro deles. A resistência preenche a lacuna entre o modo como vivemos e aquela vida não vivida.
A resistência é o resultado da incredulidade e dureza de coração para com o que Deus pode fazer em e através de nós. Fomos salvos para fazer a diferença no Reino de Deus, mas a resistência nos impede do propósito de Deus avançar na nossa vida.
            Ele nos salvou, nos chamou de acordo com o Seu propósito (2Timóteo 1:9). Quando alinhamos as nossas vidas com esse propósito, então estamos em Missão com Ele. Isso significa que tudo na nossa vida é sobre Ele. A direcção das nossas vidas, onde vivemos, nossos relacionamentos, nossas actividades, nossos objectivos é sobre esta Missão.
Existem dois tipos de resistência: física e espiritual. A resistência física requer superação. Pode ser medo, insegurança, ou uma questão de mentalidade negativa. Por outro lado, a resistência espiritual requer libertação. Estas são coisas externas que acontecem ao nosso redor. Estamos numa guerra espiritual e o nosso inimigo não é carne e nem o sangue.

Mas não importa que resistência haja. Há Jesus, e Ele ​​é tanto o grande Vencedor como O nosso Libertador. Não importa o custo. Vamos ter a coragem de preencher a lacuna entre a vida que estamos vivendo e a vida não vivida. Vamos assumir o Espírito do Vencedor.  

domingo, 30 de abril de 2017

TRANSFORMANDO LIMITAÇÕES

Todos nós temos limitações. Eles podem ser tão banais como, por exemplo, ser canhoto, quando dá jeito ser destro, ou vice-versa.
Algumas das limitações com que lutamos diariamente estão além do nosso controle. No entanto, é a nossa perspectiva sobre estas restrições que irão determinar o nosso sucesso na vida.
Muitas pessoas estão tão focadas nas suas limitações que são alheias às oportunidades que vêm junto com essas limitações. Precisamos de aprender a ver além das nossas limitações e olhar para as oportunidades. O Senhor Jesus nunca deixou as limitações travar o Seu trabalho. Marcos 6:34: “E Jesus, saindo, viu uma grande multidão…” (Oportunidade); Mateus 14:17,18: “…E eles lhe disseram: Iremos nós, e compraremos duzentos dinheiros de pão para lhes darmos de comer? Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes.” (Limitações).
Nós precisamos de ter olhos para ver o mundo em termos de possibilidades em vez de impossibilidades, e ter uma atitude que avança na fé, apesar dos obstáculos. Afinal de contas, temos parceria com um Deus que é capaz de fazer muito mais além do que podemos pedir ou pensar!

Efésios 3:20: Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera.”

sábado, 22 de abril de 2017

ENTREGAR AS PREOCUPAÇÕES

Houve um homem que um dia tomou uma decisão: Deixar de se preocupar! Quando um seu amigo reparou que ele estava mais relaxado perguntou-lhe como é que ele tinha vencido as preocupações, e ele respondeu: “É simples, contratei uma pessoa para se preocupar por mim.” E quando o seu amigo lhe perguntou quanto é que aquilo lhe custa, ele respondeu: “Dez mil euros por mês.” E o amigo intrigado, perguntou: “E como é que consegues arranjar esse dinheiro?” E o outro respondeu-lhe: “Isso é problema dele, não meu!”
O Apóstolo Pedro (1Pedro 5:7) diz para lançarmos sobre Ele toda a nossa ansiedade, porque Ele cuida de nós. É verdade que Ele compreende que estejamos ansiosos relativamente às nossas finanças, saúde, etc. No entanto, Ele instrui-nos: “Não andeis pois inquietos, dizendo: que comeremos, ou com que nos vestiremos?” (Mateus 6:31).
Repara: É a combinação da preocupação com aquilo que dizemos que provoca a ansiedade. Aquilo que dizemos de nós mesmos, juntamente com as nossas palavras para os outros sobre os nossos medos, são reforços negativos que distorcem as nossas percepções, aumentando o nosso medo e fazendo-nos sentir indefesos e sem esperança relativamente às circunstâncias e ao nosso futuro. Não façamos isso! Vamos apoiar-nos naquilo que o Senhor Jesus Cristo disse: “Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?” “Pois, se Deus assim veste a erva do campo, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?” (Mateus 6:26,30).

As preocupações são para os descrentes, não para os cidadãos dos céus! “Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas.” (Mateus 6:32).

A ARTE DE ESTAR PRESENTE

Deus está à procura de instrumentos de reavivamento. Jesus descreveu o reavivamento como uma colheita e nos convida a fazer parte dela (Actos 2:46,47, Efésios 2:19-22).
Para estarmos prontos para o avivamento, Deus não nos pede para sermos capazes, mas disponíveis. Ele não está à procura de génios, pessoas qualificadas e bem-educadas. Em vez disso, Deus está procurando pessoas nas quais possa confiar, em quem Ele pode confiar. Pessoas com coragem, que vão dizer o que Ele os chama a dizer, pessoas que não estão preocupadas com o que as outras pessoas pensam sobre elas; Pessoas que querem desesperadamente que Deus mude a sua comunidade, que vão orar, que lerão a sua Bíblia e que decidem vir à Igreja.
Juntos, como Seus instrumentos de reavivamento, podemos decidir estar "presentes" e comprometer-nos a estar disponíveis para a Sua colheita. Podemos nos preparar deitando fora as coisas que no nosso coração e vida nos impedem de estar presentes: distracção, incredulidade, medo de rejeição e apatia.

Deus está prestes a fazer algo no nosso meio e está procurando por instrumentos para o Seu avivamento. Juntos, tomemos a decisão de estar disponíveis, de aparecer, de estar presentes e de estar prontos para inaugurar a Sua colheita.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

CAMINHADAS

Entre outras coisas, a Bíblia descreve uma lista de caminhadas inesquecíveis. A primeira foi dada pelo próprio Deus no jardim do Éden. Houve a difícil caminhada de Abraão com o seu filho Isaque. A caminhada do povo de Israel pelo deserto. A caminhada à volta de Jericó. A caminhada de Paulo para Damasco. E ainda a caminhada do Senhor Jesus para o Gólgota.
         Mas a mais faladas de todas terá sido aquela em que Jesus caminhou sobre as águas (Mateus 14:22-29). Inesquecível, não tanto pelo lugar em que aconteceu, ou pelo lugar sobre o qual andou, mas por quem o acompanhou!
         Nesta passagem, a caminhada de Pedro serve de convite para todos os que, como ele, queiram dar um passo de fé e experimentar mais do poder e da presença de Deus.
         Mas para fazer esta caminhada é preciso ouvir e obedecer à voz de Jesus, porque:
- Há sempre uma chamada. O Senhor Jesus pede a uma pessoa comum (Pedro, mas podes ser tu), um gesto de extraordinária confiança.
- Há sempre medo. Moisés não sabia falar.
- Mas há sempre encorajamento. Deus disse a Gedeão: “O Senhor está contigo
- Há sempre uma decisão. Moisés e Gideão disseram sim. Os espias (dez) disseram não.
- Há sempre uma vida transformada. Quem diz SIM ao convite do Senhor não caminha com perfeição. Mas por ter dito SIM ao Senhor aprende e cresce até com os seus próprios fracassos. Creio haver aspectos da nossa vida em que Deus nos chama para caminharmos com Ele e para Ele. Talvez se relacione com o nosso trabalho, ou com alguma coisa que coloque em risco os nossos relacionamentos. É provável, como aconteceu com Pedro, que tenhamos de enfrentar os nossos piores medos.

         Mas lembra-te: Para andares sobre as águas tens de sair do barco!

sábado, 1 de abril de 2017

NADA É IMPOSSÍVEL PARA DEUS

 Jó 26:7; Salmo 84:11; Marcos 10:27; Lucas 1:37   
 Deus pode fazer algo de bom em todas as coisas. Quando parece que nada está acontecendo, ou não podemos ver avanços nos relacionamentos, na saúde ou nas finanças. Mesmo quando as coisas se deterioram podemos decidir confiar em Deus e vê-Lo fazer algo bom e belo a partir do nosso nada.
 Sem Deus não podemos fazer nada. O mesmo Deus Todo-Poderoso que pendurou a Terra sobre o nada pode fazer algo sobrenatural e extraordinário nas nossas vidas. Deus é bom e está sempre fazendo algo de bom. Ele está sempre connosco e a Sua vontade nunca nos deixará ou nos abandonará.  
 Confiar em Deus significa que estamos empenhados em levantar a nossa experiência para o nível da nossa crença no que Ele pode fazer.
 Em vez de reduzirmos a nossa expectativa para a nossa circunstância, nós acreditamos no poder sobrenatural de Deus para mudar as nossas vidas e esperamos que Ele faça coisas incríveis, coisas milagrosas. Mesmo quando parece que tudo o que temos é zero!
 As nossas vidas frágeis, quebradas, nós damos a Ele, com a expectativa de ver o que Deus pode fazer.
Para Deus, todas as coisas são possíveis. A vontade de Deus é fazer grandes coisas nas nossas vidas. Em todas as coisas devemos buscar ser dispostos, amigáveis, humildes e contribuidores para o propósito de Deus, colocando o Seu reino e a Sua justiça em primeiro lugar.
 As nossas vidas, um dia, se renderam a Ele, e nós queremos servi-Lo e confiar com humildade que vamos ver a Sua promessa, o Seu poder, a Sua beleza e a Sua liberdade em nós.

Conclusão: Nós acreditamos que Deus nos ama, e do nada pode fazer o que Ele projectou para nós! Nada é impossível para Ele!

sexta-feira, 10 de março de 2017

VENCER

Pedro descobriu (Mateus 14:28), aquilo que todos nós também já tivemos a oportunidade de descobrir na nossa caminhada com Deus: “Só porque se está a afundar, não quer dizer que já se tenha afogado.” E, nesta passagem, temos duas razões para nos lembrar disso:
Primeiro, falhar não faz de nós falhados! Desistir faz! Falhar é apenas uma parte da aprendizagem. Um dos homens que conseguiu escalar o Monte Evereste fez várias tentativas até conseguir realmente. Depois de várias tentativas, e na última, antes de conseguir finalmente, ele ficou na base da montanha, olhou para o alto dela, abanou o seu dedo em desafio e gritou: “Tu já não vais crescer, mas eu vou!” Ele aprendeu sempre algo em todas as tentativas que falhou, até que um dia conseguiu.
Segundo, os verdadeiros falhados foram aqueles que ficaram no barco! Eles falharam calmamente e em privado. O seu falhanço não foi notado nem criticado. Apesar de Pedro ter caído publicamente, ele experimentou a euforia de caminhar sobre as águas! Apenas ele sabia a sensação de receber o poder de Deus para fazer o que nunca conseguiria fazer sozinho. Depois de caminhar sobre as águas, tu e eu, nunca mais seremos os mesmos! Ele também passou pela experiência de ser levantado por Jesus num momento de desespero. Ele partilhou um momento, uma ligação, uma confiança que os outros não partilharam. E como poderiam se nunca deixaram o barco?
O falhanço não vem de nos estarmos a afundar, vem se deixarmos que os nossos medos nos parem e com isso afundar-nos!

É a coragem para continuar que conta!

quinta-feira, 9 de março de 2017

AMOR INCONDICIONAL

Por mais dolorosas que as relações por vezes possam ser, nós somos seres relacionais, criados à imagem de Deus para pertencer, para servir, para adorar e viver em comunidade. Somos chamados para ser as Suas mãos e pés e muitas vezes Deus toca a nossa vida através daqueles que nos rodeiam; relacionamentos são a alma da Igreja.
Se nós queremos amar como Jesus amou, se queremos que a nossa vida seja caracterizada pelo amor de uma forma que reflecte o coração de Deus para todos aqueles que nos relacionamos, devemos prestar atenção a como respondemos às pessoas que nos fazem sentir desconfortáveis (“Ouvistes o que foi dito: Amarás o teu próximo, e aborrecerás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem.” Mateus 5:43,44).
E estes que nos fazem sentir desconfortáveis são aqueles que são diferentes de nós de forma significativa; aqueles de quem não gostamos, não entendemos, e não desfrutamos nada da presença deles. As pessoas que possuem crenças diferentes e que praticam diferentes estilos de vida. Que se vestem de forma diferente do que é normal em sociedade, e que são culturalmente opostas a nós.
Embora existam muitas dimensões diferentes para o amor cristão, eu acredito que a capacidade de amar incondicionalmente é o que mais caracteriza a vida abundante que temos em Cristo.
Infelizmente que esta vontade de amar os outros incondicionalmente e a sua prática regular estão faltando significativamente da vida de muitos ditos crentes.
Dizemos que queremos amar os outros como Deus nos ama, mas muitas vezes acabamos escolhendo conforto e conveniência em vez de compaixão.
O nosso amor incondicional pelas pessoas, vai fazer que muitas encontrem Deus no meio de lugares e situações onde menos esperamos: Nas esquinas e nas ruelas, nos hospitais e nas prisões, orfanatos e tribunais.
No entanto, o amor necessário para amar aqueles que são diferentes de nós será sempre sobrenatural.
Quantas vezes vamos além da nossa zona de conforto para alcançar as pessoas com quem discordamos?
Estejamos dispostos a ser um vaso usado por Deus, e não apenas em relação às pessoas a quem amamos e concordamos, mas para as pessoas a quem achamos difíceis ou discordamos.

Vamos pedir a Deus que nos dê sabedoria e força para sermos como Cristo a cada pessoa que encontrarmos (“Porque para isto somos chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigamos as Suas pisadas. O qual não cometeu pecado, nem na Sua boca se achou engano.” 1Pedro 2:21,22).

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

LIDERAR

Ester 4:14 - Posição para um tempo como este? 
Uma definição de líder é a vontade de dizer "Sim" ao desafio dos momentos que surgem.
Antes de podermos ser líderes eficazes, primeiro precisamos de aprender a seguir e servir.
Precisamos seguir Jesus e servir os Seus propósitos, mas também precisamos aprender a servir a Sua visão com uma atitude "o que for preciso".
Há três elementos que fazem um líder:
• Alguém que esteja preparado para pagar o preço.
• Alguém que esteja preparado para viajar pela estrada menos viajada.
• Alguém que diariamente entrega o seu coração a Jesus.

Ester é um exemplo maravilhoso de alguém que disse "Sim" ao desafio do tempo que ela encontrou.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

UM CORAÇÃO DE LOUVOR

Um coração de louvor é inflamado por uma revelação de Deus. O que Ele é, e o que Ele fez por nós. Um coração de louvor é aquele que encontrou a graça de Cristo e está cheio de gratidão. Quando entendemos que pelo sacrifício de Cristo nós somos bem-vindos à presença de Deus, os nossos corações vão elogiá-lo e na Sua presença somos renovados (1Crónicas 16:8-12; Salmo 40:9,10).
Os nossos louvores vão reviver e tomam a forma daqueles que adoraram o Deus Altíssimo ao longo da história. Quando nos deparamos com Deus e o que Ele tem feito, nós brilhamos, nós dançamos, nós estendemos as nossas mãos em adoração; gritamos em triunfo; ajoelhamo-nos em reverência; nós tocamos instrumentos e cantamos; e saem dentro de nós canções novas, orações novas, etc.
   Através do nosso louvor, aqueles que nos rodeiam verão Deus (“Também a minha cabeça será exaltada sobre os meus inimigos que estão ao redor de mim; pelo que oferecerei sacrifício de júbilo no Seu tabernáculo; cantarei, sim, cantarei louvores ao Senhor.Salmo 27:6). Qualquer que seja a circunstância, nos lembrarmos de Deus e o nosso coração vai sempre elogiá-Lo, e Ele estará sempre connosco e nós vamos brilhar.

 Ele enche a nossa vida com o Seu Espírito e somos libertos da influência do poder das trevas e do pecado. A nossa liberdade e decisão para expressar louvor de Deus é uma faísca, que Ele vai usar para incendiar os corações daqueles que nos rodeiam. Ele nos reviveu, e através dos nossos louvores Ele irá reviver, reparar, reconstruir e restaurar as vidas quebradas à nossa volta.  

PRESENTE INDISCRITÍVEL

Este presente é a Graça de Deus! Uma graça que contém suficiência em todas as coisas e abundância para toda a boa obra.
 Há coisas que podemos descrever, como um Salvador crucificado entre dois ladrões numa cruz, mas o que aconteceu é indescritível. E não é só o que aconteceu então, para eles, é o que ainda acontece agora para nós. Os Seus efeitos continuam em curso! (“Ora, Àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera. A esse glória, na Igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amén.” Efésios 3:20,21).
Quando sabemos o que a vida é há muito mais propósito.
Deus é fiel à Sua palavra e sabe cuidar de nós, mas é sempre para algo que é muito maior do que nós. Ele quer nos usar para multiplicação e aumento, para trazer louvor a Ele e fazer a diferença na vida das pessoas. Jesus Cristo fez isto na cruz!
         Não é o que dizemos que faz a diferença, é o que acontece depois de dizermos! É isso que tem um impacto geracional e torna autêntica a nossa confissão de fé.

Acontecer é que é indescritível. Tem efeitos eternos!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

TAL COMO É

Já alguma vez entraste numa loja com descontos onde a mercadoria tem etiquetas que dizem: "Com defeito"? Muitas vezes não te dizem onde está o defeito e uma vez comprado o produto não podes devolvê-lo. Bem, no caso de não teres reparado, todos nós vivemos um pouco neste departamento. Pára e pensa nas pessoas da tua vida. São um saco com uma mistura de pontos fortes e de fraquezas, virtudes e vícios, certo? Se procuras a perfeição, estás na loja errada. Onde quero chegar com isto? É que a única forma de termos uma relação bem-sucedida com alguém é aceitar essa pessoa "tal como é". Não caias no mito que diz que a maioria das pessoas são normais, excepto aquelas que fazem parte da tua vida. Com base nesse mito, os relacionamentos são uma procura infindável para "compor" os outros, controlá-los, ou fingir que são algo que eles não são.
Thomas Merton disse: "O amor é deixar que aqueles que amamos sejam perfeitamente eles próprios, e não os mudar para que se adequam à nossa imagem. Se assim não for, apenas amamos o reflexo de nós mesmos que vemos neles. Um sinal de maturidade espiritual é ter consciência de que ninguém é perfeito, e comprometer-se a amar as pessoas apesar disso."
O Apóstolo Paulo escreveu: "Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim, como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também." (Colossenses 3:13).
Amar alguém, "tal como é", significa focar-se nos seus pontos fortes e apoiar a pessoa nas suas áreas de maior fraqueza. "Então e os seus defeitos?", Perguntas tu. "...porque o amor cobrirá a multidão de pecados." (1Pedro 4:8).  

domingo, 12 de fevereiro de 2017

REVIVE, RESTAURA E REPARA

1. Nós precisamos de reviver as coisas mortas ou moribundas, e este é um tempo em que a paixão espiritual de algumas pessoas será revivida; Uma renovação da paixão espiritual por Cristo. Ou se o teu sonho parece ter chegado a uma espécie de morte, vamos acreditar em vê-lo revivido. Onde quer que as coisas na tua vida estão mortas ou morrendo, este é o tempo de reavivamento! “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados.” Efésios 2:1
2. Nós restauramos coisas velhas e valiosas. Nós precisamos de acreditar em ver algumas coisas velhas que caíram no esquecimento a serem restauradas (“Mas ide, dizei aos Seus discípulos e a Pedro, que Ele vai adiante de vós para a Galileia; ali O vereis, como Ele vos disse.” Marcos 16:7).

3. Nós reparamos coisas quebradas. Se temos escravidão na forma de depressão, vício ou conflito interno, que nos está quebrando o relacionamento com Deus e uns com os outros, este é o tempo de reparar o que está quebrado (“…Então disseram: Levantemo-nos e edifiquemos. E esforçaram as suas mãos para o bem.” Neemias 2:18).

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O ESCÂNDALO DA GRAÇA

Para muitos é escandaloso que Deus se tenha feito homem, tenha sofrido e morrido por nós, mas tudo o que temos como Igreja é construído sobre esse escândalo. O facto de que o único caminho para Deus não é através de qualquer coisa que fazemos também se revela como um obstáculo para a nossa fé e razão (1Coríntios 1:23-28).
O escândalo redentor que Deus desenvolveu em Jesus é multifacetado. Quando Jesus viveu na Terra, os que estavam à espera do Messias estavam esperando um grande governante, não um homem humilde judeu que iria morrer numa cruz e isto foi uma pedra de tropeço para eles.
Para outros, é escandaloso e ofensivo que Jesus literalmente tenha dado a Sua vida e sangue para que possamos receber graça. A morte de Jesus foi um escândalo moral porque, Jesus um homem inocente morreu enquanto um homem culpado, Barrabás, viveu e foi libertado. É um escândalo religioso que Jesus foi rejeitado para que possamos ser aceites por Deus.
Jesus pagou um preço irracional para que todos pudessem conhecer o poder do Seu amor e perdão, e assim poderíamos ter uma esperança dada por Deus e um futuro dado por Deus. Para nos redimir, Jesus cruzou divisões sociais, culturais, religiosas e intelectuais e removeu o nosso pecado, a maior divisão de todas. Por Seu sangue, Ele nos cobre de graça e amor e nos reconcilia com o Seu Reino.
O nosso passado não importa mais, pois a graça está baseada na justiça de Jesus e aceitamos pela fé a salvação que Ele nos disponibilizou.
É escandaloso e notável, que apesar do nosso passado, apesar da nossa fraqueza e vulnerabilidade, Deus escolheu nos salvar!

À medida que entendemos o coração de Jesus, descobrimos que Ele estava em missão de todas as maneiras possíveis, na Sua vida e na Sua morte. Tudo o que Ele fazia estava focado em alcançar as pessoas e reconciliá-las com Deus e com os outros. Através de Jesus, entendemos que a vida não é sobre nós.  

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

DÉBORA


Débora sabia como adorar a Deus e essa é a razão pela qual a postura do seu coração foi tão saudável (Juízes 5:3).
Assim como uma boa postura física traz saúde e confiança à nossa vida, assim uma boa postura espiritual alinha a nossa vida com a de Deus, e nos dá uma alma e espírito saudáveis.
No meio uma geração que se tinha esquecido como adorar a Deus, Debora adorou a Deus de joelhos, ela adorou com os braços erguidos e ela adorou com uma voz cheia de louvor.
Toma algum tempo para considerar as seguintes perguntas em relação à tua própria vida:
- O Senhor Jesus sempre arranjou tempo para ficar sozinho com o Seu Pai (“E, levantando-se de manhã muito cedo, fazendo ainda escuro, saiu e foi para um lugar deserto, e ali orava.Marcos 1:35). Onde e quando te encontras com Deus? Há alguma coisa que precisas de mudar?
- Pensa nas tuas palavras e conversas, Relacionamentos e trabalho. De que maneira a tua adoração afecta o modo como tu vives a tua vida diária De que maneira adoras a Deus na tua vida diária? (“Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Romanos12:1,2).
- Débora falou de encorajamento e fé antes da batalha em vez de deixar o medo silenciá-la (“Então disse Débora a Baraque: Levanta-te, porque este é o dia em que o Senhor tem dado a Sísera na tua mão; porventura o Senhor não saiu diante de ti? Baraque pois desceu do monte, e dez mil homens após eles.” Juízes 4:14).
As vezes nós precisamos de falar à nossa alma em vez de escutá-la. Que desafios tu enfrentas? Que te pode silenciar? 

O passado nos lembra o que Deus tem feito. Compartilha com os teus amigos, com os teus vizinhos, um testemunho do que Deus tem feito na tua vida que pode inspirar e incentivar outros.

A LISTA DE RUTE

Muitas pessoas têm uma "lista" de coisas que gostariam de fazer antes de morrer.  
Coisas como lugares que gostariam de visitar; Competências que gostariam de adquirir; Sonhos que gostariam de cumprir, etc.
O problema é que a ocupação das nossas vidas diárias pode empurrar essa lista para o fundo das nossas prioridades e nunca chegamos a alcançar esses desejos.
Não há mal nenhum em ter uma “lista” de desejos do tipo mencionado em cima, mas também precisamos de ter um tipo diferente de lista: Uma lista espiritual! Onde vamos colocar desejos que queremos cumprir ou alcançar, ou para a nossa vida ou para a vida da Igreja.
O que é que Rute respondeu à sua sogra Noemi quando ela a tentou mandar Ruth embora? Qual era a “lista” de Rute? (Rute 1:16,17)
Destino – “…onde queres que fores eu irei…” (vs.16).
Compromisso – “…o teu Deus é o meu Deus.” (vs.16).
Família - “…o teu povo é o meu povo…” (vs.16)

Legado “…se outra coisa que não seja a morte me separar de ti.” (vs.17).  

DO VAZIO À PLENITUDE!

No princípio a Terra estava sem forma e vazia, então Deus no Seu extraordinário poder substituiu o vazio pela criatividade, ordem e propósito (Génesis 1:2).  
O vazio pode descrever partes da nossa vida. Pode haver um vazio na nossa vida espiritual, ou numa situação específica, ou mesmo as circunstâncias do dia-a-dia que fazem que muitos estejam vivendo com um profundo sentimento de vazio. Talvez até tenhamos orado e parece que as nossas orações são sem forma e vazias.  
 Seja o que for, nunca devemos subestimar a plenitude que Deus pode trazer para os nossos lugares sem forma e vazios, porque Deus é especialista!
Às vezes a verdade parece estar perdida no vazio. Mas a verdade sempre encontrará uma maneira de sair.    
O túmulo não pôde reter a Verdade. A morte também não pôde reter a Verdade! Ele não é apenas um Cristo crucificado, ele é o nosso Senhor ressuscitado!
Um Jesus ressuscitado significa que enquanto nós podemos ser cercados por tanto vazio, sabemos que Ele está à direita do Pai, intercedendo por nós. Literalmente Jesus está orando por nós!

E a plenitude vem do Espírito Santo: “…e o Espírito de Deus Se movia…”

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

A ESPOSA DE MANUÉ

A esposa de Manué foi visitada por um anjo de Deus num momento em que Israel estava sob a opressão dos filisteus por causa da sua desobediência. Manué e sua esposa foram um casal sem filhos e eram ambos piedosos e obedientes a Deus. E Deus respondeu à sua fidelidade, dando-lhes um filho, Sansão, o último dos juízes. A maior lição que podemos aprender com a esposa de Manué é viver uma vida de obediência.
 A obediência é uma opção (“Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me. E o mancebo, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.” Mateus 19:21,22).
 A obediência é uma estratégia (“E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a Palavra na Ásia.” Actos 16:6).
 A obediência é uma postura (“E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um varão da Macedónia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedónia e ajuda-nos. E, logo depois desta visão, procuramos partir…” Actos 16:9,10).
 A obediência é o primeiro mandamento com promessa e a chave para muitas portas (“Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias sobre a Terra que o Senhor teu Deus te dará.” Êxodo 20:12).
 A obediência nem sempre é confortável, mas é mais seguro do que a alternativa (“E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor, deixa que eu primeiro vá a enterrar meu pai. Mas Jesus observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus. Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa. E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o Reino de Deus.” Lucas 9:59-62).

 A obediência levanta-nos do natural para o sobrenatural (“Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.” (Mateus 12:13).

POTENCIAL

Paulo encorajou Timóteo, por duas vezes, a não negligenciar o seu potencial dando lugar ao medo mas sim a desenvolvê-lo (1Timóteo 4:14; 2Timóteo 1:6).
Herodes tentou destruir o potencial de Jesus tentando-O matar quando ainda era um bebé (“E, tendo eles retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egipto, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há-de procurar o menino para o matar.” Mateus 2:13).
O rei Roboão tinha grande potencial que ele desperdiçou, não ouvindo o conselho dos anciãos, e que resultou no reino de Israel dividido (1Reis 12:1-20).
Há muitas outras pessoas na Bíblia cujo potencial foi realizado ou destruído incluindo Pedro e Jonas que inicialmente falharam e depois finalmente cumpriram o seu potencial, e Ruth, cujo potencial foi atacado pelas circunstâncias, mas permaneceu forte (“Disse porém Rute: Não me instes para que te deixe, e me afaste de ao pé de ti; porque aonde quer que fores irei, e onde queres que pousar à noite ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus.” Rute 1:16).

Precisamos perceber que há um plano do inimigo para atacar o nosso potencial (“E digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas.” 2Colossenses 2:4), e precisamos saber onde estamos vulneráveis. Se deixarmos de cuidar do nosso potencial, podemos acabar vivendo pequenas vidas (“Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo.” Gálatas 4:7).

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

COISAS INCOMUNS

 Deus faz coisas incomuns na vida das pessoas. O que Deus fez na Bíblia muitas vezes era sobrenatural. Deus quer fazer algo incomum, original, raro, nas nossas vidas. Coisas incomuns que trazem as Suas promessas sobre as nossas vidas, que contam com o poder sobrenatural do Espírito Santo, em vez de meios normais ou naturais.
Não fomos chamados para permanecermos conformados com o estado das coisas.
O que herdamos das gerações passadas, jamais nos pode limitar ou aprisionar... nascemos para ser criativos e inovadores.
Quando somos PREVISÍVEIS e disponíveis numas áreas e IMPREVISÍVEIS e espontâneos noutras, podemos estar certos que iremos fazer a diferença.
A experiência pode ser nossa amiga, mas não nos pode dominar.
 Deus usa pessoas de todas as classes sociais e profissões para serem sal da Terra. Através da nossa igreja Deus quer levantar pessoas dotadas espiritualmente e genuinamente humildes. Pessoas que passem para lá das linhas e limites da vida normal, e tenham fé para Deus trabalhar em, e através das suas vidas para alcançar as pessoas com o amor de Jesus.
 Quando confiarmos totalmente em Deus, milagres incomuns vão acontecer nas nossas vidas. Deus quer usar o Seu Espírito Santo através das nossas habilidades naturais e situações impossíveis para trabalhar todas as coisas para a Sua glória. Com o Seu Espírito Santo, Deus nos capacita com sabedoria incomum, habilidades, aptidões, e coragem não apenas para mudar as nossas vidas, mas o mundo que nos rodeia. Por vezes estamos tão ocupados com as nossas rotinas, que nos esquecemos de ser livres.
 Servir o Deus do incomum é uma aventura. A vida com Jesus, era para os discípulos, uma aventura. 2017 pode ser o ano de milagres incomuns.  
 Ainda podemos ver o impossível realizado pela graça de Deus. Precisamos de acreditar em coisas novas a sair dos corações das pessoas na nossa igreja para nós podermos dizer: "Que coisa maravilhosa que o Senhor fez, que só Deus poderia fazer!"

WEBTV ClubeMais+