sexta-feira, 24 de abril de 2015

CONSEGUES VER A MÃO DE DEUS AÍ?

Deus tem filhos, que, como Jacó, são coxos. Talvez tu sejas um deles. Aconteceu alguma coisa que te deixou vulnerável e inseguro? Tens dificuldade em confiar nas pessoas? Transformaste-te no teu pior crítico? Achas que o teu ministério ou carreira acabou? Ou pior, nunca chegaste a começar - és um coxo espiritual! Se é nessa situação que te encontras hoje, lê estas palavras: "Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor, e ele deleita-se no seu caminho. Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor o sustém com a sua mão." (Salmo 37:23,24).
Deus gosta de usar pessoas com falhas porque, quando elas se tornam bem-sucedidas não são arrogantes como algumas que pensam que são merecedoras. Pelo contrário, são um pouco mais atenciosas, mais disponíveis para tomarem a iniciativa e apoiarem os outros. Compreendem que, sem Deus, nunca teriam conseguido chegar onde chegaram. Têm uma "atitude de José". Repara como ele foi maltratado pelos irmãos. No entanto, não apenas os perdoou, como lhes deu de comer. Como é que alguém consegue fazer isso? Ele conseguiu por via a mão de Deus em cada detalhe da sua vida. E tu, já viste a mão de Deus na tua vida? Escuta o que José disse àqueles que o traíram: "Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese os vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque para conservação da vida, Deus me enviou diante da vossa face." (Génesis 45:5).
Deus tem um jeito especial de nos fazer ultrapassar situações difíceis e, depois, recordar-nos de onde viemos. Então, quando experimentamos o sucesso, percebemos, como José, que foi Deus que abriu a porta e, foi Ele que nos deu bençãos e sucesso. Depois passa a ser a nossa vez de abençoar outros!

segunda-feira, 20 de abril de 2015

NÃO OFEREÇAS A DEUS OS TEUS RESTOS!

O trabalho duro provoca suor. Repara que, quando Adão e Eva foram banidos do jardim do Éden, foi-lhes dito: "No suor do teu rosto comerás o teu pão." (Génesis 3:19). Os agricultores suam para transformar as suas colheitas em dinheiro, da mesma forma que os pedreiros numa obra. Tendemos a valorizar aquilo que nos dá trabalho, e Deus também valoriza os nossos esforços. Foi por isso que, quando teve oportunidade de oferecer um sacrifício a Deus, Davi disse: "Não oferecerei, ao Senhor meu Deus, holocaustos que não me custem nada." (2Samuel 24:24). Literalmente, , ou apenas de uma forma metafórica, a verdade é que tu suas para ganhares a vida. E será igual quando te comprometeres a adorar a Deus. Isto não significa necessariamente erguer as mãos e levantar a voz para O louvar na igreja. Estas coisas são boas nas alturas apropriadas. Mas a adoração profunda vai muito além disso. A palavra adoração (no inglês worship), deriva do termo anglo-saxónico "worth-ship", que significa "o acto de atribui valor a uma pessoa ou objecto". No Novo Testamento, a adoração implica serviço, reverência, humildade, amor e generosidade. Por exemplo, os dízimos e as ofertas são a parte da adoração em que honramos a Deus com parte dos nossos rendimentos (Provérbios 3:9), fruto do nosso tempo e energia. Quando sacrificas tempo de sono para te levantares cedo e passares tempo com Deus, também estás a fazer algo que requer esforço. E quando abdicas da tua rotina para ajudar alguém que precisa, estás a oferecer a Deus algo de real valor (1João 3:17). Por isso, hoje examina o teu coração e certifica-te de que estás a oferecer a Deus algo de valor, e não apenas as tuas sobras!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

RAZÕES PELAS QUAIS AS PESSOAS DEIXAM A IGREJA

Porque as regras da Casa do Pai parecem demasiado restritivas. Muitas pessoas querem o amor de Cristo mas não querem a Sua liderança, querem as Suas bençãos, mas não os Seus mandamentos. Não é que Ele ofereça pouco, mas é que o custo de O servir parece muito alto. Talvez tu estejas a pensar que se tivesses vivido nos dias de Cristo, se tivesses caminhado e falado com Ele e se O tivesses ouvido pregar, serias um melhor cristão. Pensa de novo, e lê João 6:60-70.
O verdadeiro discipulado não resulta de irmos a um culto especial na igreja. Não! É progressivo. É o resultado de termos "crido e conhecido" o Senhor enquanto caminhamos com Ele no topo da montanha e no vale. Tanto nos bons como nos maus momentos. É por isso que Pedro escreve: "E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a pedra que os edificadores reprovaram, essa foi a principal da esquina, é uma pedra de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes..." (1Pedro 2:7,8). O objectivo do Espírito Santo trabalhar na tua vida é fazer com que te submetas à vontade de Deus. E isso envolve uma relação...com regras!

segunda-feira, 13 de abril de 2015

SERVIÇO versus RIVALIDADE

Conta-se a história de um estudante ambicioso, que estava a tirar o curso numa faculdade muito exigente. Mesmo antes de se tornar finalista, conheceu um místico do Oriente que lhe disse: "Não percebes que estás a poluir a tua alma com a tua obsessão pelo sucesso? O teu ideal de felicidade é estudar 24 sobre 24 horas, para conseguires melhores notas do que os teus colegas. Não é assim que devemos viver. Vem connosco para um sítio especial, onde reina a partilha e o amor." Pensando que era uma excelente ideia, o rapaz ligou aos pais e disse-lhes que ia desistir do curso para ir viver numa comunidade. Seis meses depois, os pais receberam uma carta em casa a dizer: "Queridos pais, sei que ainda estão aborrecidos com a minha decisão. Mas quero que saibam que mudei radicalmente. O meu verdadeiro "eu" está de tal forma em sintonia com este modo de vida que só demorei seis meses a tornar-me o segundo melhor discípulo de toda a comunidade. E acho que em Junho já serei o melhor de todos."
A competição é algo positivo quando conduz à excelência, mas quando leva à rivalidade perde o valor. Certo dia, os discípulos de Cristo começaram a discutir sobre qual deles seria o maior no Reino dos Céus. Jesus escutou-os e depois, com uma toalha e uma bacia com água, começou a lavar-lhes os pés. Quando terminou eles estavam sem palavras, com os corações expostos e as atitudes corrigidas.
Paulo diz: "Haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus" (Filipenses 2:5). Conclusão: Sê um servo, não um rival!

segunda-feira, 6 de abril de 2015

DEMONSTRAR VERDADEIRA EMOÇÃO

Algumas pessoas são como um livro fechado, nunca ninguém consegue descobrir o que está dentro delas. Jesus não tinha medo de ser vulnerável. Ele chorou abertamente no túmulo do Seu amigo Lázaro. E tu? És capaz de demonstrar emoção verdadeira? Falas dos troféus que conquistaste, mas não das lágrimas de derramaste? Quando falas apenas do teu sucesso, mas não partilhas aquilo que passaste para o alcançares, deixas as pessoas  a sentir que nunca serão capazes de subir tão alto como tu. É isso que queres? Jesus enfurecia-se quando os fortes se aproveitavam dos fracos, e foi por isso que expulsou os vendilhões do templo. No entanto, chorou sobre o povo de Jerusalém, pois sabia quais seriam as consequências de O rejeitarem. Não estou, no entanto, a falar de demonstrações de temperamento descontrolado, ou de se desfazer em lágrimas cada vez que tiveres um problema. A menos que tenhas a capacidade de demonstrar um nível adequado de empatia e transparência, não terás credibilidade. Se fores capaz de ser duro, mas não carinhoso, as pessoas poderão admirar as tuas conquistas, mas manter-te-ão à distância. E tu ficarás só. Mas é uma solidão auto-imposta trazida pela tua falta de vontade em te abrir e deixar os outros entrar. O Senhor Jesus demonstrou emoções verdadeiras e honestas, tu também podes conseguir!

WEBTV ClubeMais+