segunda-feira, 20 de abril de 2015

NÃO OFEREÇAS A DEUS OS TEUS RESTOS!

O trabalho duro provoca suor. Repara que, quando Adão e Eva foram banidos do jardim do Éden, foi-lhes dito: "No suor do teu rosto comerás o teu pão." (Génesis 3:19). Os agricultores suam para transformar as suas colheitas em dinheiro, da mesma forma que os pedreiros numa obra. Tendemos a valorizar aquilo que nos dá trabalho, e Deus também valoriza os nossos esforços. Foi por isso que, quando teve oportunidade de oferecer um sacrifício a Deus, Davi disse: "Não oferecerei, ao Senhor meu Deus, holocaustos que não me custem nada." (2Samuel 24:24). Literalmente, , ou apenas de uma forma metafórica, a verdade é que tu suas para ganhares a vida. E será igual quando te comprometeres a adorar a Deus. Isto não significa necessariamente erguer as mãos e levantar a voz para O louvar na igreja. Estas coisas são boas nas alturas apropriadas. Mas a adoração profunda vai muito além disso. A palavra adoração (no inglês worship), deriva do termo anglo-saxónico "worth-ship", que significa "o acto de atribui valor a uma pessoa ou objecto". No Novo Testamento, a adoração implica serviço, reverência, humildade, amor e generosidade. Por exemplo, os dízimos e as ofertas são a parte da adoração em que honramos a Deus com parte dos nossos rendimentos (Provérbios 3:9), fruto do nosso tempo e energia. Quando sacrificas tempo de sono para te levantares cedo e passares tempo com Deus, também estás a fazer algo que requer esforço. E quando abdicas da tua rotina para ajudar alguém que precisa, estás a oferecer a Deus algo de real valor (1João 3:17). Por isso, hoje examina o teu coração e certifica-te de que estás a oferecer a Deus algo de valor, e não apenas as tuas sobras!

Sem comentários:

WEBTV ClubeMais+