terça-feira, 30 de dezembro de 2014

REDIMIDO, LIBERTADO E REDIRECIONADO

Quando Jesus estava em frente ao túmulo do seu amigo Lázaro disse: "Lázaro, sai para fora.", e o seu amigo, que estava morto há quatro dias, saiu, ainda com as mãos e os pés ligados, envolto nas suas roupas tumulares. Essas roupas não caíram simplesmente no momento em que Jesus falou com ele. Não, ele precisava de alguém que o desligasse e o deixasse ir. Há uma lição importante aqui: Quando alguém aceita Cristo como seu Salvador, Ele muda-o, de dentro para fora. Mas algumas experiências do passado podem atrasar essa mudança, e determinar a forma como se vê. E enquanto o Espírito Santo faz o trabalho inicial, a transformação é um processo, processo que precisa da ajuda dos outros. E isso não acontece da noite para o dia, leva tempo.
A Bíblia diz que "Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." (2Coríntios 5:17). Quando Jesus te salvou, é como se emergisses do túmulo embrulhado nas roupas do teu passado. E o que são essas roupas? As influências negativas e padrões de pensamento, baixa auto-estima, velhos hábitos, relações destrutivas, etc. É por isso que Deus envia pessoas para te amarem, te ajudarem a libertar-te e a libertar o teu verdadeiro potencial. É importante que identifiques essas pessoas e construas a tua vida à volta delas. Também é por isso que precisas de desenvolver uma relação íntima com Deus através da oração e da leitura da Bíblia. Através da Sua Palavra, consegues ter uma verdadeira imagem da forma como Ele te vê. Através da oração, consegues conhecer o Seu coração e começas a ver-te a ti mesmo através dos Seus olhos.
Quando isso acontece, começas a viver redimido, libertado e redirecionado!

sábado, 20 de dezembro de 2014

DEUS AMA-TE!

Deus sabe tudo o que há para saber sobre ti, incluindo o teu passado, o teu presente e o teu futuro. Nada lhe escapa.Ele sabe o teu nome (Isaías 43:1). Ele também sabes onde moras (Apocalipse 2:13). E há a parte mais fantástica: Mesmo conhecendo tudo sobre ti, Ele ama-te! Ele não diz: "Amo-te se..." Não há "ses" no coração de Deus. O Seu amor por ti existia antes de tu nasceres e irá continuar a existir depois de partires para a eternidade ("Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai: que fossemos chamados filhos de Deus..:" 1João 3:1). É isso que nós somos! Isso quer dizer que Deus não se importa com o que dizemos ou com o que fazemos? Não! Amar incondicionalmente não significa amar sem preocupação. Por vezes, confundimos amor incondicional com aprovação incondicional. Deus não aprova as nossas traições, egoísmo, orgulho, desonestidade, luxúria, ressentimento ou outra qualquer forma de pecado. Isto é o oposto ao amor que Deus põe nos nossos corações. O amor incondicional de Deus significa que Ele continua a amar-nos mesmo quando fazemos asneira; que Ele espera por nós tal como o pai que esperou pelo regresso do seu filho pródigo.
É importante que nos agarremos à verdade de que Deus nunca deixa de nos amar mesmo quando sofre com o que nós fazemos. "Mas porque razão é isso tão importante?" Perguntas tu. Porque o amor de Deus é o íman que nos atrairá de todas as vezes para Ele!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

FAZ O QUE AMAS, AMA O QUE FAZES

As pessoas bem sucedidas permitem que a paixão e o talento que Deus lhes deu guiem as suas vidas. Têm um único alvo e um mesmo coração. Deus não te criou para seres talentoso numa área para depois te pedir para te entregares a outra que não tem nada a ver. Há sempre um potencial alinhamento de talento e paixão, se tiveres a coragem de ires atrás do propósito da tua vida e correres riscos. O autor do livro "What Should I Do With My Life?" (O que fazer com a minha vida?) escreveu: "Estou convencido de que o sucesso dos negócios no futuro começa com uma questão: O que devo fazer com a minha vida? Sim, é isso. As pessoas não alcançam o sucesso ao mudarem para uma indústria que esteja na moda ou adoptarem um médium que lhes sirva de guia da carreira. As pessoas alcançam sucesso quando se focam na questão de quem realmente são e quando se ligam a um trabalho de que realmente gostam. E, quando o fazem, libertam uma energia produtiva e criativa que nunca imaginaram." Carly Fiorina disse: "Ame o que faz, ou não o faça. Escolha fazer algo que envolva o seu coração bem como a sua mente. Faça a escolha por ela envolver tudo o que há em si." Não te tornes um escravo dos sonhos dos outros, pois esse sonho pode tornar-se rapidamente um pesadelo.O Apóstolo Paulo escreveu: "Porque não ousamos classificar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos; mas estes que se medem a si mesmos, e se comparam consigo mesmos, estão sem entendimento. Porém não nos gloriaremos fora de medida, mas conforme a recta medida que Deus nos deu, para chegarmos até vós." (2Coríntios 10:12,13).
Se estás confuso, desfocado ou a andar em círculos, ora: "Senhor, dá-me uma visão clara e um coração indiviso." Esta é uma oração à qual Deus responderá!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

ESPELHO MEU, ESPELHO MEU

Muitas pessoas são infelizes com o que vêem no espelho. De facto, alguns são tão infelizes que gastam fortunas para mudar. E ainda que seja bom estar no seu melhor, Deus nunca quis que a nossa aparência fosse uma declaração do nosso valor para Ele ou para os outros. Seja quais foram os traços físicos que possas ter herdado, aqui ficam algumas verdades da Bíblia que vale a pena considerar:
1) Não gostares da tua aparência coloca-te em desacordo com Deus (Isaías 45:9). Deus quer que tu seja o Seu vaso, um vaso prático e útil; não um objecto de decoração (2Coríntios 4:7). O teu valor não está no teu aspecto, mas naquilo que tens dentro de ti. A mensagem da graça de Deus que pode mudar vidas!
2) Não gostares da tua aparência é o resultado de falsas comparações. Hoje somos levados a ser reflexos intangíveis. Modelos retocados vendem-nos de tudo na televisão, desde cereais a carros. Temos de ver as coisas como elas são (2Coríntios 10:12). A infelicidade em relação à tua aparência resulta da tua ignorância sobre o maravilhoso projecto de Deus para ti. Tudo ficará mais claro para ti quando tu olhares para Jesus, e só para Ele (Hebreus 12:2)!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

NÃO TEMAS

Deus pediu a Abraão para fazer uma coisa muito difícil: "...Sai-te da tua terra, e da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que Eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome e tu serás uma benção. Assim partiu Abraão, como o Senhor lhe tinha dito..." (Génesis 12:1-4). Se tens medo de mudar de trabalho, de casa ou de local, firma-te nesta passagem pois como filho remido de Deus tu tens direito à benção de Abraão. Todos os nossos medos se resumem a estas duas questões: Primeiro: "Senhor, vais proteger.me?"; Segundo: "Senhor, tomarás conta de mim?" Com Abraão, Deus responde às duas: "... Não temas, Abraão, Eu Sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão." (Génesis 15:1). As palavras "grandíssimo galardão", literalmente significam "Eu Sou a tua infalível, incansável e inesgotável fonte de provisão." Fantástico! Tu não tens de pedir protecção e provisões a mais ninguém; Deus trata de tudo! E repara no que acontece a seguir. Deus faz um pacto com Abraão (Génesis 15:18); Ele disse-lhe que tomaria conta dele e dos seus descendentes, mas houve um problema: "E as aves desciam sobre os cadáveres; Abraão, porém, as enxotava." (Génesis 15:11).
Há uma lição aqui. Mesmo que Deus tenha prometido tomar conta de ti, tu deves afastar ("enxotar") as preocupações que satanás te envia para ocupar-te a mente. E como se faz isso? Ficando firme nas promessas que Deus tem feito na Sua Palavra!

sábado, 6 de dezembro de 2014

PORQUE PRECISAS DE CORAGEM

1. Pelo bem dos outros. As pessoas estão a observar-te. Eles querem saber se irás enfrentar a situação com coragem ou irás curvar-te perante ela. A tua capacidade para demonstrar fé no meio das dificuldades dar-te-á coragem. A batalha não tem a ver só contigo, tem a ver também com aqueles que Deus planeou abençoar através de ti. Tu podes não ter fama ou dinheiro, mas tens influência. As atitudes que demonstras e as decisões que tomas podem influenciar os teus filhos e os teus netos. Tu podes dizer: “Mas eu tenho medo”. Todos sentimos medo. Mas o salmista disse: “No dia em que eu temer, hei-de confiar em ti.” (Salmo 56:3).
2. Para o bem dos teus inimigos. Davi escreveu: “Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos…” (Salmo 23:5). Deus não só irá lutar por ti, mas também irá sustentar-te diante dos que te criticam. É bom ter críticos. Por vezes, um inimigo pode pressionar-te a chegar à vitória que um amigo não conseguiria. Quem é alguma vez iria ouvir falar de Davi sem Golias? Quem teria conhecido Moisés, se não existisse um Faraó a oprimir o povo de Deus? E o que se teria sabido sobre Ester sem o plano maldoso de Hamã contra os judeus? Qual é o teu sonho? Existe algum inimigo entre ele e a sua realização? Atreve-te a confrontá-lo e ele tornar-se-á um instrumento na mão de Deus para te fazer chegar àquilo que sonhaste!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

FÉ RADICAL

Quando alguém está morto e enterrado é o final da história. Acreditar em Deus perante uma situação destas requer fé radical. Antes de acontecer a morte de Lázaro, Marta tinha fé “se…” “Senhor, se Tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.” (João 11:21). Mas depois ela começou a perceber o que Jesus podia fazer, e mudou a fé “Mas também” “Mas também agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá.”
A Fé Radical diz: “Senhor acredito que o meu futuro pode ser melhor do que o meu passado, que Tu podes mudar completamente a minha situação e tirar a vitória das garras da derrota, pois nada é demasiado difícil para Ti.” A Fé Radical ao enfrentar circunstâncias radicais traz resultados radicais. Ele pode voltar a dar-te o que amavas e perdeste. Ele pode restaurar o que a vida te tirou e muito mais! Para Ele, seja qual for a tua situação, nada é impossível! Tu nunca saberás o que o Senhor pode fazer enquanto não O convidares para a tua situação: “Mandaram-lhe pois suas irmãs dizer…” (João 11:3).

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

PORQUE OROU PAULO

No que diz respeito àqueles que amava, Paulo orava para que:
1) Eles compreendessem a vontade de Deus. “...e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade,em toda a sabedoria e inteligência espiritual.” Roma não era um lugar faço para ser cristão, no entanto Paulo escreveu: “Quanto à vossa obediência, é ela conhecida de todos.” (Romanos 16:19). A obediência à vontade de Deus deveria ser a sua prioridade número um. Ninguém deveria ter dúvidas quanto ao seu nível de compromisso com Jesus.
2) As suas vidas agradassem a Deus.”Para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo.” (Colossenses 1:10). Quando estivermos perante Deus para sermos recompensados não ouviremos as palavras “bem dito” ou “bem planeado”, mas sim “Bem está,servo bom e fiel.” (Mateus 25:21).
3) Prosperassem no trabalho que Deus.”...frutificando em toda a boa obra.” (Colossenses 1:10).Nada traz tanta alegria ao coração de um pai como ver os seus filhos serem bens sucedidos. E Deus sente o mesmo em relação a nós.
4) Que eles louvassem ao Senhor.”Dando graças ao Pai, que nos fez idôneos para participar na herança dos santos na luz.” (Colossenses 1:12).Por outras palavras, vivamos com uma atitude de gratidão e um coração de louvor.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

FORTALECE A TUA FÉ!

Quando Deus quer fazer de nós pessoas melhores, Ele fá-lo através da “angústia”. A forma de ter mais músculo é levantar mais peso. Quando um músculo é colocado sobre pressão, nós gememos. Mas se persistirmos esse músculo fica mais forte e os nossos gemidos transformam-se em sorrisos.
Quem disse que a vida cristã era fácil? Não foi Deus! A Palavra de Deus compara a vida cristã a um campo de batalha, não a uma cama de rosas (2Timóteo 2:3). O alvo número um do diabo é a nossa fé! O Senhor Jesus disse a Pedro: (Lucas 22:31,32). Da mesma maneira que se separa o trigo do joio, o diabo quer separar-nos da nossa fé. Pedro não só sobreviveu a este ataque, como também cresceu com ele (1Pedro 4:12). Porque temos tendência a ficar chocados quando as provas aparecem no nosso caminho, Pedro trata a nossa atitude em relação ao ataque. Ele quer que nós saibamos como pensar quando estamos a ser atacados, para que compreendamos a pertinência da batalha que estamos a combater. O diabo pode atacar a nossa saúde, as nossas finanças, mas ele está mesmo é atrás da nossa fé.
Se ele conseguir destruir a nossa confiança em Deus e na Sua Palavra, ele vence e nós perdemos. Então, a palavra para nós é: “Fortaleçamos a nossa fé!”

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

PODADO PARA DAR MELHOR FRUTO

Algumas pessoas vêem a vida cristã como um mar de rosas, outras como um campo de batalha. O primeiro grupo diz: "Se eu tiver fé suficiente nunca ficarei doente, falido ou com problemas." O segundo grupo diz: "Tenho mais problemas do que Jó."
A verdade é que o nosso nível de fé revela-se nos tempos difíceis. Quando os problemas são financeiros precisamos de fé para acreditar que Deus é Jeová Jireh, o Senhor que provê. Quando a lutamos contra a doença precisamos de fé para acreditar que Ele é Jeová Rapha, o grande médico que promete curar as nossas enfermidades. O Senhor Jesus disse: "Quem está em Mim, esse dá muito fruto." (João 15:5). Repara, a benção vem de estar n'Ele. Ficar excitado com o fruto antes de aprender a semear significa que acaba por servir a Deus pelo que Ele faz, em vez daquilo que Ele é.
Outra coisa: Não uses a tua fé para depreciares os outros. Só porque acabaste o curso não significa que tens de dizer mal da escola! Lembra-te de que nem tudo correu bem, mas Deus ajudou-te a ultrapassar isso, não foi? E Ele ajudará também todos os os outros que lhe pedirem. Sim, a vida cristã é um campo de batalha. E o nível de ataque é determinado pelo tamanho da tarefa que Deus te deu, e das recompensas que esperam para além dela. Então, nesse aspecto, o ataque do diabo é um elogio. Tu podes ser regularmente podado para dar um fruto melhor. Mas é aí que o mais importante "é estar em Deus". Então, não desistas, não colapses, pois para lá deste teste terás um testemunho da bondade de Deus.

domingo, 9 de novembro de 2014

O CREDO DE JÓ

 Jó sobreviveu às chagas e à bancarrota e saiu de tudo isso com a sua fé intacta. Porquê? Porque ele vivia segundo algo em que acreditava.
1) Porque eu sei…” (Jó 19:25) – Quando conseguimos dizer “Eu sei”, é um ponto de exclamação num mundo de pontos de interrogação. Jó não disse: “Disseram-me”. O que ele sabia sobre Deus, ele sabia-o através da experiência e através da revelação pessoal. É possível uma vida assim? Sim! “E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo.” (1João 2:20). Podemos saber coisas sobre Deus que não conseguimos explicar, e porquê? Porque elas só são discernidas espiritualmente
2) “…que o meu Redentor vive.” Embora Cristo ainda não tivesse nascido, Jó teve uma revelação da pré-existência do Redentor que as Escrituras revelam como o “Ancião de dias” (Daniel 7:22). A quem Miqueias se referiu como Aquele “…cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” (Miqueias 5:2).
3) “…e que por fim se levantará sobre a Terra.” A verdade é que, a primeira vez que Jesus veio, Ele veio para salvar. Na próxima vez que vier, virá para reinar. A Sua primeira vinda foi para ser o nosso Redentor, a Sua segunda vinda será para inaugurar o Seu Reino aqui na Terra, como Rei dos reis. (Tito 2:13).

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

PRECONCEITOS

“Havia” pelo menos cinco barreiras entre a mulher samaritana e Cristo:
1) Do sexo. Os discípulos ficaram surpreendidos que Jesus estivesse a conversar com uma mulher (vs.27). Os rabis nem queriam que as mulheres fossem educadas.
2) Da nacionalidade. Não nos podemos esquecer que Cristo é o Salvador do mundo inteiro e não de uma raça ou povo em especial.
3) Do carácter. A mulher samaritana sabia que não havia Rabi que se chegasse perto dela. Embora Jesus, como Messias, viesse da tribo de Judá, nunca se chamou “Filho de Israel”; sempre é Filho do HOMEM, da Humanidade inteira. Não havia lugar na Sua mente e no Seu coração para qualquer tipo de preconceito.
4) Da ignorância. Os descrentes, perguntam porque é que, se a vinda de Jesus fez tão grande transformação como os crentes dizem, porque é que os filósofos gregos e romanos não O reconheceram? Mas a ignorância de uma coisa não é prova de que tal coisa não exista. A ignorância desta mulher (vs.11), não era maior do que a de Nicodemos (João 3:4). Nas coisas de Deus, os mais educados não têm vantagem sobre os menos educados.
5) Da religião. (vs.20). Havia já muitos séculos que havia contenda entre Judá e as dez tribos sobre esta questão (1Reis 12:1-33). Mas quando Jesus terminou o Seu discurso com ela, todas as barreiras estavam ultrapassadas. A mulher recebeu novos horizontes sobre a vida, o seu carácter foi transformado e a sua alma iluminada.

Em vez de erguermos os punhos contra uma cultura secular, e de sermos separatistas alienados, sequestrados em enclaves cristãos, devemos transformar os lugares ao nosso redor em catedrais com o nosso testemunho. Se a Igreja de hoje puser de lado a sua raiva e frustração e, ao invés, disso entoar a mensagem da salvação nos lugares onde é necessário, talvez possa espantar um mundo cansado com o poder do Evangelho.
A Igreja não e um grupinho especial, isolado, à parte, permanecendo intocado nas mudanças do mundo. A Igreja de Cristo habita no mundo com o objectivo que ele, mundo, seja salvo pela nossa fé (1João 5:4). Não habitamos no mundo para condená-lo, mas para amá-lo!
A nossa tarefa não é protestar junto do mundo a favor de uma certa conformidade moral, mas atrair esse mesmo mundo para a salvação que só há em Jesus! E fazemos essa tarefa melhor não pelo protesto ou pela acção política, mas por exercer uma presença santa no mundo.
Mas não pudemos confundir a nossa missão de sermos fiéis, como sociedade alternativa de Deus, com a tentativa de dirigir o mundo pela imposição do Cristianismo. Quando João e Tiago, a quem, por razões óbvias, Jesus chamou "filhos do trovão", expressaram o desejo de reinar com Cristo, na versão imaginaria deles de Jesus como César, Jesus deixou muito claro que eles não sabiam do que estavam a falar, e que a via do domínio político nunca seria a vida do Seu reino (Marcos 10:35-45). Jesus disse: "Não será assim entre vós!" (Marcos 10:43). Jesus estava a fazer algo novo e verdadeiramente belo. Jesus disse a Pilatos: "O meu reino não é deste mundo." Faz parte da beleza do mistério do Cristianismo que o Reino de Deus venha, não pela espada do poder político, mas pela cruz do amor.
É verdade que vivemos num mundo em que muitas coisas estão erradas mas o que está mais errado com o mundo não são as pessoas, mas sim a distorção da Humanidade provocada pelas forças espirituais da maldade, que colocam nas pessoas a ganância, o orgulho e a luxuria, e consequentemente leva a que o que Deus criou seja distorcido.
 Como seguidores de Cristo, somos chamados para demonstrar uma autêntica alternativa cristã. Foi isto que o Senhor Jesus fez com a mulher samaritana. Não a coagiu a nada, mas mostrou-lhe que havia uma alternativa, se ela quisesse, para mudar de vida. É assim que somos sal e luz. 
É assim que fazemos brilhar uma cidade no topo de uma colina. Temos de ser o modelo do que significa ser como Cristo num mundo semelhante a César. 
Mas ser como Cristo num mundo semelhante a César exige que abracemos a cruz!
Alguém disse (Arcebispo Lazar Puhalo): “A verdadeira moralidade consiste no cuidado que temos pelos outros, não com o tipo de comportamento que lhe queremos impor.” 
A obsessão com os resultados e a exigência de ver uma forma rápida e lógica, em que a presente acção produzirá o bem desejado, são a via de César, mas não a via da cruz. A obsessão pelos resultados é, entre outras coisas, um abandono da fé.
Pedro estava pronto a lutar. Mas Jesus disse a Pedro que guardasse a sua arma. Não iria haver uma revolução sangrenta. Nem mesmo um protesto. Em vez disso, Jesus foi à cruz e morreu. Ao rejeitar a via de César, Cristo mostrou que o mundo podia ser encarado de forma diferente. Não de acordo com o uso da força, do poder ou da subjugação, mas do amor ágape.
Não nos esqueçamos da oração do Senhor Jesus: “Pai, nas Tuas mãos entrego o meu espírito.” (Lucas 23:46). Podemos compreender a oração do Senhor Jesus como algo assim: “Pai, obedeci-te, mostrei ao mundo o teu caminho, mas o mundo rejeitou-me. Perdoo-os, mas estou a morrer. Agora, confio-te tudo.” 
Esta é a via da cruz. É o caminho da fé. Ele teve de confiar ao Pai os resultados.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

NÃO CEDAS À AMARGURA

No que diz respeito à amargura (Efésios 3:1), há duas coisas que precisamos de ter sempre presente na nossa mente:
Primeira: É contagiosa. Tu e eu somos parte do corpo de Cristo. Então o que acontece dentro de nós, afecta, positivamente ou negativamente, aqueles a quem estamos ligados (1Coríntios 12:26). Uma mordidela de uma serpente não afecta apenas a parte do corpo que é mordida, o veneno espalha-se por todo o corpo, afectando todos os órgãos. (Hebreus 12:15). Todos nós precisamos uns dos outros. Ao conseguirmos ultrapassar a amargura vamos espalhar as bênçãos de Deus uns aos outros.
Segunda: Pode ser ultrapassada. Quando tomamos consciência dela e a admitimos. Quando nos arrependemos e rejeitamos qualquer atitude que não é de Cristo. Quando nos submetemos a Deus. Não infectando os outros e não deixar que os outros nos infectem. Tomemos a decisão de perdoar tudo o que é feito contra nós (“…perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.” Efésios 4:32). Procuremos formas práticas para que isto seja realidade (“Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos…”Efésios 4:32).

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

EDIFICANDO A TUA FÉ

Judas coloca a responsabilidade de tu e eu nos edificarmos espiritualmente sobre a nossa fé (vs.20). Existem dois tipos de fé: A “fé mecânica” e a “fé intencional”.
Cada vez que eu carrego num interruptor estou a exercitar “fé mecânica”. Mas quando enfrento o desconhecido, quando enfrento o que nunca foi tentado nem nunca foi feito, preciso da “fé intencional”, a fé que acredita que Deus “…é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente, além daquilo que pedimos ou pensamos.” (Efésios 3:20).
Se eu for proactivo, a minha fé irá crescer. Se eu for passivo isso não irá acontecer. Há uma erosão da nossa fé que vem das lutas do dia-a-dia. Se não fizermos nada para fortalecer e segurar a nossa fé, esta começa a deteriorar-se.
Cristo disse à igreja de Éfeso que se lembrasse da altura que tinha caído. Que coisa tão estranha para se dizer! Se eu caísse de uma altura significativa, de certeza que me lembraria. Mas se a queda fosse gradual seria diferente. Então perguntemos a nós mesmos: “Será que aqueles que me conhecem melhor começaram a reparar que o brilho desapareceu dos meus olhos, a alegria dos meus passos, a paz do meu espírito e a Palavra de Deus das minhas conversas?"
A fé é como um músculo; se não a exercitarmos consistentemente e constantemente, ficará atrofiada e fraca. A Palavra de Deus diz: “Sê vigilante e confirma os restantes, que estavam para morrer…” (Apocalipse 3:2).

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

RAABE

Raabe estava segura desde que ficasse dentro de casa. Antes de conquistar Jericó, Josué enviou dois espias numa missão de reconhecimento. Foi então que conheceram Raabe e fizeram amizade com ela e deram um fio de escarlate para pendurar na sua janela, para identificar a sua casa quando Israel invadisse Jericó não lhes fazer mal (2:18). Mas reparemos nas instruções que lhe foram dadas: “Será pois que qualquer que sair fora da porta da tua casa o seu sangue será sobre a sua cabeça, e nós seremos sem culpa; mas qualquer que estiver contigo em casa o seu sangue seja a nossa cabeça, se nele se puser mão.” (2:19).
Há uma lição aqui: “Entra na casa de Deus enquanto é tempo!” Se te estás a afastar da casa de Deus a mensagem é: “Não deixes a casa!”
No que diz respeito à importância de ficar debaixo da protecção de Deus, há duas grandes ilustrações bíblicas: “…porém nenhum de vós saia da porta da sua casa até de manhã.” (Êxodo 12:22). E segundo: “Disse Paulo ao centurião e aos soldados. Se estes não ficarem no navio, não podereis salvar-vos.” (Actos 27:31).
Percebemos a mensagem? Fiquemos na Igreja. Fiquemos na Palavra de Deus. Fiquemos no lugar de oração. Fiquemos na companhia daqueles que nos podem ajudar espiritualmente. 
Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Omnipotente descansará.” (Salmo 91:1).

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

FAZEI TUDO O QUE ELE VOS DISSER!


O primeiro milagre que Jesus operou foi durante um casamento. Quando os noivos distribuíram os convites tiveram o bom senso de Lhe enviar um. Precisas de um milagre hoje? Convida Jesus, e presta atenção àquilo que Ele te disser…e faz! O Senhor Jesus disse aos servos para encherem de água recipientes onde deveria estar vinho. Não fazia sentido. Mas também não fazia sentido andar às voltas das muralhas de Jericó sete vezes, ou esfregar lama nos olhos de um homem cego. E, no entanto, as muralhas de Jericó caíram e o homem cego passou a ver. Essencialmente o que o Senhor Jesus disse naquele dia durante o casamento foi: “Dêem-me o que vocês têm e Eu dar-vos-ei de volta aquilo de que precisam!” E as coisas funcionam assim. Chama-se a lei da colheita: “O que semeia em abundância, com abundância também ceifará.” (2Coríntios 9:6). Jesus sabe como encher as nossas redes vazias. Deus agrada-se criar a partir do nada (Génesis 1), pois assim não restam dúvidas quanto a quem pertence o poder e quem merece todo o louvor. Pedro sabia muito sobre peixes, mas Jesus sabia mais. Ele sabia onde os peixes estavam. O nosso Deus sabe qual é o sítio certo, o tempo certo e a forma certa. Por isso façamos o que Ele nos disser. Se o fizermos seremos bem-sucedidos em todas as áreas.
Mas não nos esqueçamos, a fórmula é sempre: “Fazei tudo o que Ele vos disser!”  

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

PÁRA DE TE ESCONDER!

Esta é a primeira pergunta que Deus faz na Bíblia: “Adão, onde estás?” (Génesis 3:9). É esta pergunta que tu precisas de fazer a ti mesmo: “Onde estou eu, realmente?” Se não sabes a resposta, ou sabes mas não gostas dela, então isto é para ti. Quando Deus perguntou a Adão: “Onde estás?”, Ele respondeu, dizendo: “Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi porque estava nu, e escondi-me.” (3:10). É incrível a distância que podemos percorrer para nos escondermos. Enterramo-nos em trabalho, construímos um muro à volta do nosso coração, fazemos tudo menos enfrentar a verdade. Deus não estava a tentar encontrar Adão, Ele só queria que Adão se encontrasse a si mesmo. Enquanto não fizermos o mesmo, estamos verdadeiramente perdidos. E o problema é quando nos escondemos tornamo-nos impostores. Há duas coisas péssimas: Enganar-se a si mesmo e tentar enganar Deus. É neste ponto que te encontras hoje? Com medo de olhares para o teu coração? A boa notícia é que Adão estava nu, mas Deus vestiu-o; era culpado, mas Deus ilibou-o; estava ansioso, mas Deus confortou-o. E se tu fores até Ele hoje, Deus irá limpar-te, vestir-te e confortar-te. Ele só está à espera que Lhe dês a oportunidade para Ele fazê-lo!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

ANDAR POR CIMA DA TÁBUA

É fácil andar por cima de uma tábua quando ela está no chão, mas basta levantá-la um pouco e torna-se mais complicado. Imagine essa mesma tábua elevada a uns 30 metros acima do chão, sem rede de segurança por baixo; parece assustador, não é? A Bíblia diz que “o medo produz tormento”. E quanto mais coisas estiverem em jogo pior é, e desenvolvemos um estado de contínuos “E se…” O medo consiste em vivermos no futuro antes de chegarmos lá. De entre os monstros escondidos debaixo da ponte temos dois: 1) O medo do fracasso. Aceitar que ao longo da nossa caminhada vamos por vezes fracassar, faz com que aprendemos com os erros que nos fizeram fracassar e não os iremos repetir. 2) O medo da imperfeição. Este tipo de medo torna tudo mais difícil, porque os perfeccionistas vivem obcecados com a ideia de falhar. É impossível aprender sem cometer erros; por isso, aprenda e continue com a vida. Deus diz na Sua Palavra: “Não temas, porque eu Sou contigo.” Por isso pensemos naquilo que Ele quer e vamos deixar de nos preocupar em agradar aos outros.
Quando olhamos para trás e vimos o que já ultrapassámos, vamos aperceber-nos de que, o fracasso não causou danos permanentes. Concluímos que até é (foi) possível crescer através dele, fracasso. Por isso mantenha-se firme. Com Deus conseguimos andar por cima de qualquer tábua. Quem sabe, até podemos vir a ter prazer no desafio!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

A SOBERANIA de DEUS

Reconhecer a soberania de Deus em todas as coisas não nos torna marionetas sem vontade própria, nem nos iliba de toda a responsabilidade. Pelo contrário:
(1) Liberta-nos de toda a ansiedade. Quando descansamos no amor de Deus podemos dizer: "Bondade e Misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida" (Salmo 23:6). Trata-se de um "certamente" que o nosso agente de seguros, ou qualquer outra pessoa não nos pode dar.
(2) Liberta-nos da necessidade de compreender tudo. Deixamos de estar sujeitos à tirania das respostas. Podemos dizer: "Não sei, mas confio Naquele que sabe". O perigo de termos alguns conhecimentos teológicos é começarmos a pensar que conseguimos explicar o inexplicável. Sejamos realistas, é impossível sabermos ao certo porque é que Deus abre umas portas e fecha outras, ou como é que Ele faz para transformar o mal em bem. Deus age como age, e geralmente não nos dá satisfações.
(3) Livra-nos do orgulho. O Apóstolo Paulo escreve: "Dele, e por meio Dele, e para Ele são todas as coisas." Se queremos limitar a soberania de Deus, temos de retirar a expressão "todas as coisas" desta passagem, tal como a que está escrita aos Romanos (8:28): "...todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus...".
Se Deus diz "todas as coisas", é mesmo disso que se trata! A escolha é simples: Ou confiamos em Deus, ou tentamos nós fazer as vezes do Todo-Poderoso. E é fácil perceber qual é a melhor decisão!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

SANSÃO e JOSÉ

Sansão era um perdedor, José era um vencedor. Sansão tinha tudo a correr bem para ele. Ele era o produto de um nascimento milagroso, criado por pais tementes a Deus e a quem foi dada uma força sobrenatural (Juízes 13:1-25). No entanto ele falhou miseravelmente. Porquê?
1) Ele não orava. A única vez em que se lê que Sansão orava é quando ele estava com problemas. Isto não nos diz nada? Se fizermos uma análise aos destroços da nossa vida, descobriremos que nessas alturas abandonámos o lugar da oração. Não se pode conduzir o carro com o depósito vazio ou pagar as contas e não querer trabalhar. E não se pode viver uma vida cristã vitoriosa sem orar diariamente.
2) Ele recusava-se a viver pela Palavra de Deus. Quando foi confrontado pelos seus pais sobre casar com a mulher errada disse-lhes: “…ela agrada aos meus olhos.” (Juízes 14:3). Quando se é guiado pelos sentimentos e não pela Palavra de Deus, está-se à procura de sarilhos. Uma das melhores definições de desobediência é “obediência incompleta”. Não se pode escolher quais as partes das Escrituras segundo as quais se quer viver e depois ignorar as outras partes.
3) Ele tinha o espírito errado. Enquanto José estendia o seu perdão àqueles que o magoavam, Sansão orava por vingança.  

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

A MORTE de CRISTO

A morte de Cristo foi poderosa, o maior de todos os milagres. O poder de morrer é o maior de todos os poderes.
1- Poderosa na sua natureza. Não se poderia confiar em Cristo se Ele fosse uma vítima sem poder para livrar-se a Si mesmo da Sua morte. Se fosse Cristo somente uma vítima da Sua morte Ele não nos poderia ajudar na nossa morte, na tua morte. Mas, Jesus Cristo morreu com o propósito de salvar o pecador da morte.
2- Poderosa nos seus efeitos. O sangue de Cristo não foi derramado em vão. Ele não morreu à toa e por isso nunca ficará desapontado com os resultados da Sua morte. No Calvário Ele satisfez os requisitos da justiça de Deus, e assim Deus não nos condenou. Ele morreu para levar-nos a Deus.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O NOSSO VALOR

Há cinquenta anos, o Buda de Ouro foi descoberto na cidade de Bangcoque, na Tailândia. 
Durante anos, uma estátua de Buda enorme, feio, feito de gesso, sentou-se no meio da cidade. Os visitantes colocavam nela, latas de sumo vazias e outros tipos de lixo. Um dia um sacerdote decidiu levar a velha estátua para o seu templo. Durante o processo da mudança, ela rachou-se. Enquanto os pedaços se desmoronavam, o sacerdote percebeu algo que estava sob a casca de gesso. Ele reuniu alguns ajudantes. Retiraram a casca e dentro encontraram a maior amostra de ouro esculpido do mundo, que media três metros de altura. Ela esteve ali durante anos, mas ninguém sabia. 
Nós parecemo-nos muito com aquela estátua. O nosso real valor está dentro de nós, e apenas necessitamos parar e reconhecê-lo. Nós não podemos agir coerentemente, se o fizermos de um modo incompatível com o modo como nos vemos a nós próprios. Temos de agir de um modo que reflicta a nossa perspectiva sobre nós próprios. Se nos consideramos médios, o nosso desempenho será médio. 
De vez em quando podemos ter um dia realmente óptimo e ter um melhor desempenho. Poderemos até pensar: «Isto foi fantástico, realmente superei-me» No entanto, a não ser que descubramos os nossos dons, o nosso valor, e o nosso potencial dados por Deus, recuaremos para o nosso antigo nível de vida porque pensamos: «Este não é o meu verdadeiro eu». Que desperdício! 

domingo, 10 de agosto de 2014

GANHAR CRISTO!

Quando João estava prisioneiro na ilha de Patmos, longe da sua família e dos seus amigos, teve uma visão de Jesus. Incrível revelação no meio do caos, da dor; é assim que funciona! As circunstâncias difíceis pelas quais possas estar a passar neste momento podem clarificar as tuas percepções, levar-te a procurar Deus como nunca antes fizestes. A experiência, negativa, de João, e de tantos outros, prova que estas, experiências negativas, não escondem o Senhor de nós! Antes, revelam-No. Em vez de destruir-te, os ataques do inimigo podem na verdade desenvolver-te. Em Hebreus, 11, vemos duas coisas: São as obras da fé e a profundidade da fé. Onde é que Deus provou a Sua fidelidade a Daniel? Na cova dos leões. Onde é que Deus se revelou aos amigos de Daniel? Na fornalha.
Há um lugar em Deus onde as provas mais difíceis consomem tudo à excepção do teu desejo em conhecê-Lo. Embora, por vezes, esse lugar possa escapar ao teu alcance, não deixes que ele escape ao teu olhar. Era o objectivo de Paulo (Filipenses 3:8).
Cá está! Sem reservas, sem fugas e sem arrependimentos; apenas um desejo de conhecer Deus intimamente e um compromisso de “ganhar Cristo”. Deixa que seja hoje o desejo do teu coração.

terça-feira, 29 de julho de 2014

DEUS, O PAI!

O Senhor Jesus contou a história de um filho que saiu da casa de seu pai. Depois da ascenção e da queda, este fugitivo acordou numa pocilga, perguntando-se: “Como cheguei até aqui? Preciso de voltar para trás, mas o que irá o meu pai dizer?”
Já alguma vez pensámos nisto: “Se eu voltar atrás, como irá Deus receber-me?” Alguns dizem que Ele não quer saber mais de nós. Mas não é assim que Jesus descreveu o Seu Pai.
Lucas escreveu isto na Bíblia para que todos os querem correr saibam o que podem esperar quando quiserem reverter o seu caminho. Estás a fugir de Deus? Pára, volta e regressa a casa. Ele está à espera para te dar as boas vindas.
Não há pecado que ele não possa perdoar e não há nenhum vício que o sangue de Jesus não possa remover.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

OS PRINCÍPIOS DE GIBEOM

Os gibeonitas eram uma nação que Deus disse a Josué para destruir. Apesar de serem gentios, eram sábios o suficiente para saberem que estavam no lado errado. Então disfarçaram-se e convenceram Josué a fazer um pacto com eles, dizendo: “Nós somos teus servos…” (Josué 9:8).
Quando os seus velhos aliados ouviram que eles tinham unido forças com Israel, declararam-lhes guerra. Por causa do pacto que tinha feito com eles, Josué lutou por eles e livrou-os. Esta passagem da Bíblia pode ensinar-nos três coisas:
Primeiro: Chega um momento em que, a fim de seguir a Deus, temos de fazer a ruptura com o nosso passado. Algo que nos perturba é querermos seguir em frente, mas pensando que vamos aborrecer alguém com essa atitude ficamos para trás. Mas temos de ultrapassar isso. “Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo.” (2Coríntios 5:17).
Segundo: Os gibeonitas estavam desejosos de se humilhar e de pedir ajuda. Não importa o quão dotado possas ser, haverá alturas em terás de chegar perto dos outros e dizer: “Estou com problemas, ajudem-me.”
Terceiro: Quando te recordares onde já estiveste, ficarás grato pelo lugar onde estás. Os gibeonitas ficaram como lenhadores e transportadores de água; estavam felizes só por servir. Esquece aquela ideia de quereres ser uma celebridade espiritual. Limita-te a servir! Servir é vertical: “Servi ao Senhor com alegria.” (Salmo 100:2), mas também é horizontal: “…servi-vos uns aos outros pela caridade.” (Gálatas 5:13).

segunda-feira, 14 de julho de 2014

A FÉ NÃO EXIGE EXPLICAÇÕES

A lepra é uma morte lenta e dolorosa. Primeiro, perde-se os dedos das mãos e não podiam trabalhar; depois perde-se os dedos dos pés e não se pode andar; depois ataca os órgãos internos. Cada dia, o leproso perde um pouco mais de si próprio.
1. Se sentes que “estás a perder algo” vira-te para Jesus. Só Ele pode restaurar o que perdestes e restituir-te a paz e a alegria.
2. Levanta a tua voz com dignidade. As pessoas desesperadas fazem coisas desesperadas. Deus promete: “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o coração.” (Jeremias 29:13)
3. Seja o que for que Deus te diga, faz. Não imponhas condições a Deus. Não procures uma experiência parecida com a de outra pessoa. Jesus disse aos leprosos para irem mostrar-se ao Sacerdote. Simplesmente falou com eles. Não perguntes, obedece! A fé não exige explicações.
4. Dá um passo de fé. Lucas escreve: “…eles ficaram limpos.” Tens de avançar, cada passo leva-te a um passo mais à frente. Nada vai acontecer antes de dares o primeiro passo!
5. Começa a louvar a Deus. Apenas um dos dez voltou para agradecer, e Jesus reparou nisso. Quando lhe agradecemos, sabemos que podemos voltar outra vez com confiança.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

PRAZER de DEUS

Deus tem prazer em ver os Seus filhos serem bem-sucedidos. Qual o pai que não tem o mesmo desejo para os seus filhos?
Davi queria construir o Templo, mas em vez dele, Deus escolheu o seu filho Salomão. Por vezes, os nossos desejos são diferentes dos de Deus, então precisamos de O consultar antes de darmos os nossos passos. Se o desejo por algo em nós persiste, é uma indicação que Deus nos está a guiar. Então, estejamos atentos aos sinais, escutemos o Espírito Santo, avaliemos tudo em oração; estejamos prontos para responder a Deus; rejeitemos tudo o que nos possa trazer dúvidas; peçamos sabedoria a Deus e esperemos por ela. A sabedoria é a capacidade de ver e interpretar as coisas através dos olhos de Deus. Que vantagem! (Salmo 119:130). Afinal de contas, Deus uma vez Deus usou um burro e mudou a História (Números 22:27-34).
Quando Deus nos salva Ele renova a nossa mente, pois este é o quadro onde Ele vai desenhar o nosso futuro. Lidar com a mente deve ser uma das nossas maiores prioridades (Filipenses 4:8).
Não vamos continuar a justificar o falhanço. Recusemos bloquear. Em vez disso, assinalemos a data de hoje do nosso calendário e declaremos, em nome de Jesus, que os melhores dias da nossa vida estão a começar agora mesmo (Salmo 37:25).

segunda-feira, 23 de junho de 2014

COMO TIRAR PARTIDO DO TEMPO

Os nossos dias são como malas iguais, mas algumas pessoas conseguem enchê-las mais do que outras, isso é porque sabem como embalar, guardar, arrumar.
Todos temos vinte e quatro horas, mas nem todos tiramos o mesmo partido delas. A verdade é que se não gerimos o nosso tempo temos dificuldade em gerir a nossa vida.
O tempo não pode ser controlado, continua, não importa o que fazemos. Ninguém, por muito inteligente que seja, pode guardar minutos de um dia para gastar no outro. Nenhum cientista é capaz de criar minutos novos. Nenhum milionário deste mundo é capaz de comprar minutos novos. As pessoas falam em tentar encontrar tempo, mas têm de parar de procurar. Não existem horas a mais por aí. Vinte e quatro horas é o máximo que cada um de nós pode ter. As pessoas sábias entendem que o tempo é o seu bem mais precioso e, como resultado disso, sabem onde gastar o seu tempo. Continuamente analisam como estão a usar o seu tempo e perguntam-se “Estarei a tirar o melhor partido do meu tempo?”
Alguém escreveu: “Nós não pagamos as coisas com dinheiro, pagamos com tempo.” Por exemplo quando dizemos que daqui a cinco anos terei dinheiro suficiente para pagar isto ou aquilo, significa que isso que lhe vai custar um décima segunda parte da nossa vida adulta.

domingo, 15 de junho de 2014

DEUS de CONSOLAÇÃO

Deus pode fazer-nos sentir confortáveis mesmo nos locais mais desconfortáveis. Ele pode libertar-nos de situações nas quais pensávamos que ficaríamos presos para sempre. Ele pode dar-nos paz, mesmo no meio do drama. Antes de a nossa vida acabar, viveremos, amaremos e experimentaremos, também, a perda.
Perder algumas coisas ajudar-nos-á a apreciar as coisas que ainda temos. É o sabor do falhanço que faz o sucesso ser tão doce. Como se pode celebrar a vitória se nunca se soube o que era perder? Podemos viver cada dia sem saber o que o amanhã nos reserva, mas saberemos que Deus sustém todos os nossos amanhãs.
Eles não estão nas mãos do seu patrão, do corrector da bolsa, dos governantes outra pessoa qualquer. Nem estão nas tuas mãos para que os possas manipular ou controlar. Não, todos os nossos amanhãs estão nas mãos de Deus!
Ele estará lá quando tudo e todos já tiverem ido embora. Ele estará lá para ti e para mim nos locais mais escuros. A promessa d’Ele para nós é: “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.” (Salmo 30:5). Não importa o quão longa tem sido a noite, a manhã nasce sempre e com ela a Sua alegria. Pensa nisto, a noite pode ter sido escura, mas sobreviveste sempre para ver a manhã. Não foi? De alguma forma, a Sua graça protegeu-nos, deu-nos tudo o que precisávamos, amparou-nos, acalmou-nos, confortou-nos e ajudou-nos a ultrapassar todas as coisas.
O tempo passa, as estações mudam, mas Deus não. Ele será sempre o Deus de toda a consolação, e Ele está a olhar por nós Hoje!

sexta-feira, 13 de junho de 2014

CICATRIZES

Na Odisseia (um dos dois principais poemas épicos da Grécia Antiga), quando Odisseu (Ulisses para os romanos) regressa a casa disfarçado de mendigo, a sua família não o reconhece. Depois de algum tempo, a sua ama de infância vê nele uma cicatriz e reconhece-o e lembra-se. Até esse momento, nem mesmo ela o reconhecia. Quando Tomé ouviu que o Senhor Jesus estava vivo, disse: “Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos…de maneira nenhuma o crerei.” (João 20:25). As cicatrizes de Jesus eram a prova de que Ele tinha sido crucificado e tinha ressuscitado. Quando Tomé as viu com os seus próprios olhos, respondeu: “Senhor meu, e Deus meu!” (João 20:28). É a primeira vez que a Escritura regista um discípulo a dirigir-se directamente ao Senhor Jesus como Deus, e isto foi a reacção às Suas cicatrizes.
Alguém contou sobre um amigo: “Tenho um amigo que passou a sua vida num orfanato. A sua mãe levou-o lá quando ele era um rapazinho, deixou-o debaixo de uma grande árvore, e disse-lhe que voltaria nessa tarde para vir buscá-lo…mas não voltou. Ele agora já é um homem de meia-idade. Um dia, eu tinha combinado encontrar-me com ele e atrasei-me. Encontrei-o agitado, irrequieto, a transpirar e visivelmente perturbado. Mais tarde ele disse-me: “Não consigo evitar. Descontrolo-me quando um amigo se atrasa, porque a minha mãe me deixou à espera…e nunca voltou.”
Ele já era um homem adulto…mas ainda tinha cicatrizes. Todos temos cicatrizes, algumas visíveis, outras menos visíveis.  

domingo, 8 de junho de 2014

A COMPANHIA CERTA

Às vezes fazer a vontade de Deus pode tornar-te popular, e outras vezes, pode arranjar-te problemas, especialmente com aqueles que gostam de “manter as coisas como sempre foram”. Em Actos 3, Pedro e João foram usados por Deus para trazer cura a um homem que não conseguia andar desde que nascera. Depois de ser curado lê-se. “…e entrou com eles no templo, andando, saltando e louvando a Deus” (Actos 3:8). Naquele dia, 5000 pessoas foram ganhas para Cristo e as autoridades religiosas, e os religiosos, estavam num reboliço. Ameaçaram os discípulos, proibindo-os de mencionarem o nome de Jesus nas suas pregações. Por isso os discípulos fizeram uma reunião de oração, pedindo ao Senhor que lhes desse ousadia para pregarem a Palavra de Deus (Actos 4:29).
Mas com quem foram eles orar? “E, soltos eles, foram para os seus…” Para onde é que eles foram? De volta para aqueles que eram cheios do Espírito Santo (Actos 4:31); para aqueles que tinham um só coração e alma (Actos 4:32). Pessoas assim é que são a companhia certa para nós. O salmista escreveu: “Deus faz com que o solitário viva em família…” (Salmo 68:6). Tens uma família espiritual? Com quem vais ter quando precisas de recuperar as forças? Diz-se que a nossa companhia determina a nossa conduta, a nossa conduta determina o nosso carácter, o nosso carácter determina o nosso destino. Por isso pede a Deus que o dirija para a “companhia certa”. Quando encontrares as pessoas certas, vais perguntar como é que alguma vez conseguiste passar sem elas.

domingo, 1 de junho de 2014

DAVI e GOLIAS

Assim que Davi saiu para lutar com Golias, começou a declarar vitória, dizendo: 1Samuel 17:45-47.
Ninguém, à volta dele, tinha conseguido perceber que Deus entrava na equação, mas Davi não falava de outra coisa. Ele via aquilo que eles não viam e recusava-se a aceitar aquilo que eles viam. Porquê? Porque sabia que servia a um Deus maior que o gigante que enfrentava. 
Se estás a passar por uma situação aparentemente sem solução, me vez de desperdiçares o teu tempo e energia a concentrares-te nas tuas fraquezas e falhas, começa a fixar-te no poder de Deus. Quando te fixas no inimigo, tropeças, mas quando te fixas em Deus, o inimigo é que tropeça. Nunca vais conseguir vencer se lutares nas tuas próprias forças, por isso, nem tentes ir por aí.
Deus já nos deu “…poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum.” (Lucas 10:19).
Paulo escreve para “…nos revestirmos de toda a armadura de Deus, para pudermos ficar firmes contra as astutas ciladas do diabo.” (Efésios 6:11).
Três coisas que o diabo não suporta são: A Palavra de Deus, o sangue de Cristo e o nome de Jesus. Ao utilizá-las, vamos derrotá-lo todas as vezes, tal como Davi deitou Golias abaixo!

segunda-feira, 26 de maio de 2014

SEM SINAIS DE TRÂNSITO

Foi um trabalho de especialistas. Utilizaram poucas ferramentas: escadas portáteis e chaves de fendas. Fizeram o trabalho de noite, para maior protecção. Em parte foi vingança, e em parte lucro.
Ladrões experientes, durante duas semanas dedicaram-se a roubar fios e cabos dos semáforos das ruas. Isto provocou muitos problemas, aborrecimentos e alguns acidentes. De repente os pacíficos habitantes da cidade ficaram sem sinais de trânsito. Foi uma autêntica situação embaraçosa.
Andar por ruas repletas de trânsito, e por auto estradas onde os veículos andam a grandes velocidades, e não ter nenhuma luz, nenhum sinal indicativo, é quase aterrador.
Que seria a vida nas grandes cidades do mundo se não existisse nenhum sinal indicador, nenhum painel orientador? Ninguém saberia por onde ir. Imaginemos uma cidade onde não se indica se uma rua é de dois sentidos ou de um só; se se deve ir a 30kms por hora ou a 100; se tal localidade está à direita ou à esquerda do rumo seguido. A confusão, e também a morte, apoderar-se-iam dessa cidade!
Até o nosso corpo envia sinais de perigo, tais como febre, um suor nocturno, uma palpitação no coração, uma dor aqui ou ali, antes que ocorra algo irreparável.
E que seria da Humanidade se Deus não houvesse colocado sinais indicadores para o ser humano? Ao longo da História da Humanidade, Deus tem dado sinais aos homens do quanto os ama, até que um dia enviou Jesus, não apenas para nos salvar, mas também para O seguirmos. Para sabermos para onde vamos. Para nos orientar no dia-a-dia. Ele é o “Sinal de Trânsito” de Deus para o ser humano. Quem O segue não se perde, não se desorienta. Encontra sempre o rumo para a sua vida. Saberá sempre para onde vai!  

segunda-feira, 19 de maio de 2014

A BATALHA TERMINOU!

Escapar ao passado não é suficiente. De preferência, o poder dele sobre ti deve ser quebrado, de outra forma vai-te perseguir o resto da vida. Quando tu rompes com alguma coisa que continua a tentar recapturar-te, é crucial conseguir a vitória sobre isso, de outra forma não vais conseguir seguir em frente e apreciar as bênçãos que Deus tem preparado para ti. É chocante pensar que algo acabou e depois descobrir que afinal não é bem assim. Mas lembra-te que, foi Deus que permitiu a faraó perseguir Israel até ao Mar Vermelho. Porquê? Por duas razões: Primeira: "...para fazer estes meus sinais no meio dele." (Êxodo 10:1). Deus quer que tu vejas que quando depositas n'Ele a tua confiança, os obstáculos e a oposição não significam nada. Ele quer que esta experiência seja um marco na tua memória, de onde retiras fé quando enfrentas o problema seguinte. Segunda: "E para que contes aos ouvidos de teus filhos, e dos filhos de teus filhos, as coisas que fiz no Egipto, e os meus sinais, que tenho feito entre eles; para que saibais que eu Sou o Senhor." (Êxodo 10:2). Tu não tens de continuar a viver debaixo do poder do diabo. Tal como aconteceu quando o anjo da morte passou pelas casas dos israelitas, quando o sangue de Jesus é, pela fé, aplicado na porta do teu coração, a tua situação muda. Tu deixas de ser um escravo para passares a ser filho de Deus. Abuso, álcool, raiva, abandono podem fazer parte da história do teu passado, mas já não fazem parte do teu futuro!
Deus pode resolver o teu problema de formas diferentes, mas por vezes leva-te através do Mar Vermelho para que quando chegares ao outro lado possas olhar para trás e ver o faraó (diabo) e os seus exércitos "...mortos na praia do mar." (Êxodo 14:30) e ver que a batalha já terminou! 

quinta-feira, 1 de maio de 2014

O PODER DO PERDÃO

O poder do perdão é algo fabuloso. Nenhuma relação pode sobreviver sem ele, muito menos prosperar. Qualquer que seja o problema, o perdão liberta os dois lados. Tira uma arma das mãos do diabo e abre a porta para que Deus possa entrar e trabalhar na situação. E isso aplica-se especialmente na tua família. A verdade é que é mais difícil perdoar um inimigo que raramente vês do que alguém que amas e com que tem de viver todos os dias. Alguém disse: "Quem não consegue perdoar os outros, destrói a ponte sobre a qual ele mesmo tem de passar." Ensina os teus filhos a perdoar, Se os expuseres à ira, certifica-te de que eles também estarão por perto quando mostrar graça. Ensina-os a lidar com o problema, sem atacar a pessoa. Ensina-lhes que uma diferença de opinião pode levar a uma decisão que vai melhorar as coisas e que, enquanto membro da família, pode estar "errado" e continuar a ser bem tratado. Isto pode significar ensinar-lhes coisas que nunca lhe foram ensinadas a ti. Se assim é, aprende com os erros dos teus pais e não os transmitas aos teus filhos.
Por outras palavras, perdoa quando fores magoado, e não te deites com ressentimentos!

quinta-feira, 24 de abril de 2014

UMA PALAVRA AOS PROFESSORES

 Se queres tornar-te um agente de mudanças, é preciso primeiro mudares-te a ti mesmo! E nunca estás velho demais para o fazeres. Mudança nada tem a ver com a tua idade, mas tem tudo a ver com a tua atitude. Pessoas mais velhas podem ser excelentes aprendizes. Em algum ponto do teu trajecto terás adquirido a ideia, errada, de que não se pode ensinar a um cão velho velho truques novos, o que poderá ser verdade se estiveres a ensinar cães. Mas não é este o teu envolvimento, pois não? Algumas pessoas aos vinte anos estão mortas mentalmente, ao passo que outras aos setenta estão activas e visitar lugares novos. O Apóstolo Paulo estava. Perto do final da sua vida, quando a maioria das pessoas deseja apenas estar numa cadeira de baloiço, ele escreveu: "Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prémio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." (Filipenses 3:13,14). Paulo não ficava impressionado com o seu sucesso, nem intimidado com os seus fracassos. Ele aprendeu com o seu passado, mas recusou-se a viver nele. O seu alvo estava sempre diante de si. E ele estava simplesmente relacionado ao seu presente. Ele disse "Prossigo para o alvo." Todos os dias, quando Paulo abria os olhos, ele pensava. "Este é um novo dia cheio de possibilidades; Senhor, ajuda-me a aproveitar ao máximo cada momento!" As pessoas costumam dizer: "Quanto mais velho for o violino, mais doce será o som", mas isso só irá acontecer se continuar a treinar e a sentir-se em forma!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

MOMENTOS DECISIVOS

Foi um momento de decisão aquele em que Josué disse a Israel: "...escolhei hoje a quem servis...porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor." (Josué 24:15). Primeiro, na nossa vida, os momentos decisivos mostram-nos quem realmente somos. Os nossos momentos decisivos normalmente aparecem de surpresa e acontecem durante tempos de crise, tais como enfrentar o falhanço pessoal, assumir uma posição não muito popular, sofrer sem se queixar, ter de perdoar ou fazer uma escolha difícil. Seja eles quais forem, estes momentos definem quem nós somos. Em segundo lugar, os momentos decisivos mostram aos outros quem realmente nós somos. Na maioria dos dias podemos usar uma máscara, mas nos momentos decisivos não podemos. A nossa imagem não significa nada nesses momentos, nem as nossas ligações ou resoluções. Não temos tempo para camuflar as nossas emoções. O que realmente está dentro de nós é revelado a toda a gente. enquanto líder, os momentos dizem às pessoas que nos seguem quem realmente nós somos, o que defendemos e a razão pela qual estamos a liderar. Se soubermos lidar bem com ele, um momento decisivo pode unir líderes e seguidores para o resto da vida. se for mal gerido, pode ser o fim da nossa capacidade de liderar. Em terceiro lugar, os momentos decisivos determinam em quem nos tornaremos. Nunca mais seremos as mesmas pessoas depois de um desses momentos. Isto porque os momentos decisivos não são normais, e o que é "normal" não funciona nestas alturas. Os momentos decisivos são intersecções nas nossas vidas que nos dão oportunidades para virar, mudar de direcção e procurar um novo destino. Apresentam acções e oportunidades. Nestes momentos temos de escolher. E a escolha que fizermos definir-nos-á!

sábado, 12 de abril de 2014

PENSA COMO UM AGRICULTOR

Nunca veremos um agricultor recusar-se a plantar sementes e depois ficar à espera da colheita. Da mesma maneira podemos ir à Igreja regularmente, sermos bons chefes de família, ter o nosso tempo devocional diariamente e compartilhar a tua fé com os outros, mas nunca terás uma colheita de almas sem plantar primeiro. Isto porque a lei do plantio e da colheita foi implantada na Criação (Génesis 8:22).
E há algo mais que um agricultor nunca fará: ele não comerá a semente que deveria estar a plantar. Ele sabe que deve começar com a sua semente, não com a sua necessidade, se quiser colher. Alguns de nós aproximamo-nos de Deus do ponto de vista da necessidade. “Não posso dar para a obra do Senhor porque tenho contas a pagar.” É como se um agricultor dissesse: “Não posso plantar esta semente ainda que ela possa dar uma boa colheita, porque estou com fome agora.” É aí que a nossa fé deve ser activada. Quando um agricultor planta a sua semente ao invés de comê-la, isso é um acto de fé de que a sua semente se transformará numa colheita.

Entretanto ele não terá a sua colheita imediatamente. Ele deve esperar pela estação certa. Mas se estamos a colocar a nossa fé numa lei infalível que Deus colocou no Universo, estamos certos. Quando damos estamos a demonstrar fé na Palavra de Deus. Quando Ele diz para semearmos abundantemente, a nossa disposição ou relutância em obedecer ao que Ele diz, irá demonstrar-nos se temos as promessas de Deus em alta estima ou não!

quarta-feira, 2 de abril de 2014

DEUS E O NOSSO DINHEIRO

 Na Bíblia está escrito: "E, estando Jesus assentado defronte da arca do tesouro, observava a maneira como a multidão lançava o dinheiro na arca do tesouro..." (Marcos 12:41). Tenta responder honestamente a esta questão: "Será que as minhas ofertas mudariam se fosse o Senhor Jesus a passar o cesto da oferta ou me observasse a passar o cheque?" Na verdade, Ele faz isso. Cada vez que Deus nos pede para dar, observa a nossa obediência, a nossa consistência e a nossa generosidade, ou a falta dela. Ele não nos analisa olhando para o quanto damos, mas para o que temos e quanto é que guardamos. É por isso que Ele disse: "Onde está o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." Então, uma vez que todos os investimentos humanos estão destinados a esfumar-se, menos o investimento no Reino de Deus, não é difícil descobrir onde é que devemos investir, certo? No entanto, quantos de nós não se sentiram mais excitados com uma casa de sonho aqui na Terra do que com uma casa eterna no Céu? É por isso que Deus desafia continuamente as nossas prioridades e os nossos valores. Alguma vez reparaste quantas pessoas ditas crentes se apressam a fazer doações para a obra do Senhor na véspera da sua partida para a eternidade? Muito poucas, infelizmente! Agradecemos a Deus por aquilo que temos, mas será uma atitude mais sábia da nossa parte oferecer as nossas dádivas enquanto vivemos e experimentar a bênção de termos o nosso dinheiro espalhado pelo Reino de Deus, enquanto podemos desfrutar disso. Se queres saber o que realmente é importante para ti, analisa com sinceridade o que fazes com o teu dinheiro!

sábado, 29 de março de 2014

NÃO DEIXES QUE OS OUTROS TE ATRASEM

Os irmãos de José ficaram ressentidos por causa do sonho que ele teve, então venderam-no como escravo. A família de Davi não o considerava capaz de ser rei. As pessoas que conheceram Jesus durante os seus primeiros trinta anos, escandalizavam-se d’Ele. É preciso que compreendas que muitas pessoas que te conheciam antes, não te conhecem agora porque já te tinham catalogado. O que deves fazer, então? Faz o que o Senhor fez: Segue em frente! Que mais poderia Ele fazer? Ele recusou-se a deixar que os outros O prendessem a uma fase da Sua vida que já pertencia ao passado, e tu tens de fazer o mesmo. Se tu continuas a permitir que os outros continuem a levar-te para o beco da memória, acabarás por construir por lá uma casa, ficar mais tempo do que deves e perder o que Deus tem para ti. É muito bom ter pessoas na tua vida que sabem de onde vens e para onde vais e que se conseguem relacionar bem com os lugares para onde vais. No entanto, se tiveres de escolher entre o antes e o agora, sacrifica o antes, pois não podes ser reescrito, apenas revisto uma e outra vez. Pára de ensaiar os teus inícios e escreve o resto da tua história. O futuro é teu! Agarra-o enquanto podes!

quarta-feira, 26 de março de 2014

VIVENDO PELA FÉ

O capítulo 11 do livro de Hebreus é muitas vezes referenciado como a "Galeria dos heróis da fé". Dois grupos são mencionados: Aqueles que "escaparam do fio da espada" e os que "foram mortos ao fio da espada". Perante isto, todos gostaríamos de estar naqueles que "escaparam do fio da espada", mas a Bíblia diz que ambos, apesar de terem guardado a fé, não receberam logo a promessa. Mas a fé deles manteve-os focados na promessa que "estava longe". Por vezes, a fé é um instrumento de mudança. Outras vezes é um meio de sobrevivência. É o que te dá a tenacidade para confiares em Deus quando a vontade d'Ele parece confrontar-se com a tua. Muitas vezes a fé é mais aperfeiçoada quando as coisas não mudam do que quando elas mudam. Tu não precisas de fé para as coisas que consegues ver ou a que já assististe. Precisas dela quando a vida não faz sentido, quando não consegues explicar porque razão aquele bebé morreu, ou porque tudo corre mal no emprego, porque é que o casamento não funciona, ou porque é que os maus prosperam e os bons morrem, ou os justos sofrem e os bons não recebem conforto. Pensas que apenas há uma solução eficaz: Aquela que tu queres! Não, tens de confiar no carácter e no plano de Deus, em quem Ele e no que Ele faz. Tens de vê-Lo a trabalhar seja no que for que apareça no teu caminho. E mesmo quando não podes tens de confiar n'Ele, sabendo que "...todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto." (Romanos 8:28). Leste bem? TODAS!

segunda-feira, 17 de março de 2014

QUANDO O TEU CÔNJUGE NÃO PARTILHA A TUA FÉ

Viver com alguém que não é um crente em Jesus é um desafio e uma oportunidade. É um desafio porque crentes e não crentes vêem a vida de maneiras diferentes. E é uma oportunidade porque Deus pode ajudar-te a fechar o fosso e ganhá-lo (la) para Cristo. Mas para isso é preciso que assumas dois compromissos: 
Primeiro: Compromete-te com o objectivo da salvação dele (dela). Segundo: Compromete-te com o teu próprio crescimento através do amor pelo teu cônjuge e vivendo com ele (ela). Uma vez que assumires estes compromissos, estás pronto para este conselho muito útil. Lembra-te que os descrentes têm algumas limitações (2Coríntios 5:17). Só quando se está em Cristo se pode ser uma "nova criatura". Só nessa altura "as coisas velhas" desaparecem. O velho domina até que se receba o novo (João 3:6). 
Lembra-te, o descrente sofre de um defeito espiritual de nascença que não se pode tratar enquanto o novo nascimento não o fizer (Romanos 8:7,8). Se eles não amam a Palavra de Deus, a oração e a Igreja como tu, é porque são controlados pela carne e nem sequer são capazes de o fazer. Então, tem expectativas realistas e lembra-te de como eras antes de conheceres Cristo. Sê paciente, amoroso e meigo enquanto o Espírito Santo faz o Seu trabalho neles.

quarta-feira, 12 de março de 2014

PRISÃO EMOCIONAL

Já alguma vez ouvistes falar da "síndrome de Jericó"? (Josué 6:1). É quando tu te encontras emocionalmente fechado. Tens medo de sair e tens medo de deixar alguém entrar. Construíste uma muralha para que ninguém te possa magoar novamente. Tem cuidado, pois isso pode aprisionar-te a ti e a todos os outros que fazem parte da tua vida. Tu podes casar-te em Jericó, dizer os votos, usar os vestidos, trocar as alianças, ir de lua-de-mel e continuar com os muros erguidos. Neste caso tu podes pensar: "Se ela (e) me deixar, estarei preparado (a). Tenho uma conta bancária sobre a qual não lhe falei. Tenho um plano de emergência para o caso disto não funcionar." Mas como é que é possível tu queres unir-te se não é possível alcança-lo (la) por causa de um muro de amargura, medo e desconfiança? O amor não funciona quando vive de acordo com a filosofia "Procura o melhor mas espera o pior". É tempo para um saneamento! Tu tens de te livrar dos espectros de ontem se queres ter esperança relativamente a um futuro juntos. Perdoar quando foi profundamente magoado (a), é uma das coisas mais difíceis que alguma vez farás, mas tens de perdoar e continuar a perdoar até que o ressentimento deixe de te controlar (Mateus 18:21,22). Pára de ensaiar o passado e entrega-o ao Senhor. Ele é o derrubador de muralhas, o restaurador da comunicação, o reconstrutor da auto-estima, o médico dos corações partidos e das relações. Se O deixares, Ele ajudar-te-á a viver e a amar outra vez!

quarta-feira, 5 de março de 2014

JESUS É O CAMINHO

O Judaísmo vê a salvação como uma decisão do dia do julgamento baseada na moralidade. Os Hindus que existem múltiplas reencarnações na viagem da alma pelo cosmos. O Budismo conduz a sua vida de acordo com as Quatro Nobres Verdades e o Nobre caminho dos Oito Passos. Os Muçulmanos chegam a Alá através dos Cinco Pilares da Fé. Muitos filósofos entendem a vida após a morte como escondida e desconhecida, "um grande salto no escuro". Algumas pessoas confundem Cristo com Moisés, Mohâmede, Confúcio e outros líderes espirituais, no entanto "Disse-lhes Jesus: Eu Sou O Caminho, E a Verdade, E a Vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim." (João 14:6). Muitos contrapõem isto e dizem: "Todas as estradas levam ao Céu". Mas como é que isso pode ser possível? Os Budistas olham para o Nirvana, alcançado só depois de 547 reencarnações. Os cristãos acreditam numa vida, numa morte e numa eternidade com Deus. Os Humanistas não reconhecem um criador da vida. Jesus diz ser a fonte da vida. Os espiritualistas lêem a palma da mão, os cristãos consultam a Bíblia. Os Hindus vêem um Deus plural e impessoal, os seguidores de Cristo acreditam que "não há outro Deus" (1Coríntios 8:4). Todas as religiões não cristãs dizem: "Tu podes salvar-te". Jesus diz: "Só o meu sacrifício na cruz pode salvar-te". Nem todas as estradas vão dar a Londres, nem todos os barcos vão para a Austrália e nem todos os voos aterram em Roma. Nem todos os caminhos levam a Deus. Jesus indicou um Único caminho, directo. Ele abriu uma passagem inigualável, desimpedida pelo esforço humano. Faz-nos uma oferta única em que Ele trabalha e nós confiamos. Ele morre e nós vivemos. Ele convida e nós acreditamos! 

sábado, 1 de março de 2014

COMO TER UM BOM DIA

Tu podes mudar o rumo de um dia para o qual o diabo tem planos negativos, se passares tempo com Deus, especialmente quando sentires alguma atitude ou comportamento em ti que não é agradável ao Senhor. os sentimentos negativos são como convidados que não são bem-vindos na nossa casa e a pior coisa que podes fazer é convidá-los a entrar. Tu podes não ter força suficiente para te livrar deles, mas se procurares ajuda de Deus, Ele irá capacitar-te para caminhares de acordo com os Seus caminhos, e não de acordo com as tuas emoções negativas e com a tua perspectiva. Mas, e se alguém ofender-me? Na verdade, é-nos dito para perdoar aqueles que nos ofendem, não deixando criar raiz de amargura. Por vezes queremos perdoar e fazer o que está certo, mas é-nos difícil fazê-lo. A maioria das vezes, a coisa certa é a coisa mais difícil de fazer, não a mais fácil. Mas é aí que tu precisas de orar e deixar que o Senhor fale contigo através da Sua Palavra. Só aí encontrarás a força para fazeres o que é certo.
Lembra-te: A batalha começa cada vez que tu abres os olhos de manhã!

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

COMO LIDAR COM A TENTAÇÃO

Quando o assunto é tentação, lembra-te destes sete pontos:
(1) Nunca digas nunca. Tu nunca serás tão espiritual ao ponto de ficares imune (1Coríntios 10:13)
(2) Percebe que podes tropeçar no último obstáculo. O facto de não teres caído ainda, não significa que isso não possa vir a acontecer. O diabo é mestre do tempo, e não está com nenhuma pressa em especial.
(3) Consciencializa-te dos teus impulsos básicos. Agostinho disse: "Não há nada de tão poderoso para degradar o espírito de um homem como as carícias de uma mulher." A nossa carne pode ser muito "poderosa", mas cedendo ao desejo, quererá sempre mais.
(4) Compreende que és responsável. O pecado é uma escolha. Quando tu escolhes abusar da graça de Deus acabas por pagar o preço, mais tarde ou mais cedo (Gálatas 6:7).
(5) Tu não és um peão indefeso. Podes não conseguir mudar o que aconteceu ontem, mas a tua escolha hoje, fortalecida pela graça de Deus, determinará o que acontece hoje e o que acontecerá amanhã.
(6) Se pecaste, há esperança. Deus irá perdoar-te e usar-te de novo (Lucas 22:32).
(7) Mantém-te a salvo, ficando perto de Deus. A Bíblia diz para nos sujeitarmos a Deus, resistirmos ao diabo, e ele fugirá de nós (Tiago 4:7).

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

RENDIÇÃO

Quando começamos a fazer as coisas à maneira de Deus e não à nossa, experimentarmos três grandes benefícios:
- Primeiro: Temos Paz (Jó 22:21)
- Segundo: Temos Liberdade (Romanos 6:17)
- Terceiro: Temos Poder (Tiago 4:7)
As tentações mais teimosas e os problemas avassaladores são derrotados por Cristo no momento em que nos rendemos a Ele.
Quando Josué se aproximou das muralhas de Jericó, prostrou-se, adorou a Deus e disse: “Que diz o meu Senhor ao seu servo?” (Josué 5:14). A rendição de Josué levou a uma vitória espectacular. E aqui está um paradoxo: A vitória vem através da rendição! A rendição não nos enfraquece, fortalece-nos. Rendidos a Deus, não precisamos de render-nos a mais nada.
Eventualmente toda a gente acaba por se render a algo. Se não for a Deus, é às opiniões e expectativas dos outros, ao dinheiro, ao ressentimento, ao medo, aos nossos próprios desejos ou ao nosso ego.
Somos livres de escolher a quê, ou a quem nos queremos render, mas não podemos escolher as consequências das escolhas que fizemos.

Jesus rendeu-Se ao plano de Deus Pai. E Ele é o nosso exemplo!

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

COMO TIRAR PARTIDO DO TEMPO

Os nossos dias são como malas iguais, mas algumas pessoas conseguem enchê-las mais do que outras, isso é porque sabem como embalar, guardar, arrumar.
Todos temos vinte e quatro horas, mas nem todos tiramos o mesmo partido delas. A verdade é que se não gerimos o nosso tempo temos dificuldade em gerir a nossa vida.
O tempo não pode ser controlado, continua, não importa o que fazemos. Ninguém, por muito inteligente que seja, pode guardar minutos de um dia para gastar no outro. Nenhum cientista é capaz de criar minutos novos. Nenhum milionário deste mundo é capaz de comprar minutos novos. As pessoas falam em tentar encontrar tempo, mas têm de parar de procurar. Não existem horas a mais por aí. Vinte e quatro horas é o máximo que cada um de nós pode ter. As pessoas sábias entendem que o tempo é o seu bem mais precioso e, como resultado disso, sabem onde gastar o seu tempo. Continuamente analisam como estão a usar o seu tempo e perguntam-se “Estarei a tirar o melhor partido do meu tempo?” (Salmo 90:12)
Alguém escreveu: “Nós não pagamos as coisas com dinheiro, pagamos com tempo.” Por exemplo quando dizemos que daqui a cinco anos terei dinheiro suficiente para pagar isto ou aquilo, significa que isso que lhe vai custar um décima segunda parte da nossa vida adulta.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

VOLTAR PARA CASA

O Senhor Jesus contou a história de um filho que saiu da casa de seu pai. Depois da ascenção e da queda, este fugitivo acordou numa pocilga, perguntando-se: “Como cheguei até aqui? Preciso de voltar para trás, mas o que irá o meu pai dizer?”
Já alguma vez pensámos nisto: “Se eu voltar atrás, como irá Deus receber-me?” Alguns dizem que Ele não quer saber mais de nós. Mas não é assim que Jesus descreveu o Seu Pai (Lucas 15:20).
Lucas escreveu isto na Bíblia para que todos os querem correr saibam o que podem esperar quando quiserem reverter o seu caminho. Estás a fugir de Deus? Pára, volta e regressa a casa. Ele está à espera para te dar as boas vindas.

Não há pecado que ele não possa perdoar e não há nenhum vício que o sangue de Jesus não possa remover.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

ENTÃO JESUS VEIO!

Um dos maiores milagres de Cristo foi a cura de um homem que era controlado e torturado por espíritos do mal (Marcos 5:3-5).
Reparemos em 4 coisas sobre a condição deste homem:
1-    Estava sempre a magoar-se – Ele usava pedras para o fazer (5:5). Mas alguns usam drogas, sexo álcool, excesso de trabalho e negatividade. O que estás hoje a fazer que te está a magoar? Enquanto não tiveres consciência disso, não poderás ser liberto.
2-    Ele estava preocupado com a morte – Por que outra razão alguém escolheria viver num sepulcro? Os problemas da vida podem nos levar a um lugar onde perdemos toda a vontade de viver.
3-    Ele não tinha paz, nem de dia nem de noite – A desvantagem de uma vida sem Deus é irritabilidade, inquietação e descontentamento. Nada satisfaz.
4-    Ele vivia isolado – O trabalho de satanás fica mais fácil quando não há apoio espiritual. A amizade destrói os planos de satanás.

E depois Jesus veio! Ele fez uma viagem de barco pelo mar da Galileia para chegar até este homem. Só uma palavra de Jesus e o homem foi liberto e começou a anunciar quão grandes coisas Jesus lhe fizera! (5:20)

MUDANÇA URGENTE

O homem vive na "era digital", no "tenebroso século das invenções" - como muitos apelidam o nosso tempo - à espera da queda fatal. Vegeta como um condenado à morte a aguardar a inevitável execução. Ele, em vários aspectos, tornou-se um escravo do ego, e as suas ideologias e idealizações vagueiam no horizonte como monstros devoradores.
É necessário, é urgente encontrar a solução para o problema humano. É preciso experimentar uma mudança. Assim, se te achas nessa situação, pára um pouco e medita. Existe alguém que te pode ajudar nessa urgente mudança de vida: Deus!
Sim, Deus existe. Não o deus criado pelo homem, mas o Deus que criou o homem; O Deus trino (Pai, Filho e Espírito Santo). O ser humano traz o Seu selo, a Sua imagem e semelhança. Aquele que é tudo em todos, que é auto-suficiente, que não depende do nosso intelecto, da nossa vontade.
A realidade da existência do Criador evidencia-se através das obras das Suas mãos, observa-se no imenso e maravilhoso universo, na natureza, etc.
Tu que foges e tentas negar a existência de Deus, pois não queres encarar a tua situação de dependência de  insuficiência. Não queres assumir a tua responsabilidade de criatura rebelde; não estás disposto a descer do trono utópico que construíste e no qual te tornaste deus; não pretendes deixar o teu negro trilho. Estes factos não alteram, porém, a realidade: Deus existe e procura-te! Esta é a realidade suprema, é a revelação divina, é a verdade bíblica. A Bíblia, a Palavra de Deus, apresenta a chave para a tua ansiedade, para os teus problemas; apresenta Jesus, a Fonte da vida que pode mudar a tua vida.
Jesus Cristo é a solução; não o Jesus fruto do cérebro humano; não o Jesus mitológico; não o Jesus superstar. Quem pode auxiliar-te é o Verbo Divino, O Deus Homem, o Deus que entrou na História participando das angústias da Humanidade, a fim de salvá-la da escravidão e da penalidade do pecado.
Sim, a tua solução reside no Senhor Jesus Cristo que, como Homem, nasceu, morreu crucificado, mas que ressuscitou de entre os mortos. Ele está vivo!
Tu precisas desse Jesus, afinal o Jesus autêntico; apenas Ele é capaz de operar em ti a mudança urgente que precisas. Tu precisas, de facto, de uma transformação no teu interior, precisas de nascer de novo, de nascer espiritualmente. Amigo, tu precisas de Jesus, que é um Amigo mais chegado do que um irmão; precisas de Jesus para te libertar: Ele é a solução para a tua existência sem significado; é a resposta certa para a tua insatisfação e insegurança.
Tu precisas realmente de uma necessária e urgente mudança!

domingo, 19 de janeiro de 2014

OS PRINCÍPIOS DE GIBEOM

Os gibeonitas eram uma nação que Deus disse a Josué para destruir. Apesar de serem gentios, eram sábios o suficiente para saberem que estavam no lado errado. Então disfarçaram-se e convenceram Josué a fazer um pacto com eles, dizendo: “Nós somos teus servos…” (9:8).
Quando os seus velhos aliados ouviram que eles tinham unido forças com Israel, declararam-lhes guerra. Por causa do pacto que tinha feito com eles, Josué lutou por eles e livrou-os. Esta passagem da Bíblia pode ensinar-nos três coisas:
Primeiro: Chega um momento em que, a fim de seguir a Deus, temos de fazer a ruptura com o nosso passado. Algo que nos perturba é querermos seguir em frente, mas pensando que vamos aborrecer alguém com essa atitude. Mas tens de ultrapassar isso. Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo.” (2Coríntios 5:17).
Segundo: Os gibeonitas estavam desejosos de se humilhar e de pedir ajuda. Não importa o quão dotado possas ser, haverá alturas em terás de chegar perto dos outros e dizer: “Estou com problemas, ajudem-me.”

Terceiro: Quando te recordares onde já estiveste, ficarás grato pelo lugar onde estás. Os gibeonitas ficaram como lenhadores e transportadores de água; estavam felizes só por servir. Esquece aquela ideia de quereres ser uma celebridade espiritual. Limita-te a servir! Servir é vertical: “Servi ao Senhor com alegria.” (Salmo 100:2), mas também é horizontal: “…servi-vos uns aos outros pela caridade.” (Gálatas 5:13).

domingo, 12 de janeiro de 2014

ÁGUA PARA A ALMA

Todos sabemos o que é ter sede física. O nosso corpo é composto de 70% de água. Se pararmos de beber acontece que os nossos pensamentos coerentes desaparecem, a pele fica ressequida e os órgãos vitais começam a paralisar. Os nossos olhos precisam de lágrimas para chorar, a boca de humidade para engolir, etc. a água é tão importante para o nosso corpo como o ar que respiramos. Não podemos privar o nosso corpo de água. Assim é com a nossa alma. Se privarmos a nossa da água espiritual, os nossos corações ficam desidratados. O nosso temperamento fica ríspido, ficamos preocupados, o medo apodera-se de nós, a culpa persegue-nos. Deus não quer que a nossa vida seja assim. Falta de esperança, dificuldade em dormir, solidão, ressentimento, insegurança. Esses são avisos, sintomas de um coração seco. Talvez nunca tenhamos visto as coisas desta forma. Achamos que fazem parte das lutas do dia-a-dia. Todos passamos dias menos bons. Há coisas inevitáveis. Absolutamente. Mas incessantes? De maneira nenhuma! Vê as dores do teu coração, não como batalhas para suportar, mas como uma sede interior que não está a ser saciada. Como prova de que algo em ti está começando a secar. Cuida da tua alma como cuidas da tua sede física. Bebe! Inunda o teu coração com uma boa quantidade de “água”!
Mas onde é que se encontra a água para a alma? O Senhor Jesus deu a resposta (João 7:37-39) O povo enchia as ruas para lembrar o milagre que Moisés operou quando fez sair água da rocha (Êxodo 17:6). Em homenagem aos seus antepassados, eles dormiam em tendas. E em tributo ao milagre no deserto eles entornavam água. Cada manhã, durante sete dias, um sacerdote enchia um jarro de água e o carregava por entre as pessoas até ao Templo. Anunciado por uma trombeta o sacerdote rodeava o altar e derramava o líquido. Então no último dia, o GRANDE DIA, o sumo-sacerdote dava sete voltas em volta do altar despejando sete jarros de água. Terá sido nesse momento que o Senhor Jesus chamou a atenção do povo. Sacerdotes com vestes finas voltaram-se. Pessoas do povo certamente espantadas olharam. Eles conheciam esse Homem. Alguns já o tinham visto pregar nos montes, outros nas ruas. Mas nunca o tinham visto com este ímpeto. Ele pôs-se de pé. A postura tradicional dos rabis era sentar-se e falar. Mas o Senhor Jesus levantou-se e clamou (gritou)! João usa o mesmo verbo no grego, que descreve o volume da voz do Senhor, que é usado quando o cego grita pedindo para ver (Marcos 10) e que Pedro também usa quando grita ao sentir que estava a afogar-se (Mateus 14). O Senhor Jesus não estava a limpar a garganta. Não! Ele estava exigindo atenção. Ele gritou porque o tempo era curto. Dali a cerca de seis meses Ele iria estar a arrastar uma cruz pelas ruas. E o povo? O povo tinha sede! As pessoas precisavam da água que Ele tinha para oferecer. Não para as suas gargantas, mas para os seus corações. E o Senhor estava a fazer um convite. O que a água pode fazer pelo nosso corpo físico, o Senhor pode fazer pela nossa alma. Amolecer o que está ressequido. Limpar o que está enferrujado. Como?
Como água, o Senhor pode ir onde nós não podemos. Se mandarmos algo sólido contra uma parede, ela bate e cai. Mas se mandarmos água, ela adapta-se e espalha-se. A sua composição molecular dá-lhe flexibilidade. Ela infiltra-se numa racha. Faz estrondo quando cai de uma queda de água. A água vai onde nós não podemos. Assim é o Senhor Jesus. O espírito d’Ele passa pela garganta da nossa alma, limpando o nosso medo, tirando a tristeza, removendo o nosso pecado. Quando bebemos água não podemos indicar a direcção que ela toma, ou seja, “dez gotas vão para o estômago, onde para o coração, outras tantas para a cabeça, etc.”

O Senhor Jesus sabe tudo. Ele não precisa que o dirijamos. Ele apenas quer a nossa permissão. Como a água, Ele não entrará a menos que seja “bebido”! Podemos estar num rio com água pela cintura e ainda assim morrer de sede. Até que a bebamos ela não vai fazer nada ao nosso organismo. Até que experimentes Cristo, o mesmo se aplica! Recebe-O com alegria na tua vida. Deixa Cristo ser a água da tua alma. A religião pode dar alguma tranquilidade, mas nunca satisfaz plenamente. Actividades ou cargos na Igreja podem ocultar a sede, mas só o Senhor a sacia. Bebe-O! E bebe profundamente e com frequência. Só a comunhão contínua satisfaz a sede da alma!

WEBTV ClubeMais+