segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O NOSSO TEMPO A SÓS COM DEUS

Nenhum hábito é tão difícl de manter como nosso tempo a sós com Deus. Quando a pressão aumenta, qual é a primeira coisa que somos tentados a pôr de lado? Satanás sabe que se conseguir afastar-nos desse hábito já começou a ganhar a batalha, porque terá pouca oposição da nossa parte. Cristãos desviados dir-lhe-ão: "Tudo começou quando comecei a neglegenciar o meu tempo a sós com Deus."
"Mas então como ultrapassar este problema?", perguntamos nós.
(1) Façamos uma aliança com Deus. E levemo-a a sério (Eclesiastes 5:4,5).
(2) Vamos pôr esse tempo na nossa agenda. Reservemos tempo para nos encontrarmos com Deus, tal como agendamos uma consulta no médico, uma ida à piscina ou ao ginásio. Consegue imaginar um compromisso mais importante do que este? (3) Estejamos preparados para as desculpas e os ataques provenientes do diabo. Estar de sobreaviso é estar prevenido.
O Drº Robert G. Lee costumava dizer: "Se acordar uma manhã e não encarar o diabo de frente, é porque estamos os dois a caminhar na mesma direcção." (4) Deixemos a nossa Bíblia aberta, de véspera, na página que tencionamos ler de manhã. Quando acordarmos, isto vai servir-nos de lembrete para o nosso tempo a sós com Deus.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

PRÍNCIPE da PAZ

Entre os vários nomes atribuídos ao Messias que os judeus esperavam, "Príncipe da Paz" era um dos mais formosos que ornariam a Sua fronte. Exactamente por corresponder àquilo que o nosso coração é mais grato, àquilo que toda a Humanidade mais deseja: A paz na sua vida, a tranquilidade nos lares.
Paz com Deus é o primeiro aspecto, o mais importante que nos era necessário. O homem, ao pecar, tornou-se inimigo de Deus (Romanos 5:10). A este homem não só faltava a paz exterior, mas principalmente a paz interior. E foi isto que Jesus veio fazer. Foi reconciliar-nos com Deus. A paz entre Deus e nós foi feita pela morte do Príncipe da Paz na cruz do Calvário.
Sem Deus não pode haver tranquilidade na nossa consciência. Sem Deus o homem não pode ter paz interior. Há um vazio, uma ansiedade permanente na nossa alma. Milhões buscam paz através de muitos meios, mas em vez de paz as suas vidas são mais um tormento. Mas o Príncipe da Paz veio trazer paz ao nosso espírito. Ele dá-nos o Seu perdão. A expressão "...perdoados te são os teus pecados..." é a expressão que Ele continua a dirigir a todos aqueles que se dirigem a Ele. Quando a tua alma sentir este perdão terá tranquilidade, porque terá paz com Deus.
Para merecer o título de "Príncipe da Paz", Jesus tinha que trazer-nos a paz em toda a sua grandeza, em todos os seus aspectos. Aquele que é salvo por Jesus passa a ter um ideal, o ideia da paz, em todo o seu significado. Cada discípulo do Senhor Jesus é um pacificador. Aquele que antes só trazia "guerra" onde passava, agora manifesta paz na sociedade onde vive, porque Jesus O Príncipe da Paz veio à sua vida!
Príncipe da Paz. Não há outro! Não há paralelo entre Ele e os homens. A Sua paz é diferente: Espiritual, segura e eterna. Esta paz visa a alma, e é de tal modo segura que ninguém no-la pode tirar, porque nenhum poder nos pode separar do amor de Cristo (Romanos 8:39).

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

APRENDENDO A ESPERAR

Todos queremos a benção de Deus; o problema é que, por vezes, não queremos sujeitar-nos ao Seu tempo! Esperar significa confiar que Deus sabe o que está fazer, mesmo quando não o partilha connosco.
Talvez sejas solteiro e anseias por intimidade. É compreensível. Vivemos numa sociedade que assume ser normal estar acompanhado e não sozinho, pelo que sentes a dor desse estigma. Talvez haja um relacionamento potencial à tua espera, mas sabes que não agradaria a Deus. No teu coração, sabes que não é de facto a pessoa certa, porque não partilha os teus valores, os teus alvos ou o teu compromisso com Deus. Talvez estejas a ser pressionado para te envolveres sexualmente, apesar de ainda não serem casados. Provar ou experimentar o produto antes de comprar poderá ser a norma do mundo, mas sabes que não é a de Deus. Contudo, és tentado a pensar: "Estou à espera há demasiado tempo. Estou cansado de esperar. Vou procurar toda a satisfação e preocupar-me depois com as consequências."
Encontras-te numa situação perigosa! É melhor querer o que não tens do que ter o que não queres. Não vás por aí! Em vez disso, ora: "Senhor, não quero envolver-me em qualquer relação que sei que Te desonra, que me prejudica e que traz dor à vida dos outros. Disseste que os planos que tens para mim são bons, pelo que, mesmo que por vezes sinta que ninguém percebe como tudo isso é duro, vou confiar em Ti e esperar."

terça-feira, 17 de novembro de 2009

DOIS TIPOS DE DADORES

Há dois tipos de dadores: Os que dão do que lhes sobra e os que dão mais, a transbordar. Os do primeiro grupo não são necessariamente forretas, apenas se guiam por diferentes princípios. Vêem-se como responsáveis por satisfazer as suas necessidades pessoais, pelo que, para a obra de Deus, vai o que lhes resta. O problema em dar as sobras é que a nossa generosidade pode nunca exceder a nossa capacidade de satisfazer as nossas necessidades pessoais. No momento em que enfrentamos a incerteza financeira, a generosidade sofre um revés. Deus diz que devemos "...dar com alegria." Mas se o nosso coração estiver ocupado apenas em satisfazer as nossas necessidades pessoais, como podemos responder ao apelo de Deus para sermos generosos?
Por outro lado, os que dão a "transbordar" compreendem que Deus possui e controla tudo, pelo que se sentem livres de investir primeiro nos interesses de Deus e depois nos seus. Os dadores das sobras lutam sempre por entrar nesta área. Ouviram as pregações, leram os versículos e ouviram os testemunhos. Mas têm família para sustentar, uma reforma para financiar, pelo que se retraem, receosos de não poderem satisfazer todas as suas responsabilidades financeiras e dar também para a obra de Deus.
O medo tem o poder de fazer com que actuemos contrariamente às nossas crenças. Em essência, o medo torna-nos irracionais. Não é racional confiar em Deus com as nossas finanças, uma vez que elas Lhe pertençem por inteiro? Não é racional confiar a Deus algo que de algum modo ultrapassa o nosso próprio controlo? Não é irracional confiar a Deus o nosso destino eterno e rejeitar o Seu convite para ser O nosso parceiro financeiro?

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

GRAÇA CONTÍNUA

No princípio da Igreja os crentes praticarm o ter todas as coisas em comum (Actos 2:44,45). Essa prática depressa acabou, pois os problemas começaram a surgir e não muito tempo depois daquela vida em comum, essa prática terminou.
Quando chegamos às Epístolas de Paulo, vemos que a vida cristã adequada não é uma vida em comum, mas um viver de contínuo ofertar motivado pela graça. Sim, precisamos da graça para vencer a usurpação das possessões materiais. Dar continuamente é mais difícil e requer mais graça do que vender todas as nossas coisas e ter tudo em comum com os irmãos. É por isso que na primeira Epístola aos Coríntios no capítulo 16, Paulo diz que no primeiro dia da semana deviam pôr de lado uma certa quantia a fim de ofertar. Essa maneira de ofertar é contrária à nossa natureza caída e por isso requer mais graça, motivando-nos continuamente.
Ao falar sobre a questão de ofertas materiais, Paulo não era um angariador de fundos para uma obra. O que ele queria era incentivar os santos a participar de tão elevado ministério. Ter tal ministério, que vence "Mamon" e as possessões materiais para usá-las para o propósito de Deus, requer graça especial!

sábado, 14 de novembro de 2009

QUANDO DEUS NOS PÕE EM ESPERA

Quem costuma viajar de avião está familiarizado com o termo "espera". É quando o avião fica impossibilitado de aterrar ou levantar devido a vários factores, ficando à espera de autorização da torre de controlo para que possa continuar. Isso ocorre regularmente, e por isso os aviões precisam de ter combustível suficiente para estes casos, para que possam ou levantar ou aterrar em segurança.
A Bíblia diz: "Espera no Senhor, anima-te e Ele fortalecerá o teu coração; espera pois no Senhor." (Salmo 27:14). Quando Deus nos coloca em "espera", não se trata apenas de ter fé suficiente para receber as Suas promessas, trata-se também de ter uma condição espiritual suficiente para permanecer à espera até que algo aconteça. É por isso que precisamos de carregar "combustível espiritual" suficiente para lidar com os atrasos e esperar pela direcção de Deus.
A Bíblia refere-se ao Espírito Santo como um "vento impetuoso" (Actos 2:2). Depois de Deus ter feito Noé esperar tempo suficiente para realizar o Seu propósito, "Ele enviou um vento" (Génesis 8:1). Sempre que um vento sopra vindo da presença de Deus, não importa como, Ele sopra para longe todos os impedimentos e obstáculos, e prepara o terreno para que possamos seguir em frente. Ele derruba o espírito do medo que nos quer fazer desistir. Mesmo em tempo de frustração e espera, Deus ainda está a pensar em nós e a operar para o nosso bem. As Suas demoras não são recusas. Então, quando sentirmos uma brisa divina no nosso espírito, rejubilemos, pois é sinal de que Ele está a preparar-nos para "aterrar ou levantar" e que coisas boas estão para acontecer!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

DE ONDE VEIO DEUS? O QUE ELE FAZIA ANTES DE CRIAR O UNIVERSO?

Estas perguntas pressupõem que tudo, inclusive Deus, está sujeito às limitações de tempo e espaço, como está o homem; que não há nada fora do tempo e espaço, pressuposição que a comunidade científica tem questionado e virtualmente descartado, a partir da teoria da relatividade de Albert Einstein.
Einstein demonstrou que o tempo pode ser realmente alterado, diminuído, acelerado, quando objectos começam a se mover a uma velocidade extremamente alta. Isto sugere que o conceito comum de que todas as coisas se originam e operam dentro do contexto de um tempo e espaço fixados, que nada existe fora do tempo e do espaço, não é obrigatoriamente correcto.
Embora tal declaração não seja totalmente compreensível, ela nos ajuda a aceitar os ensinamentos bíblicos sobre a existência de Deus fora do tempo e do espaço como sabemos (Salmo 90:4; Colossenses 1:17; 2Pedro 3:8).
Para aceitarmos que Deus existe fora da estrutura do tempo e do espaço como a conhecemos, temos de admitir algumas perguntas como, de onde Ele veio; e o que conhecemos como Universo torna-se inteiramente sem sentido.
Essas perguntas podem ser legítimas se Deus fosse sujeito ao tempo e ao espaço, o que Ele não é. A Bíblia ensina que Deus não é amarrado pelo tempo ou espaço, e que Ele não escolheu revelar-nos (do nosso ponto de vista) tudo o que aconteceu antes de criar o Universo.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

PERSEVERE

Quando perseveramos paramos porque terminámos e não por cansaço. Robert Strauss escreveu: "O sucesso é como lutar com um gorila de 100 quilos. Não desistimos quando nós estamos cansados, mas sim quando o gorila está cansado." Quando estamos despertos, entusiasmados e enérgicos, dedicamo-nos a uma tarefa com afinco. Só quando nos começamos a cansar é que precisamos de perseverança. Paulo reconheceu isto (Gálatas 6:9). A fadiga e o desencorajamento não são motivo para desistirmos, mas sim para nos aproximarmos mais de Deus, demonstrarmos carácter e continuarmos em frente. Às vezes não nos apercebemos do custo do sucesso e enfrentamos os desafios com um interesse vago; mas Deus quer um compromisso total!
A preseverança não exige mais do que temos, mas sim, tudo o que temos. Frank Tyger disse: "Cada vitória resulta de inúmeras tentativas." Mas a perseverança é mais do que tentar ou trabalhar arduamente. Trata-se de um investimento. É a disponibilidade para nos ligarmos emocionalmente, intelectual, física e espiritualmente a uma ideia, propósito ou tarefa até a completarmos.
A perseverança exige muito; mas também há boas notícias: Tudo o que damos é um investimento com retorno pessoal. Cada vez que agimos correctamente, buscando a Deus, trabalhando com afinco, tratando os outros com respeito, aprendendo e crescendo, investimos em nós mesmos. Fazer isto a cada dia requer perseverança, mas a vitória é garantida pelo Senhor Jesus. Alguém disse: "Os sonhos só se tornam realidade quando são acompanhados pelo nosso compromisso."

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

QUANDO DEUS NOS PÕE EM ESPERA

A Bíblia diz que tudo tem o seu tempo determinado (Eclesiastes 3:1). Então, não importa o quanto possamos orar, pois não conseguiremos impedir as mudanças na nossa vida. Há algumas situações que não são para nós mudarmos, são apenas para que possamos sobreviver a elas! O Apóstolo Paulo chama a esses tempos de "...leve e momentânea tribulação..." (2Coríntios 4:17). Quando não podemos mudar as circunstâncias, devemos aprender como crescer através delas. No inverno, as árvores aproveitam a estação para refazerem as suas forças e preparem-se para serem frutíferas na próxima estação. A sua seiva corre por baixo da terra. Então, na primavera ela faz o seu percurso de volta na forma de um novo crescimento. Olhando para a nossa vida em retrospectiva, descobriremos que as nossas realizações foram sazonais. Após o crescimento vem a luta, e vice-versa. Cada estação tem o seu propósito. Deus tem uma razão para não querer que sejamos produtivos o tempo todo. Quando Ele permite que os ventos do inverno soprem sobre a nossa vida, está a preparar-nos para a primavera vindoura. Uma das coisas que vamos nos deparar no tempo da espera é a ansiedade em apressar-nos, tomando por vezes decisões permanentes com base em circunstâncias temporárias. Não façamos isso! Nem toda a situação requer acção imediata. Lembremo-nos que a paciência vem da confiança, e não podemos confiar num Deus que não conhecemos. É por isso que precisamos de dedicar mais tempo relacionando-nos com Ele através da leitura da Sua Palavra e da oração.

domingo, 1 de novembro de 2009

PEQUENAS SEMENTES, GRANDES COLHEITAS!

O Pastor Tony Evans escreveu: "Nasci e fui criado na cidade interior de Baltimore. Quando tinha cerca de dez anos, meus pais estavam à beira do divórcio. Mas então, um dia tudo mudou; alguém testemunhou de Cristo ao meu pai e ele aceitou o Senhor Jesus como Salvador pessoal. A partir daí o meu pai desenvolveu o hábito de levantar-se a meio da noite, para orar a Deus que salvasse a sua família. Isso durou algum tempo. Uma noite, a minha mãe desceu as escadas até à sala onde o meu pai estava a orar. Ela começou a chorar antes de chegar à sala. Quando o meu pai perguntou o que se passava, com lágrimas de angústia e um coração cheio de desespero, ela disse algo inesquecível: "Quanto mais te trato mal, melhor me tratas, portanto, seja o que for que tens, deve ser verdadeiro. Como posso ter isso também?" Naquela noite a minha mãe aceitou também o Senhor Jesus como Salvador. Não muito depois disso, meus pais levaram também os seus quatro filhos a Cristo. Eu era o mais velho. Fui salvo aos 11 anos, senti a chamada para o ministério a tempo inteiro quando entrei na adolescência, e fui totalmente dirigido para o ministério quando cheguei aos 18 anos."
Desde aquele dia, Tony Evans, com a ajuda do Senhor, levantou uma igreja em Forth Worth, Texas, prega diariamente para milhões de pessoas através da rádio, e todos os anos milhares de pessoas são salvas pelo Senhor através das suas mensagens!
André levou o seu irmão Pedro e apresentou-o a Jesus. E mais tarde Pedro levou multidões a Cristo. Mais qual foi a contribuição mais importante? Ambas! Então oremos, incentivemos, testemunhemos e estendamos a mão para ajudar conforme a direcção de Deus. Nuca se saberá que grande colheita a nossa pequena semente produzirá!

WEBTV ClubeMais+