segunda-feira, 16 de novembro de 2009

GRAÇA CONTÍNUA

No princípio da Igreja os crentes praticarm o ter todas as coisas em comum (Actos 2:44,45). Essa prática depressa acabou, pois os problemas começaram a surgir e não muito tempo depois daquela vida em comum, essa prática terminou.
Quando chegamos às Epístolas de Paulo, vemos que a vida cristã adequada não é uma vida em comum, mas um viver de contínuo ofertar motivado pela graça. Sim, precisamos da graça para vencer a usurpação das possessões materiais. Dar continuamente é mais difícil e requer mais graça do que vender todas as nossas coisas e ter tudo em comum com os irmãos. É por isso que na primeira Epístola aos Coríntios no capítulo 16, Paulo diz que no primeiro dia da semana deviam pôr de lado uma certa quantia a fim de ofertar. Essa maneira de ofertar é contrária à nossa natureza caída e por isso requer mais graça, motivando-nos continuamente.
Ao falar sobre a questão de ofertas materiais, Paulo não era um angariador de fundos para uma obra. O que ele queria era incentivar os santos a participar de tão elevado ministério. Ter tal ministério, que vence "Mamon" e as possessões materiais para usá-las para o propósito de Deus, requer graça especial!

Sem comentários:

WEBTV ClubeMais+