quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

A TUA MONTANHA É UM PEQUENO MONTE DE TERRA

Quando os israelitas estavam a construir o Templo, os seus inimigos tornaram-se uma montanha no seu caminho (Zacarias 4:6-10). Outra tradução da Bíblia diz mesmo que a montanha se tornará numa planície. Começa a olhar para a tua situação da perspectiva da graça de Deus. Nesta passagem o Senhor diz a Zacarias que o problema que os israelitas enfrentavam apenas parecia ser uma montanha, mas na realidade era um pequeno monte de terra, como o que as toupeiras fazem. Gostavas que a tua montanha se transformasse num monte de terra? Isso acontecerá, assim que começares a fazer o que diz o Senhor. Em fez de ficares obcecado com o problema, concentra-te em Deus e no Seu poder.
Na fase inicial, seja qual for o problema, deves viver segundo as palavras: “Não desprezes o dia das coisas pequenas”; na fase intermédia, deves viver segundo as palavras: “Não nos cansemos de fazer o bem”; e, na fase final: “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé”.

Se Deus te disse para fazeres algo, Ele não quer apenas que comeces esse trabalho, Ele também quer que o acabes.

AGRADECE A DEUS PELO SANGUE

A história da redenção começa no Éden com Deus a derramar sangue para cobrir o pecado de Adão e Eva (Génesis 3:21), e termina no céu com um coro composto por pessoas de todas as raças, tribos e nações, a cantar: “…e com o teu sangue compraste para Deus pessoas de toda a tribo, e língua, e povo e nação.” (Apocalipse 5:9).
   O sangue de Cristo representa duas coisas: (1) O preço do nosso pecado. (2) A cura do nosso pecado.
A nossa salvação não foi um esforço conjunto. Nós não contribuímos com nada, pois, espiritualmente falando, estávamos na bancarrota.
A pregação sobre o sangue de Jesus sempre irá ofender aqueles que têm pecados a esconder, um ego moralista para proteger, ou um evangelho que oferece a salvação através de boas obras e evolução social. O sangue de Jesus não salva só o arrependido, mas também condena o que desafia, o que não cumpre a Sua Palavra, pois “…sem derramamento de sangue, não há remissão.” (Hebreus 9.22).

As pragas e o granizo não conseguiram libertar o povo de Deus do braço de ferro do Faraó, mas o sangue conseguiu. Nada mais que o sangue de Cristo! E este Sangue ainda não perdeu o seu valor e poder: Para curar, para libertar, para nos proteger, para desenhar uma linha na areia a qual o inimigo não se atreverá a transpor. Hoje, agradece a Deus pelo sangue!

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

A CRUZ

A cruz é símbolo de sofrimento (1Pedro 2:21), morte (Actos 10:39), vergonha (Hebreus 12:2), zombaria (Mateus 27:39), rejeição (1Pedro 2:4) e renúncia pessoal (Mateus 16:24). Quando o crente salvo toma a sua cruz e segue Cristo, ele nega-se a si mesmo (Lucas 14:26,27), e tem de lutar e sofrer contra pelo menos três coisas:
- Lutar contra o pecado (1Pedro 4:1,2), Crucificando as suas concupiscências (Gálatas 6:14; Tito 2:12).
- Lutar contra o diabo e os poderes das trevas, para que o Reino de Deus cresça (2Coríntios 10:4,5; Efésios 6:12) e enfrentar a hostilidade do adversário e das hostes infernais (2Coríntios 11:23-29), bem como a perseguição que surge por resistir aos falsos mestres que distorcem o Evangelho (Gálatas 1:9).
- Sofrer o ódio e o escárnio do mundo (Hebreus 11:25,26), por testificar, com amor, que as suas obras são más (João 7:7), por se separar dele moral e espiritualmente (1João 2:15-17), e por rejeitar os seus padrões e filosofias (1Coríntios 1:21-27).

Conclusão: É na cruz que começa a caminhada para o Céu.

WEBTV ClubeMais+