sábado, 24 de setembro de 2016

CÁLICE TRANSBORDANTE

Nos tempos do Velho Testamento quando uma pessoa era convidado para ir a casa de alguém, o anfitrião da casa tinha um sinal especial para que a pessoa convidada percebesse se estava ou na hora de se ir embora: Se o anfitrião continuasse a encher o copo do convidado, significava que ele era bem-vindo. Mas se o copo continuasse vazio significava que estava na hora de sair.
Foi por isso que Davi escreveu: “…o meu cálice transborda…” (Salmo 23:5). Ele estava a dizer que Deus que tinha todo o tempo para ele! Ele era “convidado” de Deus, e Deus encheu-lhe o cálice de maneira que transbordava! Deus tinha prazer na companhia de Davi, e “enchia-lhe” o cálice! Significava que Davi podia estar sempre na presença de Deus. Deus não se fartava dele. Deus não se farta da nossa presença!
Quando estamos nos nossos piores dias, podemos achar que o nosso copo não tem nada, a não ser uns restos de vida colados a ele. Mas se pararmos para pensar bem sobre isso, vamos ver que o nosso copo está cheio de coisas boas, até a cima. Por exemplo, está cheio da graça de Deus: “Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça.” Romanos 5:20.
Deus não deixa que o pecado esvazie o nosso “copo”. Ele cobre-o com o sangue de Jesus. O nosso “copo” de misericórdia transborda.

Quer nos vejamos como um “copo meio cheio” ou “copo meio vazio”, hoje a realidade é esta: Deus quer encher o nosso “copo” até transbordar!

Sem comentários:

WEBTV ClubeMais+