sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O MELHOR DOS DOIS MUNDOS

Diz-se que o Barão Fitzgerald, um homem muito rico, só teve uma criança, um filho. No início da sua adolescência, a mãe do menino morreu. Tragicamente, no final da sua adolescência, o menino também morreu. Entretanto, o património do Barão aumentou bastante, devido à aquisição de obras de arte dos maiores mestres da Europa.
Antes da sua morte, o Barão deixou instruções explícitas para que toda a sua colecção de arte fosse vendida num leilão. Juntou-se uma grande multidão de possíveis compradores e as obras de arte ficaram disponíveis, para que todos as vissem antes do leilão começar. Entre os quadros, havia um que recebeu muito pouca atenção. Tinha pouca qualidade e era de um artista local desconhecido - era o retrato do filho único do Barão. O leilão começou e o leiloeiro leu do testamento do Barão Fitzgerald, que deixava bem claro que, o primeiro a ser vendido seria o quadro do "meu querido filho".
Por causa da sua fraca qualidade, o quadro não recebeu nenhuma oferta - excepto uma. O licitante era um antigo empregado que tinha ajudado a criar o menino e que o amava profundamente. Por menos de um euro, ele comprou o quadro. O leiloeiro encerrou a licitação e pediu ao advogado para ler outra vez o testamento. A multidão estava silenciosa, enquanto ele lia: "Quem comprar este quadro do meu filho, fica com toda a minha colecção de arte.” E o leilão terminou ali, mesmo antes de começar!

Jesus: Sem Ele, não temos nada. Com Ele, temos o melhor dos dois mundos: Deste, e do que há-de vir!

Sem comentários:

WEBTV ClubeMais+