terça-feira, 21 de julho de 2009

A IGREJA e a SUA AUTORIDADE

1. AUTORIDADE de JESUS CRISTO
O Senhor Jesus Cristo afirmou categoricamente que a Palavra de Deus é poder (Marcos 12:24). Ora quem tem poder tem autoridade, soberania, mando, império. A autoridade do Senhor Jesus é completa e foi-Lhe dada por Deus Pai em face da Sua vitória na cruz do Calvário. ELe mesmo afirmou: "Todo o poder me foi dado no Céu e na Terra." (Mateus 28:18).
Durante o Seu ministério o Senhor Jesus exerceu a Sua autoridade sobre as forças da natureza; sobre toda a sorte de enfermidades e doenças; sobre as forças demoníacas que atormentavam as pessoas (Lucas 7.21).
A autoridade do Senhor Jesus é completa, seja em relação às forças da natureza, pois, Ele é o criador dos Céus e da Terra; seja em relação às enfermidades e doenças, seja sobre as hostes do mal, ou sobre o pecado; enfim, Ele detém toda a autoridade!
2. AUTORIDADE DELEGADA À IGREJA
Tendo toda a autoridade e como consequência o poder realizador que emana dessa autoridade, o Senhor Jesus, deseja que a Sua Igreja exerça também esta autoridade aqui na Terra, a fim de fazer crescer o Seu reino, o qual será definitivamente implantado com a Sua vinda e aniquilamento de satanás e suas hostes diabólicas (Mateus 16:18,19). O poder advindo da autoridade concedida à Igreja é manifesto através da acção do Seu Espírito Santo, o qual capacita cada membro do corpo de Cristo a exercer autoridade e o poder delegado.
3. CONDIÇÕES NECESSÁRIAS AO EXERCÍCIO DA AUTORIDADE
A. SUBMISSÃO À VONTADE de DEUS
A primeira condição necessária ao exercício da autoridade e do poder delegado à Igreja do Senhor Jesus é a submissão à vontade de Deus. A oração do Pai-nosso ensinada pelo Senhor aos discípulos é exemplo desta submissão: "Seja feita a Tua vontade...".
Evidentemente que o Senhor Jesus delegou à Igreja autoridade para expulsar demónios, impor as mãos sobre os doentes e enfermos e os curar, pregar com ousadia a Sua Palavra, etc.
O próprio Senhor Jesus sujeitou-se ao Pai, sofrendo terrível martírio, justamente porque era a vontade de Deus; o Apóstolo Paulo sofria de um espinho na carne, provavelmente uma enfermidade no seu corpo, e mesmo estando com a vida no altar do Senhor. A Igreja do Senhor no seu início sofreu às mãos do império romano, a ponto de muitos serem lançados às feras para lhes servirem de alimento!
B. COMUNHÃO COM JESUS CRISTO
A comunhão como Senhor Jesus Cristo é elemento essencial ao exercício da autoridade delegada à Igreja. É inconcebível que alguém possa ser usado pelo Espírito Santo com poder, e viva uma vida irregular diante de Deus. É necessário que a pessoa esteja ligado a Cristo a fim de exercer a autoridade e o poder delegado à Igreja (Lucas 8:21; João 15:4,5; Tiago 3:12). Como é que as forças demoníacas irão respeitar o cristão, cujo prodecer é incompatível com a Palavra de Deus? O exercício da autoridade depende, pois, de uma comunhão íntima com Cristo; isto significa submissão à Sua Palavra, vida de oração, comunhão com os seus irmãos na fé e com o seu próximo, etc. (Actos 19:11-17).
3. EXERCÍCIO da FÉ
A fé não surge com magia. Deve ser exercida diariamente, nas pequenas coisas do dia-a-dia. Quantas vezes falta-nos meio económicos para suprirmos as necessidades, ou dívidas contraidas normalmente com as despesas do lar, com um filho que adoeceu, etc., e diante destas situações perdemos a paz de espírito e nos angustiamos. Pois bem, são estes acontecimentos que servem de experiência a fim de exercitamos a fé em Cristo e depositarmos Nele plena confiança de que as portas serão abertas e todas as nossas necessidades serão supridas. Ora, pensar que a fé será dada de um dia para o outro é ilusão; ela é exercitada dia a dia, a fim de superarmos os montes e montanhas da vida (Marcos 11:22-24).
O exercício da fé diária conduz a Igreja de Cristo à experiência e esta trás esperança, ora quem tem esperança já tem fé. Além da experiência do cristão, a fé cresce na medida que se tem tempo para ouvir a Palavra de Deus, não simplesmente aos domingos nos cultos, mas na leitura diária da Bíblia. O acto de ler a Bíblia possibilita ao crente aliementar-se da mensagem trazida pelo Espírito Santo, resultando um aumento progressivo da fé.
CONCLUSÃO
Conhecendo o caminho a ser percorrido a fim de exercitar a autoridade e em consequência o poder que emana dessa autoridade, resta-nos como Igreja do Senhor Jesus aqui na Terra, pagar o preço da submissão à Sua vontade, manetndo uma comunhão verdadeira com Cristo e xercitar a fé em todos os momentos da nossa vida diária!

Sem comentários:

WEBTV ClubeMais+