sábado, 10 de outubro de 2009

QUEM NOS JULGA É O SENHOR

Ser julgado é ser examinado, criticado. O Apóstolo Paulo considerava de pouca importância ser criticado pelos homens ou por um tribunal humano, nem a si mesmo ele julgava (1Coríntios 4:3).
Há aqui duas questões que precisamos de observar. Primeiro é que não deveríamos nos importar de sermos criticados ou julgados pelos outros. Muitos acham insuportável ser julgados ou criticados, demonstrando que para eles isso é uma grande coisa, e não algo pequeno como na experiência de Paulo.
A melhor maneira de evitar críticas é não fazer nada. Mas tão logo somos activos em cuidar da Igreja de Deus, devemos estar preparados para as críticas. Na verdade, ser julgado e criticado deve tornar-se algo até mesmo comum na nossa vida. Se nunca fomos criticados, é duvidoso que estejamos sendo fiéis ao chamamento do Senhor.
Em segundo lugar, precisamos de aprender com Paulo a não criticar ou examinar a nós mesmos no sentido de nos empenharmos na autocrítica. Isso não é uma prática saudável. Ao agirmos dessa maneira, podemos, podemos nos tornar muito desapontados com nós mesmos, sentindo-nos desqualificados, tentados a retrodecer.
Embora Paulo se sentisse certo, não se condiderava justificado. Sabendo que Aquele que nos examina é o Senhor, ele estava disposto a deixar a questão do julgamento com Ele.
Se nos importamos com a crítica dos outros ou se nos empenhamos na autocrítica, não seremos fiéis. Ao contrário, seremos políticos tentando evitar críticas a dim de nos sentirmos melhores. Preocupemo-nos apenas com o julgamento do Senhor. Assim seremos fiéis para com Ele.

Sem comentários:

WEBTV ClubeMais+