terça-feira, 25 de agosto de 2009

VASOS de BARRO

O resplandecer de Deus no nosso coração produz um tesouro, O Cristo da glória. Mas nós que conhecemos esse tesouro somos vasos inúteis, terrenos e frágeis. Um tesouro inestimável está contido em vasos sem valor! (2Coríntios 4:6,7).

É um motivo de grande gratidão a Deus que nenhuma fraqueza humana pode limitar o poder divino. Somos inclinados a pensar que onde há tristeza, não pode haver alegria; que onde há lágrimas não pode haver louvor; que onde a fraqueza está presente, o poder deve estar ausente; que onde há dúvida não pode haver fé. Deixem-me, porém, proclamar com uma voz bem clara que Deus procura levar-nos até ao ponto de reconhecermos que tudo o que é do homem visa apenas prover um vaso de barro para conter o tesouro divino.

Doravante, quando estivermos cientes da depressão, não vamos dar lugar a ela, mas ao Senhor, e o tesouro resplandecerá ainda mais gloriosamente por causa do vaso de barro. Nisto consiste a glória da vida cristã, que o poder de Deus pode manifestar-se em todo o vaso de barro. O viver cristão é um paradoxo, e enquanto vivermos esta vida paradoxal é que conhecemos a Deus. Qaunto mais avançarmos na vida cristã, mais paradoxal ela se torna. O tesouro torna-se cada vez mais manifesto, mas o vaso de barro é ainda o vaso de barro. Isso é muito belo.

As pessoas que por natureza são fracas estão sempre inclinadas a pensar que não têm nenhum valor por causa da qualidade de barro do vaso. Mas não é preciso desanimar, visto que o tesouro dentro do vaso é de tal qualidade que resplandece com brilho ainda maior dentro deste vaso! Toda a questão tem a ver com a qualidade do tesouro, não com a qualidade do vaso que o contém. É tolice enfatizar o aspecto negativo; a nossa preocupação deve ser com o positivo. O Senhor é capaz de manifestar-se na vida de todos nós, e quando isso suceder, muitos contemplarão o tesouro!

Sem comentários:

WEBTV ClubeMais+